O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos
  3. Prêmio Pritzker 2013: Toyo Ito

Prêmio Pritzker 2013: Toyo Ito

Prêmio Pritzker 2013: Toyo Ito
Portrait of Toyo Ito © Yoshiaki Tsutsui
Portrait of Toyo Ito © Yoshiaki Tsutsui

"Embora Toyo. Ito tenha construído uma grande quantidade de edifícios, na minha opinião, ele vem trabalhando em uma ideia comum ao longo de sua carreira, - ultrapassar os limites da arquitetura. E para atingir esse objetivo, ele não tem medo de superar suas conquistas anteriores "-. Yung Ho Chang, membro do júri do Pritzker em 2013.

Toyo Ito foi anunciado como o novo vencedor do Prêmio Pritzker 2013

Ao todo são 37 arquitetos já  premiados e ele é o sexto  japonês a receber esta distincao.

O júri do Pritzker destacou a capacidade de Ito de sintetizar muitas linguagens arquitetônicas e funcionalidades na expressão de uma"sintaxe" muito pessoal, inspirado nas estruturas orgânicas encontradas na natureza e na sensualidade do ser humano.

Descrevendo-o como "criador de edifícios atemporais", o júri do Pritzker ainda elogiou Ito por "infundir seus projetos com uma dimensão espiritual e poética que transcende todas as suas obras." Entre essas obras, o júri destacou a Mediateca de Sendai cujo inovador uso de tubos estruturais "permitiu novas maneiras de entender os espaços" . O edifício para TOD Omotesando construído em Tóquio, "onde a pele do edifício também serve como estrutura", e mencionam a Tama Art Biblioteca Universitária de Tóquio como particularmente inspiradora.

Em resposta a condecoração,  o maior prêmio na profissão da arquitetura, Ito humildemente expressa que, com cada projeto, ele só se torna mais "dolorosamente consciente de [sua] inadequação, e isto  se transforma em estimulo para  o próximo projeto." 

Sendai Mediatheque / Toyo Ito. Image © Nacasa & Partners
Sendai Mediatheque / Toyo Ito. Image © Nacasa & Partners

Leia mais sobre a escolha de Toyo Ito como o laureado Pritzker 2013, após o intervalo ...

Enquanto o júri destacou a inovação conceitual de Ito como uma das principais razões para a sua escolha, também mencionou seu compromisso com a orientação de jovens arquitetos (seu estúdio nutriu muitos arquitetos de renome, incluindo os premiados com o Prêmio Pritzker de 2010 Kazuyo Sejima e Nishizawa Ryue (SANAA), bem como a sua responsabilidade social, dando menção ao seu trabalho "Home for All" fornecendo pequenos espaços comuns para os afetados pelo terremoto no Japão em 2011.

É esse projeto que realmente Ito considera o mais precioso, sobretudo pelo desafio que implica em redefinir o que é a arquitetura e para quem deve ser construída. Como ele mesmo diz em "Forces of Nature", publicado pela Princeton Architectural Press:  "Atualmente a arquitetura é avaliada mais pela sua originalidade. Como resultado, os mais importantes temas - por que um edifício se constrói e para quem, foram esquecidos. A zona de desastre, nos dá a oportunidade de adotar um novo olhar, distinto ao que a arquitetura é realmente. 'Home for All "pode ​​consistir de pequenas construções  mas induz à questão vital de que a arquitetura deve tomar forma na era moderna, e até mesmo pôr em causa os temas mais primitivos como o próprio significado da arquitetura."

Na verdade, como Toyo Ito compartilhou conosco em uma entrevista dada na Bienal de Veneza, para ele, a arquitetura é,em primeiro lugar para as pessoas que serve: "Na sociedade contemporânea, eu acho que 99% da arquitetura tornou-se um instrumento para atividades econômicas , e eu lamento muito por isso. Porque eu acho que a arquitetura é algo que conecta as pessoas.A arquitetura deveria se tornar uma forma de cooperação, um corpo co-operacional entre pessoas, ela não deve ser algo que é controlada pela economia, mas que cria uma relação de confiança entre elas. Isto é o que os arquitetos devem fazer quando criam arquitetura. "

O Prémio Pritzker é o último de uma sucessão de prêmios para Ito, que também recebeu o Praemium Imperiale 22 em honra do príncipe Takamatsu, em 2010, a 'Medalha Real de Ouro do Royal Institute of British Architects em 2006, e o Leão de Ouro da Bienal de Veneza em 2002.

Tama Art University Library / Toyo Ito. Image © Iwan Baan
Tama Art University Library / Toyo Ito. Image © Iwan Baan

O Júri Prizker 2013 liderado pelo Lord Palumbo. O corpo de jurados é conformado por: Alejandro Aravena, arquiteto e diretor-executivo do escritório Elemental em Santiago, Chile; Stephen Breyer, jurista membro do Supremo Tribunal de Justiça dos Estados Unidos, Washington , DC; Yung Ho Chang, arquiteto e professor, de Pequim, República Popular da China; Glenn Murcutt, arquiteto e Premiado em 2002 com o Pritzker, de Sydney, Austrália;  Juhani Pallasmaa, professor, arquiteto e escritor, de Helsinki, na Finlândia e Martha Thorne, reitora adjunta para as relações externas, da IE Faculdade de Arquitetura e Design, Madrid, Espanha, que é a diretora-executiva do prêmio.

