Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Cinza vs. Branco: 5 edifícios brutalistas em Tel Aviv

Cinza vs. Branco: 5 edifícios brutalistas em Tel Aviv

O patrimônio arquitetônico de Tel Aviv conquistou a atenção mundial por meio do reconhecimento da UNESCO pelo estilo internacional da era britânica e edifícios com influência da Bauhaus. Menos conhecida é a herança brutalista e as construções históricas da cidade projetadas nas décadas seguintes. O brutalismo desempenhou um papel significativo na esfera do design israelense da era pós Segunda Guerra Mundial. A disponibilidade barata do concreto e as capacidades de construção rápida foram adotadas na mentalidade socialista primitiva do estado para acomodar sua população em rápida expansão.

O concreto aparente do brutalismo passou a definir novas construções durante a época, desde prédios governamentais, instituições culturais, estádios esportivos até projetos habitacionais de grande escala.

Nos últimos anos, muitos dos prédios Brutalistas de Tel Aviv ganharam vida nova para uso cultural e hospitaleiro, como hotéis de luxo e museus internacionais. Abaixo estão cinco exemplos de transformações e restaurações brutalistas significativas de sanatórios e prédios de escritórios nos principais destinos de hospitalidade e cultura.

Edifício Migdalor

Edifício Migdalor. Imagem © Alex Farfuri
Edifício Migdalor. Imagem © Alex Farfuri

O icônico edifício Migdalor foi construído na década de 1970 pelos arquitetos Arieh Elhanani e Nissan Canaan e está localizado na esquina da Ben Yehuda e Allenby, a uma quadra da praia. Em 2018, o edifício de escritórios recebeu uma completa renovação interna, que compreendeu vários pavimentos, feita pelo grupo de hotelaria pioneiro de Tel Aviv, o Brown Hotels, para se tornar The Lighthouse by Brown Hotels. O hotel dispõe de 100 quartos e suítes com design lúdico e música pulsando através de seus espaços comuns. Pelo seu tamanho, o edifício oferece vistas deslumbrantes da Cidade Branca de Tel Aviv e do Mar Mediterrâneo a partir de cada ponto e culmina no 18º andar do Haiku Skybar & Lounge. Em setembro de 2019, o saguão do edifício Migdalor será transformado em WOM, o primeiro hotel em estilo de cápsulas da cidade, com 48 camas elegantes e privativas a um preço acessível.

Edifício Migdalor. Imagem © Assaf Pinchuk
Edifício Migdalor. Imagem © Assaf Pinchuk

Sanatório Mivtachim

Sanatório Mivtachim. Imagem © Itay Sikolski
Sanatório Mivtachim. Imagem © Itay Sikolski

O Sanatório Mivtachim foi originalmente construído pelo arquiteto Yaakov Rechter em 1968 e ganhou o Prêmio Israel de Arquitetura em 1973. Após anos de declínio, o projeto passou por uma restauração privada de vários milhões de dólares em 2012 transformando-se em um hotel de luxo financiado por Lily Elstein, um dos mais notáveis filantropos e colecionadores de arte de Israel. A atual reforma do Elma Luxury Arts Complex Hotel foi realizada pelo filho de Yaakov, Amnon Rechter, da Rechter Architects. O hotel possui 95 quartos, o centro de artes cênicas e acústica mais moderno de Israel, várias galerias apresentando a coleção de arte particular de Elstein, de Israeli Masters a Picasso, uma experiência gastronômica de cinco estrelas, spa e programa de residência artística ativa.

Carlton Tel Aviv

Carlton Tel Aviv. Imagem © Yaniv Dotan
Carlton Tel Aviv. Imagem © Yaniv Dotan

Outra obra icônica de Yaakov Rechter é o Carlton Tel Aviv, concluído em 1981. O brutalista e gigantesco hotel foi um dos primeiros a dominar a icônica orla marítima de Tel Aviv ao lado do Hilton Tel Aviv, a criação de Recaster em 1962 e a primeira cadeira internacional de hotéis a se instalar na cidade. Em 2016, o Carlton Tel Aviv concluiu a fase final de uma reforma de US$ 12 milhões em seus 268 quartos, piscina com vista para o mar e restaurantes no 15º andar. Os dois restaurantes da cobertura têm vista para todo o horizonte de Tel Aviv e são dirigidos pelo chef Meir Adoni, que recentemente inaugurou seu primeiro restaurante em Berlim, o restaurante Layla e NYC, Nur.

Carlton Tel Aviv. Imagem © Daniel Laila
Carlton Tel Aviv. Imagem © Daniel Laila

Museu de Arte Tel Aviv

Museu de arte Tel Aviv. Imagem © Avraham Hay
Museu de arte Tel Aviv. Imagem © Avraham Hay

Originalmente estabelecido em 1932, o Museu de Arte de Tel Aviv foi inaugurado em 1972. Projetado pelos arquitetos Dan Eytan e Yitzhak Yashar, no estilo clássico brutalista, o Museu cresceu ao longo dos anos tornando-se a instituição cultural mais importante de Tel Aviv. O Museu de Arte de Tel Aviv abriga uma coleção significativa de arte israelense, mestres europeus, arte moderna, um jardim de esculturas, uma coleção Peggy Guggenheim e murais de Roy Lichtenstein. O arquiteto americano Scott Preston Cohen projetou a ala adjacente Herta e Paul Amir em 2011, um edifício modernista e icônico que está em completo contraste com o prédio brutalista original.

Museu de arte Tel Aviv. Imagem © Amit Geron
Museu de arte Tel Aviv. Imagem © Amit Geron

Torre Shalom Meir 

Torre Shalom Meir. Imagem © Andrew Wasserstein
Torre Shalom Meir. Imagem © Andrew Wasserstein

A torre Shalom Meir, conhecida localmente em hebraico como Migdal Shalom, foi concluída em 1965 e foi o primeiro arranha-céu de Tel Aviv. No momento de sua conclusão, Meir era o prédio mais alto do Oriente Médio, com 34 pavimentos, um título que agora pertence ao Burj Khalifa de Dubai, com 163 andares. A controversa construção da torre Meir foi projetada pelos arquitetos Yitzhak Pearlstein, Gideon Ziv e Meir Levy sobre as ruínas do Herzliya Hebrew Gymnasium, em estilo eclético de 1909, a primeira escola secundária hebraica estabelecida durante o domínio otomano. O movimento provocou as atuais leis de preservação de marcos históricos de Israel. Atualmente, a Meir é sede de escritórios, juntamente com uma biblioteca municipal recentemente remodelada e uma incubadora de tecnologia com vista para a cidade. Os entusiastas da arquitetura e da história também podem visitar as exposições permanentes no saguão e nos pavimentos superiores do prédio, que apresentam a história e o desenvolvimento de Tel Aviv.

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos
Sobre este autor
Cita: Wasserstein, Andrew. "Cinza vs. Branco: 5 edifícios brutalistas em Tel Aviv" [Grey vs. White: 5 Brutalist Buildings in Tel Aviv] 05 Ago 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/922266/cinza-vs-branco-5-edificios-brutalistas-em-tel-aviv> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.