Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Ensino

Ensino: O mais recente de arquitetura e notícia

Seminário Internacional Modos de Habitar - Arquiteturas Anfíbias

O curso de pós-graduação lato sensu Habitação e Cidade, da Escola da Cidade - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, promove em julho a 1ª Edição do Seminário Internacional Modos de Habitar “Arquiteturas Anfíbias”, com inscrições abertas até 30 de junho.

A proposta do encontro será refletir sobre as chamadas palafitas, ou ‘arquiteturas anfíbias’, por sua condição de limiar entre as águas e a dita ‘terra firme’. Trata-se de uma estratégia de ocupação característica de várias regiões do Brasil, algumas das quais – junto às cidades do Recife e de Belém – já foram

Escola da Cidade recebe o arquiteto Toni Gironès para aula aberta

Nos dias 26 e 28 de junho, Gironès falará sobre seus projetos e tese de Doutorado, cujo tema é a interpretação da paisagem da Catalunha. Eventos gratuitos e abertos ao público

O curso de pós-graduação “Geografia, Cidade e Arquitetura”, da Escola da Cidade – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebe o arquiteto espanhol Toni Gironès Saderra para três aulas, na última semana de junho.

Sonhos feitos à mão / Felipe Sardenberg

Vivemos em um mundo cada vez mais conectado, onde a pressa, que sempre foi inimiga da perfeição, acaba por ser um pré-requisito para qualquer atividade. Precisamos resolver tudo para ontem e, ainda assim, desejando que tudo saia perfeito.

Nesse contexto, a arte de projetar arquitetura vem se adaptando cada vez mais ao uso de novas tecnologias, aliás, que são muito bem vindas. Entretanto, parece que estamos deixando de lado o hábito de desenhar. Partindo dessa reflexão, decidi, juntamente com os meus alunos, iniciar um Ateliê de Representação de Projetos, uma vez por semana, fora dos horários de aula.

Cursos online gratuitos nas melhores universidades do mundo

Pensando em continuar seus estudos mas ainda não quer iniciar o mestrado ou doutorado? Cursos a distância de curta duração são alternativas cada vez mais populares no mundo todo e plataformas como a edX, criada pelas universidades de Harvard e MIT tornam ainda mais fácil se aprofundar nos mais diversos temas.

Universidades brasileiras e portuguesas entre as 500 melhores do mundo segundo o Ranking Xangai 2016

O Academic Ranking of World Universities divulgou recentemente a lista das 500 melhores universidades do mundo segundo seu Ranking Xangai, e o Brasil aparece com seis instituições de ensino superior entre as universidades listadas. Portugal, por sua vez, conta com cinco dentre as 500.

Do Brasil, a mais bem colocada é a USP (Universidade de São Paulo) que ficou entre as posições 100 e 150 e também é a única da América Latina entre as 150 melhores. As demais instituições de ensino superior do Brasil são a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), a Unesp (Universidade Estadual Paulista) e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), todas na faixa entre as posições 301ª e 400ª. Já a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) ficou entre 401ª e 500ª.

200 anos de ensino de arquitetura no Brasil

O ensino de arquitetura no Brasil completou na última sexta-feira, 12 de agosto de 2016, 200 anos de história. A arquitetura é uma das profissões mais antigas do mundo. As técnicas de construção foram transmitidas oralmente, de geração em geração entre os praticantes do ofício, ao longo do tempo. No país, o ensino acadêmico começou a partir da assinatura do decreto de criação da Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios, por D. João VI. De lá para cá, naturalmente, muita coisa mudou. Seja na forma de ensinar, de construir e até mesmo de pensar a arquitetura, seja na forma como a sociedade se organiza, habita e ocupa os espaços.

O que você gostaria de ter aprendido na faculdade de arquitetura mas nunca teve a oportunidade? A opinião dos leitores

Há alguns dias publicamos um artigo intitulado "O que você gostaria de ter aprendido na faculdade de arquitetura mas nunca teve a oportunidade?", convidando nossos leitores a compartilhares suas opiniões sobre como o ensino de arquitetura e urbanismo poderia ser melhorado no Brasil. Sabe-se que a formação do arquiteto está longe de suprir todas as demandas que por ventura aparecem em sua vida profissional; além disso, sendo esta uma profissão bastante ampla, é virtualmente impossível abarcar satisfatoriamente em cinco ou seis anos todo o conteúdo que poderia ser útil para os muitos desdobramentos que pode sofrer a carreira de um arquiteto.