Leia as citações dos jurados, na íntegra:

"Ao longo de sua carreira, Toyo Ito tem sido capaz de produzir um trabalho que combina inovação conceitual com edifícios soberbamente bem executados. Criando arquitetura há mais de 40 anos, ele tem realizado com sucesso bibliotecas, casas, parques, teatros, lojas, escritórios,edifícios e pavilhões, e a cada vez busca ampliar as possibilidades da arquitetura. Um profissional de talento único, ele é dedicado ao processo de descoberta que tem a ver com as oportunidades que estão em cada projeto."

"Quem quer que analise as obras de Ito percebe não somente uma variedade de programas funcionais, mas também um espectro de linguagens arquitetônicas. Ele gradualmente desenvolveu e aperfeiçoou uma sintaxe pessoal de arquitetura, que combina engenho estrutural e técnica com clareza formal. Suas formas não seguem uma abordagem minimalista ou  paramétrica. Circunstâncias diferentes levam a respostas diferentes. Desde o início, ele desenvolveu trabalhos que eram modernos, usando o padrão de materiais industriais e componentes para suas estruturas leves, tais como tubos, telas expandidas, chapas de alumínio perfurado e tecidos permeáveis. Seus últimos trabalhos expressivos foram formados principalmente usando concreto. De uma forma verdadeiramente extraordinária, ele é capaz de manter a estrutura, espaço, ambiente, tecnologia em pé de igualdade. Embora os prédios resultantes parecem sem esforço em equilíbrio, eles são o resultado de seu profundo conhecimento de seu ofício e sua capacidade de lidar com todos os aspectos da arquitetura simultaneamente. Apesar da complexidade de suas obras, seu alto grau de síntese significa que suas obras atinjam um nível de calma que, em última análise permite que os habitantes desenvolvam livremente suas atividades dentro deles."

"Inovadora é uma palavra frequentemente usada para descrever as obras de Toyo Ito. Isto é evidente no pavilhão temporário criado em Bruges em 2002 e a construção do edifício TOD em Tóquio em 2004, onde a pele do edifício também serve como estrutura. Inovação também pode ser demonstrada através de seu uso de materiais tradicionais em formas não-convencionais, como o uso de concreto para criar formas orgânicas fluídas como fez no VivoCity em Cingapura. Além disso, seus edifícios são repletos de novas invenções tecnológicas, como pode ser visto no Dome em Odate ou a Torre dos Ventos de Yokohama. Esta inovação só é possível através da cuidadosa e objetiva analise de cada situação antes de propor uma solução."

"Ito disse que ele se esforça para que a arquitetura seja fluida e não confinada por aquilo que ele considera ser as limitações da arquitetura moderna. Na Mediateca de Sendai de 2000, ele conseguiu utilizando tubos estruturais criar novos interiores com excelente qualidade espacial.No Metropolitan Opera House de Taichung, a rede horizontal e vertical de espaços cria oportunidades para comunicação e conexão. Em busca de liberdade da rigidez numa grade, Ito está interessado em relacionamentos - entre espaços exterior e interior, construção e entorno. O trabalho que Toyo Ito tem produzido está inspirado nos princípios da natureza, e evidencia a unidade alcançada entre estruturas orgânicas semelhantes, superfícies e de peles."

"A agenda criativa deste arquiteto incluí sempre a responsabilidade pública. A arquitetura é muito mais complexa e arriscada quando envolve aspectos públicos.Entretanto isso nao significou um obstáculo para ele. Ele disse que a arquitetura não deve apenas responder a uma das necessidades físicas, mas também aos sentidos. De seus muitos espaços inspiradores, o Salão Funeral Municipal na Província de Gifu de 2006 ou Tama Art Biblioteca Universitária, em Tóquio, 2007 ou o Pavilhão da Serpentine Gallery, em Londres, em 2002, são apenas três exemplos que ilustram o entendimento consciente de Ito das pessoas e as atividades dentro de seus edifícios. Seu trabalho em favor da "Home for All" ou pequenos espaços comuns para os afetados pelo terremoto no Japão em 2011, é uma expressão direta de seu senso de responsabilidade social."

"A formação dos futuros arquitetos sempre foi uma preocupação de Toyo Ito. Isto é evidente em seu trabalho docente e na sua recente intervenção no Toyo Ito Museu de Arquitetura em Omishima, o qual é usado como um espaço onde jovens arquitetos reúnem se para aprender e trabalhar. Fica claro que não fecha as portas a quem vem até ele em busca do conhecimento. Ele é um pioneiro e incentiva os outros a se beneficiar de suas descobertas e para que eles avancem em seus próprios caminhos. Nesse sentido, ele é um verdadeiro mestre que produz oxigênio ao invés de apenas consumi-lo."

Sobre este autor
Cita: Quirk, Vanessa. "Prêmio Pritzker 2013: Toyo Ito" [2013 Pritzker Prize: Toyo Ito] 17 Mar 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Helm, Joanna) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/103428/premio-pritzker-2013-toyo-ito> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.