1. ArchDaily
  2. Josep María Montaner

Josep María Montaner: O mais recente de arquitetura e notícia

Os 125 melhores livros de arquitetura

Preparamos uma lista abrangente com 125 livros de arquitetura e temas relacionados que consideramos interessantes para ampliar seus conhecimentos sobre a disciplina.

Buscamos títulos de diferentes partes do mundo com o objetivo de apresentar visões que dizem respeito a contextos culturais distintos. De compilações de ensaios e teorias sobre o crescimento das cidades a romances que flertam com a arquitetura e séries de ilustrações e gravuras.

Veja, a seguir, nossas sugestões acompanhadas por uma breve descrição.

Do Diagrama às Experiências, Rumo a Uma Arquitetura de Ação

Atualmente nos encontramos em um período de profunda transformação produtiva, social e de valores. Na arquitetura, além do avanço dos sistemas de representação arquitetônica e da evolução dos tipos construtivos, manifesta-se cada vez mais a necessidade de uma renovação profunda da teoria e da crítica. Este livro apresenta uma refundamentação teórico-prática da arquitetura a partir da vinculação explícita de três eixos instrumentais ligados a ela: os diagramas, as experiências e as ações.

Josep Maria Montaner: 'Hoje vivemos uma total dualidade da arquitetura'

Em suas funções de teórico, crítico, catedrático e conselheiro de Habitação em Barcelona após as últimas eleições municipais na Espanha, conversamos com Josep Maria Montaner, doutor arquiteto e catedrático da Escola Técnica Superior de Arquitetura de Barcelona, autor de Después del movimiento moderno (1993) e Arquitectura y política (2011, com Zaida Muxí).

Após sua publicação mais recente, A condicção contemporânea da arquitetura (2015), Montaner fala sobre as tendências atuais da disciplina: sua dualização como resposta da crescente desigualdade econômica, a comercialização e exportação da linguagem formal, o estado das publicações impressas e a relação entre arquitetura e política em anos de transformação social.

"A arquitetura e o urbanismo estão recuperando o papel político e social que haviam tido em outros momentos de mudança. Se não o fazem, a arquitetura ficará à margem do futuro", diz Montaner.

Edifício educacional em Moçambique / Bergen School of Architecture Students. Image © Tord Knapstad Tama Art University Library / Toyo Ito. Image © Iwan Baan Casa Experimental Muuratsalo / Alvar Aalto. Image © Nico Saieh Walt Disney Concert Hall. Image © Gehry Partners, LLP + 9

Arquitetura e Política - ensaios para mundos alternativos / Josep Maria Montaner e Zaida Muxi

O livro "Arquitetura e política" enfrenta uma questão-chave da arquitetura contemporânea: sua responsabilidade em relação à sociedade. A partir de uma compilação de textos agrupados em cinco capítulos – História, Mundos, Metrópoles, Vulnerabilidades e Alternativas – Josep Maria Montaner e Zaida Muxí fazem um passeio histórico que narra o papel social dos arquitetos e dos urbanistas até a atual era da globalização. A partir de temas como a vida em comunidade, a participação, a igualdade de gênero e a sustentabilidade, Arquitetura e política estabelece tanto as vulnerabilidades contemporâneas quanto aquelas alternativas já experimentadas – daí seu subtítulo, Ensaios para mundos alternativos.

Lançamento do livro “Arquitetura e Política” no Studio-X Rio

Amanhã, 12 de agosto, o Studio-X Rio recebe Josep Maria Montaner e Zaida Muxí para o lançamento do livro “Arquitetura e Política” seguido por uma palestra com comentários de Carlos Feferman.

Palestra e lançamento do livro “Arquitetura e política”, na FAU USP

O livro "Arquitetura e política: Ensaios para mundos alternativos" aborda uma das questões-chave da arquitetura contemporânea: a responsabilidade dos arquitetos para com a sociedade. Em seus cinco capítulos - Histórias, Mundos, Metrópoles, Vulnerabilidades e Alternativas - a obra segue um percurso histórico, que abrange desde o papel social dos arquitetos e urbanistas até a atual era da globalização. Por meio de temas como vida comunitária, participação, igualdade de gênero e sustentabilidade, o livro trata tanto das vulnerabilidades contemporâneas como das alternativas já experimentadas. Daí seu subtítulo Ensaios para mundos alternativos.