Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Project For Public Spaces

Project For Public Spaces: O mais recente de arquitetura e notícia

11 Conselhos para projetar espaços públicos vibrantes

A 3ª Semana Internacional “Placemaking”, realizada anualmente pela organização filantrópica Project for Public Spaces (PPS), teve lugar entre os dias 1º a 4 de outubro de 2019 na cidade de Chattanooga, Tennessee. Anteriormente organizado nas cidades de Amsterdã (2017) e Vancouver (2016), este inspirador e envolvente evento é um espaço de encontro e intercâmbio de ideias entre, pessoas, profissionais e organizações comprometidas com a construção de “lugares”, promovendo a difusão deste conceito tanto no contexto local da cidade sede quanto no nível internacional.

A PPS, responsável pela criação da Placemaking Week, é uma organização focada em promover a cultura, a construção e a manutenção de “lugares”, ou seja, espaços públicos capazes de construir comunidades mais inclusivas e sustentáveis. Em 1999, a Project for Public Spaces publicou o livro “How to turn a place around”, definindo as bases do movimento “placemaking” e fornecendo diretrizes e princípios a serem seguidos para se construir lugares capazes de gerar comunidades mais vibrantes e inclusivas.

Abaixo, compilamos uma lista com onze projetos construídos que ilustram os onze princípios enumerados no livro:

Green Cloud / ZHUBO-AAO. Image © Yang Xu Red Ribbon Park / Turenscape. Image Courtesy of Turenscape Green Cloud / ZHUBO-AAO. Image © John Siu Superkilen / Topotek 1 + BIG Architects + Superflex. Image © Torben Eskerod + 19

Como avaliar a qualidade de um espaço público?

Este artigo foi originalmente publicado no Project for Public Spaces com o título "What makes a successful place?" e aponta algumas diretrizes a se considerar quando se projeta um espaço público: sociabilidade, usos e atividades, acessos e conexões, e conforto e imagem.

Espaços públicos são a alma de uma cidade, lugares onde as pessoas se encontam e convivem, são espaços onde celebramos a vida e as nossas diferenças. Praças, parques, ruas e largos. Avenidas, bulevares e calçadões. Espaços democráticos e sociais, pontos de conexão entre as pessoas e os edifícios que constroem uma cidade. Espaços públicos se esparramam para dentro de nossas escolas, bibliotecas e museus, atravessam edifícios e pontes conectando as pessoas e a paisagem. Mas quais são as principais características de um bom espaço público?

Placemaking Brasil: o especialista é a comunidade

Partindo de conceitos e práticas, a entidade PPS (Project for Public Spaces) vem trabalhando nos últimos 40 anos numa abordagem que busca entender todos os diferentes aspectos que fazem dos espaços públicos lugares de real valor e interesse para as pessoas desfrutarem a vida nas cidades.

Com o passar dos anos essa abordagem foi recebendo novos olhares e se adaptando de maneira muito sensível às diferentes realidades socioeconômicas e culturais das áreas urbanas de cada região do planeta. Dessa riqueza surgiram novas técnicas, como a estratégia Lighter, Quicker and Cheaper.

No ano de 2014 ficou claro que o Placemaking precisava se consolidar como um movimento mundial, de maneira que seu código aberto pudesse alcançar e beneficiar o maior número possível de pessoas, melhorando, assim, a vida nas nossas cidades.

5 Conselhos da PPS para fazer das cidades lugares melhores para se viver

A organização Project for PublicSpaces (PPS) trabalha há 40 anos para transformar as cidades em lugares mais agradáveis para se viver, com diversos espaços de socialização. Recentemente a organização fez uma breve compilação de suas ideias utilizadas em campanhas sociais e reduziram a cinco conselhos que poderão ajudar os cidadãos e as organizações a fazer das cidades melhores lugares para se estar.

A seguir, os cinco conselhos.