Coletivo de Arquitetos + Sofia Mazzuco (CUAC) + Gustavo Fontes projetam escola a ser construída com mutirão em Sergipe

Coletivo de Arquitetos + Sofia Mazzuco (CUAC) + Gustavo Fontes projetam escola a ser construída com mutirão em Sergipe

O projeto da Escola da Pedra Furada é uma demanda trazida por um instituto que atua em Sergipe com o objetivo de desenvolver soluções integradas entre tecnologia e processos humanos, tendo como áreas prioritárias a educação, saúde pública e economias criativas. A escola carrega a missão de trazer melhorias nos índices educacionais e econômicos do Povoado da Pedra Furada e cercanias.

O processo de desenvolvimento da Escola da Pedra Furada reverte o processo de concepção clássico de se projetar em arquitetura. Nessa inversão, a comunidade para a qual a escola se destina é capacitada a desenhar junto e influenciar na tomada de decisão do desenho; assim, os ‘arquitetos’ de formação desempenham um papel horizontal e podem, com o seu conhecimento de técnicas especializadas, traduzir as intenções colocadas pela comunidade quando esta esgota a sua gama de expressão.

Vista a partir de um dos pátios descobertos: à esquerda edificação com dois pavimentos e à direita o pátio coberto. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C
Vista a partir de um dos pátios descobertos: à esquerda edificação com dois pavimentos e à direita o pátio coberto. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C

Uma série de oficinas foram estruturadas para a concepção de projeto junto com a comunidade. Desenhos e simulações em maquetes físicas foram executadas de maneira a ordenar arquitetonicamente os desejos e necessidades da comunidade.

A construção da Escola se valerá, prioritariamente, do uso de materiais de natureza orgânica, uma forma de se adaptar à paisagem rural circundante; traz ainda uma relação com a identidade cultural construtiva dessa região litorânea de Sergipe. O projeto utiliza como sistema construtivo primário estrutura de concreto moldado in loco - fundações, pilares e vigamentos - e estrutura secundária em madeira laminada colada (MLC). Para as paredes de vedação serão utilizadas técnicas da construção com terra - Taipa de Mão e tijolos BTC. No piso, Ladrilhos Hidráulicos, acabamento encontrado nos casarões e igrejas dos tempos áureos de Santa Luzia do Itanhy.

Vista superior do conjunto edificado. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C
Vista superior do conjunto edificado. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C

Boa parte da edificação será construída pela própria população local sob o regime de mutirão, empregando, após oficinas de capacitação, tecnologias da construção contemporânea com terra.

Vista a partir da Mangueira em direção ao Pátio Coberto, bloco de Salas de Aula e Biblioteca. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C
Vista a partir da Mangueira em direção ao Pátio Coberto, bloco de Salas de Aula e Biblioteca. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C

A obra da escola deixará um legado de conhecimento para a população local, impulsionando a estruturação de um núcleo tecnológico que terá como o seu primeiro objeto de trabalho a Escola da Pedra Furada. Esse núcleo tecnológico, voltado para técnicas da construção civil, capacitará a população do município para prestar serviços de construção com terra bem como poderá produzir Tijolos BTC, Ladrilhos Hidráulicos, Elementos Vazados, entre outros materiais para a comercialização, dinamizando a economia local de forma criativa.

PROPOSTA - Áreas ajarrdinadas (A) roxo - canteiros bio-sépticos - tanque de bananeiras; (B) azul escuro - horta; (C) azul claro - pomar; (D) verde - jardim recluso das salas de aula. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C
PROPOSTA - Áreas ajarrdinadas (A) roxo - canteiros bio-sépticos - tanque de bananeiras; (B) azul escuro - horta; (C) azul claro - pomar; (D) verde - jardim recluso das salas de aula. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos + Gustavo Fontes + C.U.A.C

Proposta vencedora da categoria Edificações Institucionais, subcategoria "Projeto", da Premiação IABsp 2018 - 75 anos. Texto enviado pelos autores.

FICHA TÉCNICA

  • Arquitetos: Coletivo de Arquitetos, Sofia Mazzuco e Gustavo Fontes
  • Localização: Povoado da Pedra Furada, Santa Luzia do Itanhy, Sergipe.
  • Área: 1.686,50 m²
  • Ano de projeto e conclusão da obra: Projeto: 2018 / Obra não concluída.
  • Autores: Rodrigo Carvalho Lacerda, Guile Canhisares Amadeu, Gustavo Prado Fontes e Sofia Croso Mazzuco
  • Equipe: Diego Regis, Robernildo Araújo
  • Colaboradores: NUPPE – Núcleo de Projetos, Pesquisa e Extensão em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Tiradentes (coordenação professora Pedrianne Dantas), Andresa Oliveira (estagiária NUPPE), Annare Reis (estagiária NUPPE), Matheus dos Santos (estagiário NUPPE)

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Romullo Baratto. "Coletivo de Arquitetos + Sofia Mazzuco (CUAC) + Gustavo Fontes projetam escola a ser construída com mutirão em Sergipe" 22 Mai 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/917435/coletivo-de-arquitetos-plus-sofia-mazzuco-cuac-plus-gustavo-fontes-projetam-escola-a-ser-construida-com-mutirao-em-sergipe> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.