Deste modo, buscando informações na inteligência coletiva da qual fazem parte nossos milhares de leitores, compilamos a seguir alguns relatos de arquitetos e estudantes sobre possíveis carências no sistema de ensino da arquitetura no Brasil.

Joaquim Guedes: Depoimento

Procurei saber o que queria dizer a palavra "depoimento", e a versão do dicionário é muito estranha: "é um testemunho num processo judiciário". É bem estranha a nossa situação.

Sinto-me pouco à vontade para participar de um julgamento da arquitetura brasileira, destes últimos 15 ou 20 anos. Trago de minha experiência vivida dentro dela algumas impressões, algumas ideias que, mesmo que não abranjam muita coisa, talvez possam servir de base para o nosso diálogo.

Curso de Arquitetura e Urbanismo em SP foi o mais concorrido do Sisu

O curso de Arquitetura e Urbanismo, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, foi o mais concorrido entre todas as instituições superiores que ofertaram 100% das vagas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) deste ano.

Cada vaga foi disputada por 312,55 candidatos. Em segundo lugar, veio o curso de Medicina da Universidade Federal do Acre, com 210,35 candidatos por vaga.

O curso mais concorrido é também inédito entre as instituições federais do Estado de São Paulo. A primeira turma de arquitetura e urbanismo do IFSP vai começar seus estudos no dia 5 de fevereiro no campus da Capital, no bairro do Canindé, na Zona Norte de São Paulo. 

O Ensino do Desenho / Lucio Costa

Clive Bell define arte como significant form.

O rabisco não é nada, o risco – o traço – é tudo. O risco tem carga, é desenho com determinada intenção – é o “design”. É por isto que os antigos empregavam a palavra risco no sentido de “projeto”: o “risco para a capela de São Francisco”, por exemplo. Trêmulo ou firme, esta carga é o que importa. Portinari costumava dar como exemplo a assinatura, feita com esforço, pelo analfabeto (risco), com o simples fingimento de uma assinatura (rabisco).

O arquiteto (pretendendo ser modesto) não deve jamais empregar a expressão “rabisco” e sim risco.

Risco é desenho não só quando quer compreender ou significar, mas “fazer”, construir.

Estudo comprova que design interfere significativamente o aprendizado

Durante décadas, as escolas lentamente se transformaram em instalações com aspecto de prisão, com salas iluminadas artificialmente e parques barricados. No entanto, a tendência está começando a mudar. Com destaque para o design sustentável, um foco na segurança e um aumento da demanda em ambientes de aprendizagem positivos, mais pessoas estão prestando atenção à forma como projetamos nossas escolas.

Salas de Classes Atrapa Luz / LAND Arquitetos

Lições Instantâneas (5/5) / João Diniz

  • Você paga pelo seu curso, não desperdice seu ingresso.
  • Perca qualquer complexo de inferioridade, o centro do mundo é onde você está.
  • Comunique-se em outras línguas.
  • Viaje.
  • Aproveite cada trabalho que faz para compor seu portfolio.
  • Aproxime-se dos mestres.
  • Como numa prova automobilística, inicie logo e com determinação o trabalho.
  • Saiba do que você gosta em arquitetura e em tudo mais.
  • O que você gosta mais de ganhar, livros ou sapatos?
  • Você seria eficiente numa escola sem notas ou chamadas?
  • Ser sustentável é nada mais que a obrigação.
  • Seja ativo para que não seja necessário transformar aulas de arquitetura em lições de auto-ajuda.
  • O bom estudante aprende mais que o professor ensina.
  • … e de repente aquele inculto arrogante pergunta: – Você trabalha também ou é apenas um professor?

Lições Instantâneas (4/5) / João Diniz

  • Questione o ‘default’.
  • … desenhos à mão livre, feitos à máquina.
  • A força bruta nunca é suficiente
  • Trabalhe muito, mas não só trabalhe.
  • Estudantes sabem a resposta para a maioria das perguntas que fazem.
  • Não comece a apresentar um trabalho se desculpando.
  • Aprenda com os colegas.
  • A solidão é boa e necessária na hora de fazer um projeto ou de estudar. Nestes momentos desligue os canais dispersivos da atualidade, a recompensa virá depois nos conhecimentos adquiridos e nos espaços criados.
  • Procure inspirações e conhecimentos arquitetônicos também fora da arquitetura.
  • Construa sua própria cultura, você é o que lê, ouve, conversa.
  • Não diga que não sabe desenhar, quinze anos atrás você era ótimo nisso.
  • Antes de desenhar bem, deve-se pensar bem.

