Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. Designers projetam colônia de bambu em Marte

Designers projetam colônia de bambu em Marte

Designers projetam colônia de bambu em Marte
Designers projetam colônia de bambu em Marte, © Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

Os designers Warith Zaki e Amir Amzar criaram um projeto que busca encontrar alternativas ao material de construção tradicional para construir os primeiros assentamentos em Marte. De fato, optaram por um elemento natural da terra que compete com madeira, tijolo e concreto, elaborando um projeto em bambu.

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin © Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin © Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin © Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin + 14

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

O projeto intitulado Martian S.O.L- Seed of Life, começou questionando que tipo de material pode ser leve o suficiente para ser transportado para o planeta vermelho e se transformar em uma massa maior assim que chegasse. De fato, a planta do bambu pode suportar as duras condições marcianas e as instabilidades extremas de temperatura, sem exigir nenhum circuito de polinização para se reproduzir. Além disso, é muito provável que uma planta cresça a uma taxa maior em Marte devido à abundância de dióxido de carbono na composição de sua atmosfera. Também eficiente como fonte de alimento, o bambu é ideal como alternativa para materiais de construção em Marte.

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

A ideia de transportar materiais de construção para Marte é um pensamento horrível, os materiais de construção convencionais seriam pesados demais para serem retirados de nossa atmosfera com motores de foguete, mesmo os materiais mais leves seriam muito caros para construir um abrigo para 50 pessoas. Em 2017, Elon Musk citou um custo de US $ 140.000 por tonelada para Marte. Existe uma ideia de impressoras 3D completamente fora do regolito marciano, embora essa pareça ser a melhor solução entre outras propostas, não se sabe quais são os desafios que podem ocorrer na transformação do regolito repleto de perclorato perigoso em um material de construção confiável. Este projeto busca uma alternativa em materiais de construção em Marte. - Warith Zaki e Amir Amzar.

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

Esse raciocínio levou os arquitetos a desenvolverem a imagem de uma primeira colônia em Marte, em um local "situado na parte sul do Elysium Planitia, onde estudos de satélite indicaram gelo congelado encontrado na superfície do solo, uma possibilidade de água congelada por baixo". A seguir entenda a linha do tempo da instalação do projeto, fornecida pelos designers.

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

1. A primeira pequena equipe de exploradores chega à parte sul do Elysium Planitia para encontrar gelo congelado subterrâneo. Uma vez confirmado, a equipe envia um sinal de volta à Terra para iniciar o processo de colonização.

2. Via Hohmann Transfer Orbit (HTO), algumas cápsulas de habitat auto-implantáveis contendo brotos de bambu chegam 2 anos depois e se conectam à rede de energia existente do reator nuclear Kilopower da NASA, trazido pelos primeiros exploradores.

3. A cápsula utiliza placas de ETFE inflado para criar um ambiente pressurizado.

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

4. As paredes são desdobradas de forma autônoma e colocadas em prática por meio de robôs. A mini-magnetosfera no núcleo fornece proteção para o bambu contra a radiação cósmica. A broca de terra é usada para recuperar o gelo congelado abaixo para alimentar o bambu de crescimento rápido.

5. O bambu cresce até a altura máxima e é retirado da câmara de crescimento. Usando a técnica tradicional da Terra, os robôs drones tecem o bambu cortado em torno da membrana de ETFE.

6. A água líquida é bombeada para o bambu, a água congela sob temperaturas extremas de Marte, criando um reforço estrutural natural. O gelo congelado no interior do bambu fornece uma segunda camada de proteção contra a radiação cósmica e solar. O sinterizador de robótica instalado em torno dos pés de bambu cria uma base de subleito que poderia suportar o terremoto de Marte. Uma pesquisa realizada pela NASA indica que a densidade da atmosfera de Marte pode permitir a transmissão solar até 30º acima do horizonte. Portanto, poucas janelas são colocadas na área da fachada inferior que se abre para a vista de Marte e a estufa.

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

7. A multiplicação do habitat permite que o volume sombreado por baixo seja transformado em estufa pressurizada por meio de vedação com membrana de ETFE. A robótica escava o solo tratado em uma instalação próxima para eliminar o conteúdo perigoso de perclorato, enquanto o drone robotics 3D imprime HDPE (polietileno de alta densidade) para vedação hermética nas junções. O HDPE pode ser fabricado com materiais in situ com CO2 e água.

© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin
© Karim Moussa, Warith Zaki, Amir Amzar, Nasril Zarudin

8. Após quatro anos desde o seu início, com a ajuda de monitoramento dos primeiros exploradores, os habitats híbridos estão prontos para a chegada dos primeiros colonos. Essas 50 pessoas são compostas por cientistas, construtores e mineiros para ajudar a estabelecer os fundamentos da sociedade e economia marcianas. A estufa pressurizada feita de ETFE permite controle climático separado. Algumas seções podem ser usadas para o cultivo de alimentos, como batatas, as outras seções podem ser usadas para experimentação botânica, especialmente no cultivo de árvores de alta altitude encontradas na montanha do Pico de Orizaba, no México, que acredita-se ser capaz de sobreviver à atmosfera de Marte.

Via ArchDaily Submissions. 

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Harrouk, Christele. "Designers projetam colônia de bambu em Marte" [Designers Imagine Bamboo Colony on Mars] 08 Set 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/924172/designers-projetam-colonia-de-bambu-em-marte> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.