O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Boa arquitetura é suficiente para construir cidades melhores? O caso de Medellín.

Boa arquitetura é suficiente para construir cidades melhores? O caso de Medellín.

  • 10:00 - 9 Dezembro, 2013
  • por
  • Traduzido por Naiane Marcon
Boa arquitetura é suficiente para construir cidades melhores? O caso de Medellín.
Boa arquitetura é suficiente para construir cidades melhores? O caso de Medellín., Cortesia de www.colombiavida.com
Cortesia de www.colombiavida.com

Há alguns dias tivemos a oportunidade de assistir uma conferência com  o ex-prefeito de Medellín e atual governador de Antioquía, Sergio Fajardo, que falou durante o seminário "Cidade e Governo: da Confusão à Solução". Durante sua gestão como prefeito de Medellín a delinquência diminuiu e desde então a cidade se transformou em um polo de inovação e turismo. Para muitos arquitetos, esta cidade é um exemplo de como a redefinição da arquitetura e a recuperação do espaço público podem melhorar significativamente a qualidade de vida de seus habitantes, a ponto de diminuir os índices de criminalidade. Entretanto, foi grande minha surpresa - ou decepção - ao ler as declarações de Fajardo a respeito: "A mudança da cidade foi política, não arquitetônica".

Mas então, não dependia de nós arquitetos a construção de cidades melhores? Ao mesmo tempo que me questionava, percebia minha própria soberba muitas vezes criticando outros colegas. Não depende apenas dos arquitetos, e um punhado de boas obras de arquitetura não será a solução para as cidades. Deve existir um marco político que impulsione a melhoria da qualidade urbana e que instale na cidadania a necessidade de alcançar um determinado padrão urbano e arquitetônico.

CAI Periférico Medellín / EDU. Imagem Cortesia de EDU
CAI Periférico Medellín / EDU. Imagem Cortesia de EDU

Se voltarmos algumas décadas na história recente da arquitetura colombiana, entre os anos 40 e 60 houve um período extraordinário que levou o desenho arquitetônico a obter grande reconhecimento por sua qualidade. Entretanto, as obras arquitetônicas apareciam de maneira isolada no contexto urbano, mostrando maior ênfase no desenho formal de interiores do que em sua relação com a cidade. Isto levou Sergio Trujillo a argumentar que a Colômbia se caracterizava por ter o melhor conjunto de arquitetura da América Latina, mas também por ter as cidades mais feias e caóticas. Não obstante, no final do século XX e início do século XXI, houve uma mudança na atitude em que se redescobriram conceitos chaves para a arquitetura, como "o urbano". O redescobrimento e consciência do urbano pela arquitetura permitiu um trabalho integrado com a política e a configuração de espaços públicos. Para isso foi necessário entender que a política, o ordenamento territorial e o planejamento urbano precisavam da arquitetura e que por sua vez, os responsáveis pela arquitetura não tinham uma visão da política, da cultura da cidade e nem da importância do espaço público como construtor de cidadania. Para realizar a transformação de Medellín, durante seu governo, Fajardo propôs envolver o Estado no melhoramento dos setores mais pobres e violentos com a implementação de programas sociais e culturais e de projetos urbanos integrais acompanhados de boa arquitetura que, em sua grande maioria, fora convocados através de concursos públicos, o que permitiu abrir espaço para os arquitetos mais jovens da Colômbia.

Biblioteca Parque España / Giancarlo Mazzanti. Image © Sergio Gómez
Biblioteca Parque España / Giancarlo Mazzanti. Image © Sergio Gómez

As políticas colombianas tiveram um papel relevante no fomento de uma arquitetura melhor e mais acessível a todos, pois compreendeu a arquitetura e a estética como fatores cruciais na transformação não só física como sociocultural. E por sua vez, a arquitetura materializou esta mudança social e política através de intervenções físicas. De acordo com as palavras de Giancarlo Mazzanti, um dos arquitetos participantes desta transformação, "a arquitetura representou uma nova maneira de fazer cidade e política, uma nova geração de arquitetos preocupados em desenvolver discursos e arquiteturas mais apropriadas ao momento histórico que vivemos."

Parque Biblioteca León de Grieff / Giancarlo Mazzanti. Image © Sergio Gómez
Parque Biblioteca León de Grieff / Giancarlo Mazzanti. Image © Sergio Gómez

Convidamos você a revisar as formas como estão sendo construídas nossas cidades hoje e a questionar se a boa arquitetura - que vemos diariamente publicada em meios especializados, incluindo este - está contribuindo efetivamente para sua melhora. Você pode ser parte deste debate manifestando seus pontos de vista e compartilhando conosco as obras que acha que apontam nesta direção.


Sobre este autor
Pola Mora
Autor
Cita: Mora, Pola. "Boa arquitetura é suficiente para construir cidades melhores? O caso de Medellín." [¿Basta con buena arquitectura para construir mejores ciudades? El caso de Medellín.] 09 Dez 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Marcon, Naiane) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/158914/boa-arquitetura-e-suficiente-para-construir-cidades-melhores-o-caso-de-medellin> ISSN 0719-8906