Arquitetura do leste europeu: superestruturas científicas

Arquitetura do leste europeu: superestruturas científicas

Este artigo faz parte da série colaborativa “Arquitetura do Leste Europeu: 50 Edifícios que Definiram uma Era”, desenvolvida em parceria entre o The Calvert Journal e o ArchDaily. Celebrando alguns dos principais ícones da arquitetura do leste europeu, publicaremos periodicamente uma lista com cinco projetos construídos no então Bloco de Leste.

Instituto de Informação de Kiev / Florian  Yuryev e L. Novikov

Kiev, Ucrânia, 1971

The Institute of Information . Image © O.Ranchukov 1970's
The Institute of Information . Image © O.Ranchukov 1970's

Ao longo dos anos oitenta, pouco antes do colapso da União Soviética, o caráter interdisciplinar da arquitetura desenvolvida no Bloco de Leste chegou à sua potência máxima, contrastando fortemente com o que vinha sendo construído até então, onde a monotonia cinza do concreto predominava em absoluto. Um dos principais expoentes desta “nova era” é o arquiteto e artista Florian Yuryev, quem defendia a “síntese das artes”, uma pesquisa na qual ele explorava as relações entre formas, cores e sons, e de que forma tais elementos poderiam influenciar a nossa percepção do espaço.

Depois de anos dedicado à pesquisa sobre as cores e a sua relação com a música, Yuryev foi chamado —e observado de perto pela KGB—para desenvolver o projeto do Instituto de Informação de Kiev, um novo palco para promoção e divulgação das principais pesquisas técnico-científicas realizadas no território soviético.

Instituto Politécnico de Minsk / Igor Esman e Viktor Anikin

Minsk, Bielorrússia, 1983

Faculty of Architecture and Construction. Image © Stefano Perego
Faculty of Architecture and Construction. Image © Stefano Perego

O compromisso sério com a educação de ponta, e a sua influencia no desenvolvimento tecnológico do Bloco Socialista, representava um dos pilares fundamentais da União Soviética. Estima-se que aproximadamente 10 a 15% do orçamento de toda a URSS foram dedicados à educação, incluindo a construção e manutenção de edifícios, salários de professores e a aquisição de equipamentos e suprimentos.

Na sociedade soviética ideal, a educação era vista como uma ferramenta para se alcançar objetivos sociais, econômicos, culturais e científicos de interesse nacional. O edifício do Instituto Politécnico de Minsk foi concebido como a materialização de um programa educacional técnico multidisciplinar, baseado na integração entre a teoria e prática. Todas as salas de aula contavam com projetores e sistemas de áudio, a escola técnica por sua vez, abrigava dois laboratórios de linguistica e três salas de aula de treinamento em programação.

Instituto de Robótica em São Petersburgo /  B. I. Artiushin e S. V. Savin

São Petersburgo, Rússia, 1968

Central Research Institute of Robotics and technical Cybernetics. Image © Wikimedia CC User AKA MBG
Central Research Institute of Robotics and technical Cybernetics. Image © Wikimedia CC User AKA MBG

Originalmente estabelecido em 1968 como Instituto de Robótica e Cibernética Técnica (RCT), o Instituto Politécnico de Leningrado — mais tarde renomeado como Universidade Politécnica Nacional de São Petersburgo—, é considerado um dos maiores centros de pesquisa de toda a Rússia. O programa de ensino do RTC estava voltado ao desenvolvimento de sistemas automatizados de controle de objetos e sistemas de telecomunicação, entre outras coisas, para garantir o domínio da Rússia no âmbito de pesquisa e viagens espaciais. Notável por sua volumetria icônica e incorporando os princípios mais elementares da arquitetura soviética, esta estrutura de concreto armado em forma de “tulipa branca” representa o coração da Universidade Politécnica de São Petersburgo.

Rádio Nacional Eslovaca / Štefan Svetko, Štefan Ďurkovič, e Barnabáš Kissling

Bratislava, Eslováquia, 1983

© Alexandra Timpau, Alex Shoots Buildings
© Alexandra Timpau, Alex Shoots Buildings

Inaugurada após dez longos anos de construção, a Torre da Rádio Nacional Eslovaca tornou-se imediatamente um dos maiores e mais importantes símbolos da arquitetura soviética. Desenvolvido como parte de um grande projeto de planejamento urbano chamado “Eixo Transversal” e implantado junto à principal avenida de Bratislava, concebida para conectar a estação de trens ao centro da cidade, o edifício da rádio eslovaca foi um dos poucos edifícios construídos neste contexto – devido a sua monumentalidade, o projeto urbano nunca chegou a ser concluído. O projeto da torre da rádio foi escolhido através de um concurso de arquitetura realizado em duas etapas entre 1962 e 1963, entretanto, a proposta vencedora foi descartada pelos investidores que preferiram passar a comissão do projeto para os terceiros colocados no concurso, os arquitetos Štefan Svetko, Štefan Ďurkovič, e Barnabáš Kissling.

Embora os investidores tenham alegado que a proposta vencedora exigiria um orçamento exorbitante e portanto, inviável, o projeto escolhido não foi nem um pouco barato. De fato, a construção da Torre da Rádio Nacional deu início a um período de altíssimos orçamentos para a construção de tais estruturas simbólicas na URSS, um momento marcado por uma vasta e abrangente exploração formal por parte dos arquitetos soviéticos. O edifício, de facto, é composto de duas pirâmides invertidas; uma pirâmide menor que abriga todas as instalações e equipamentos de transmissão, e uma estrutura maior que acolhe os espaços para as apresentações e eventos públicos. Recentemente, em 2018, o edifício foi tombado pelo instituto do patrimônio histórico eslovaco.

Palácio da Telefonia / Vasile Mitrea

Cluj, Romênia, 1969

© Wikimedia CC User Dezidor
© Wikimedia CC User Dezidor

Localizado ao lado da sede nacional dos correios e do Parque Ion Luca Caragiale, o Palácio da Telefonia usufrui de uma localização extremamente privilegiada em pleno centro histórico da cidade de Cluj, um dos principais monumentos da arquitetura modernista socialista construída na Romênia.

Originalmente um edifício de apenas três pavimentos, o Palácio da Telefonia foi construído em forma de torre de vidro coberta por uma fachada em travertino extremamente detalhada e coroada por uma estrutura vazada em concreto aparente. Posteriormente, em uma segunda etapa de construção, parte do térreo foi fechada em perfis de ferrocimento e vidro, contrapondo-se à base sólida de mármore.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Santibañez, Danae. "Arquitetura do leste europeu: superestruturas científicas" 10 Jul 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/942810/arquitetura-do-leste-europeu-superestruturas-cientificas> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.