Lições Instantâneas (3/5) / João Diniz

  • Inspiração vale pouco se não houver vontade de trabalhar (e vice versa).
  • Respostas rápidas são importantes para uma vida calma.
  • O perfeccionismo, às vezes, leva a não se fazer satisfatoriamente o que seria impossível fazer idealmente.
  • Auto elogio é uma ofensa feita a si mesmo.
  • A coisa mais cansativa é ficar dizendo que está cansado(a).
  • O estressado pensa que é o melhor.
  • Evite justificar com intenções como: ‘eu queria, eu faria, estou pensando…’, mas com ações como: ‘eu fiz…’
  • Mais vale um bom erro que nenhuma tentativa.
  • Ao construir, prefira o econômico ao barato, e ser econômico não significa ser pobre.
  • Na dúvida entre projetar com a mão ou com o computador, prefira primeiro a cabeça, o coração e o espírito aberto como ferramentas.
  • Não existe meia idéia.
  • Pode ser muito fácil fazer, mas se não fosse feito isso não existiria.
  • Nunca é tarde para ser jovem.
  • …e para aquele vive dizendo: ‘eu tenho que fazer…’, a pergunta: ‘você tem ou você quer?’.

Lições Instantâneas (2/5) / João Diniz

  • Abaixo o ‘plantismo’. Entenda o projeto em sua tridimensionalidade.
  • Estrutura é o entendimento espacial (tridimensional) da estabilidade edificada.
  • Sem esqueleto não há corpo. A arquitetura nasce na estrutura.
  • Quase sempre, em arquitetura, as sombras das coisas são tão importantes como as próprias coisas
  • O interessado em arquitetura deve identificar a origem de uma construção tão rápido como identifica um estilo musical.
  • Como existe a MPB, existiria a APB (Arquitetura Popular Brasileira)? Ou será que a boa Arquitetura nunca é Popular?
  • …e aquele arquiteto resolveu o problema com um desenho de alguns minutos, somados a algumas décadas de experiência.
  • Está muito bom mas ainda não é suficiente… disse aos estudantes tentando ao mesmo tempo incentivar e provocar o progresso.
  • As duas palavras-chave para o entusiasmo ativo: curiosidade e iniciativa.
  • Cuidado com a fotogenia, pois já disseram: Não há arquitetura, por pior que seja, que não dê uma boa foto.
  • Já se disse: projeto de arquitetura é o contrário de m****, quanto mais mexe mais ‘cheira bem’.
  • As lições menos divertidas são as de moral.
  • …você não está entendendo, precisa que eu desenhe?

Lições Instantâneas (1/5) / João Diniz

  • Alguns etimólogos definem aluno como ‘aquele que não tem luz’ (a.lumno), enquanto estudante como ‘aquele que aplica seu espírito para aprender’, então transforme-se logo de aluno em estudante.
  • Fujamos da situação acadêmica comum que são os alunos sonolentos versus os professores arrogantes.
  • Professores não são superiores aos estudantes, são futuros colegas, e uma postura mútua de profissionalismo e eficiência pode transformar esta relação em amizade.
  • A maioria dos conhecimentos pode ser transmitida e apreendida em menos de cinco minutos.
  • Mergulhe delirantemente em suas intuições, projetos e instintos sem destruir seu corpo, espírito e futuro.
  • A pessoa dificilmente se reinventa no futuro, comece a ser já o melhor de si.
  • Para justificar uma dificuldade pergunte-se: fiz o melhor que pude?
  • Em qualquer disputa, a primeira e, talvez, a mais importante vitoria, é vencer a si mesmo (evoluir), o que nem sempre é fácil.
  • Em termos de concorrência, há lugar para todos, desde que cada um seja si mesmo, radicalmente.
  • ‘Parabéns você errou’: constatação válida quando se arrisca no desconhecido buscando respostas ou investigando possibilidades.
  • É quase impossível ensinar a projetar, mas se pode ensinar história e tecnologia, ou seja, o que está feito e como fazê-lo, estas são as principais ferramentas para criar uma boa arquitetura.
  • Comece a entender e explicar o projeto pela idéia principal e não por pequenos detalhes.
  • Arquitetura sem construção é o desenho auto-suficiente, que é o sonho, a realidade desperta é a obra.