Ronchamp de Le Corbusier Vandalizada

Ronchamp de Le Corbusier Vandalizada

Postada originalmente na Metropolis Magazine, Samuel Medina fala sobre os danos irreparáveis causados pelo vandalismo na Capela de Ronchamp, de Le Corbusier.

Na semana passada, uma freira alertou que a Capela de Ronchamp, considerada por muitos uma das mais incônicas obras arquitetônicas do último século, foi vandalizada. Quando a polícia chegou na cena do crime, encontraram sinais que os vândalos forçaram a entrada: uma das jalenas executadas por Le Corbusier estava quebrada e alguns elementos de concreto estavam faltando. Assim como publicado no Le Monde, os criminosos também tentaram invadir através da porta principal. De acordo com alguns, não é possível estabelecer o valor do dano geral, já que um dos vidros quebrados continha uma ilustração original do arquiteto. Uma avaliação inicial do departamento de monumentos históricos considera a janela irreparável​.

A Fundação Le Corbusier, que protege as obras artísticas e arquitetônicas de Le Corbusier, declarou que medidas emergenciais fossem tomadas para garantir a segurança do local tombado. A declaração, de Antoine Picon, Presidente da Fundação, citou a Associação Oeuvre Notre-Dame-du-Haut quando disse que "deveria proteger melhor o patrimônio do século XX e este de Le Corbusier em particular." Picon também se aproveitou da oportunidade para apontar o triste estado da estrutura e conservação da Igreja, em particular "problemas com mofo, infiltrações e conservação precária da alvenaria."

Ronchamp é um dos edifícios mais idiossincráticos de Le Corbusier. O projeto da igreja mescla elementos católicos tradicionais - o crucifixo, uma efígie da Virgem Maria, com um léxico de símbolos do própro arquiteto. A porta de cerâmica pintada à mão na parede oeste contém símbolos que pouco tem a ver com a história da arquitetura e design eclesiásticos. O mesmo acontece com a parede modular com aberturas em vidraças coloridas, que recria os vitrais medievais numa versão modernista. A janela quebrada é relatada ter sido assinada pelo próprio arquiteto, embora as imagens da janela intacta parecem contradizê-los. Cerca de 80 mil turistas visitam anualmente Ronchamp, enquanto a paróquia continua a usar a igreja para os serviços.

A janela, aqui vista intacta. Imagem Cortesia do usuário flickr marco_pozzo
A janela, aqui vista intacta. Imagem Cortesia do usuário flickr marco_pozzo

Veja os danos neste vídeo:

Sobre este autor
Cita: Medina, Samuel . "Ronchamp de Le Corbusier Vandalizada" [Le Corbusier's Ronchamp, Vandalized] 22 Jan 2014. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/01-169993/ronchamp-de-le-corbusier-vandalizada> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.