Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

RIBA publica manual com 10 aspectos para um bom projeto habitacional

RIBA publica manual com 10 aspectos para um bom projeto habitacional

Publicado recentemente pelo RIBA (Royal Institute of British Architects), "dez características dos lugares onde as pessoas querem viver" apresenta uma série de estudos de caso que ilustram elementos de projetos contemporâneos de habitações coletivas. Esta documentação serve para melhor identificar e analisar elementos específicos e bem sucedidos de projetos existentes, os quais podem ser facilmente incorporados e adaptados à novos projetos, não apenas no Reino Unido, mas em qualquer lugar do mundo.

O estudo foi concebido para evidenciar a relação direta existente entre um bom projeto de arquitetura e a qualidade final da obra construída, principalmente quando se trata de habitação social. Cada exemplo utilizado procura ilustrar como pode ser fácil adaptar e replicar conceitos de um bom projeto de arquitetura.

via HTA © Tim Crocker via Proctor + Matthews Architects © Kilian O'Sullivan + 11

“Os elementos necessários para o desenvolvimento de um bom projeto de arquitetura são muitas vezes negligenciados. É por isso que decidimos abordar este tema, com o intuito de melhorar a qualidade dos edifícios que estamos projetando e construindo. Um projeto de qualidade é essencial, mas só isso não basta, é preciso considerar uma série de outros fatores, como gerenciamento, financiamento e construção”.
- Ben Derbyshire, Presidente do RIBA

© Tim Crocker
© Tim Crocker

1. O lugar certo para cada projeto

© Jack Hobhouse
© Jack Hobhouse

A localização geralmente desempenha um papel fundamental, se não o mais importante, em cada projeto de habitação coletiva. Um entorno visualmente agradável pode até parecer perfeito, mas estar próximo de serviços locais existentes, como escolas, parques, centros comerciais e oportunidades de emprego é muito mais importante que qualquer outra coisa. O "lugar certo" também deve estar conectado ao sistema de transporte público - e consequentemente conectada os centros sociais, culturais e econômicos da cidade.

2. Um lugar para começar e um lugar para ficar

© Tim Crocker
© Tim Crocker

O estudo descreve detalhadamente a importância do bairro para o sucesso de cada empreitada. A idéia de vizinhança incorpora uma série de usos e apropriações de espaços públicos como estratégias de interação e inclusão social, coesão e  resiliência de uma comunidade. Um projeto de habitação social bem sucedido não apenas fornece uma moradia, um abrigo, mas deve fazer parte de um "lugar muito mais completo", um lugar que ofereça áreas de uso misto, além de comércio, serviços e espaços de socialização e relaxamento. Comodidades de uso comum, quando compartilhadas, funcionam como pilares de uma vida comunitária inclusiva que permite às pessoas assumirem a propriedade coletiva destes espaços.

3. Um lugar que promova o sentido de pertencimento 

© Daniel Hopkinson
© Daniel Hopkinson

Edifícios podem transformar a identidade visual de uma bairro, modificar seu contexto ambiental, social e histórico. Esses elementos construídos contribuem para a criação de um "senso de lugar coerente, autêntico e único". Projetos de arquitetura deste tipo devem respeitar e melhorar o contexto onde estão inseridos, complementando a paisagem construída existente.

4. Um lugar para viver em meio à natureza

A paisagem natural é uma parte crucial de nossas cidades. Novos projetos de habitação devem considerar seu contexto natural existente e respeitar suas características ambientais, preservar os habitats e a biodiversidade existentes. Seus moradores devem ter acesso à natureza e as áreas verdes disponíveis. Há uma enorme variedade de áreas verdes, como parques, praças e jardins, espaços que incentivam a interação em comunidade, a horticultura e o contato com à natureza.

5. Um lugar para desfrutar da vida e se orgulhar dela

© Kilian O'Sullivan
© Kilian O'Sullivan

Empreendimentos deste tipo devem ser concebidos a partir de diferentes "princípios de hierarquia dentro da paisagem urbana", levando em consideração a sua escala, sua composição, vistas e eixos visuais. Edifícios maiores são utilizados como elementos de referencia dentro da paisagem urbana. Uma maior diversidade em escala e projeto pode criar um contraste importante com a paisagem existente, criando uma narrativa espacial que favoreça à ambos.

6. Um lugar onde as pessoas possam escolher suas casas

via HTA
via HTA

A maioria dos edifícios deveriam ser projetados para serem flexíveis e adaptáveis, respondendo a condição natural do homem, que se transforma com o tempo. O estudo desenvolvido pelo RIBA destaca que "capacitar as comunidades a participar do processo de projeto e construção de suas próprias casas tem o potencial de transformar a vida das pessoas, resultando em moradias de melhor qualidade e que atendam diretamente às necessidades de seus moradores".

7. Um lugar único e com o qual as pessoas possam se identificar

via Proctor + Matthews Architects
via Proctor + Matthews Architects

"Autentico e agradável de se viver, um lugar que se encaixa no tecido urbano existente, respeitando e interagindo com a paisagem existente mas sem deixar de assumir a sua própria identidade." Estas não são características de um projeto de habitação qualquer, que possa estar "em qualquer lugar"; Estes são projetos que levam em consideração o seu contexto, que através dele moldam suas identidades estruturais. O sentido de pertencimento também permite reforçar a individualidade das pessoas. Elementos arquitetônicos pessoais incluem varandas, terraços e outros elementos formais. Aberturas podem ser dimensionadas e organizadas de modo a criar um equilíbrio agradável na fachada, e ainda pode contribuir com a individualidade dentro da totalidade.

8. Um lugar onde as pessoas se sintam em casa

© Tim Crocker
© Tim Crocker

Interiormente, as unidades devem ser proporcionais e bem organizadas, geralmente utilizando uma circulação de fluxo livre, oferecendo também espaços de encontro e de privacidade. O acabamento pode ficar por conta dos moradores, de modo que interiormente cada família possa facilmente personalizar a sua casa com a sua cara, ainda que na escala da cidade o edifício possua uma aparência mais controlada.

9. Sustentabilidade para futuras gerações

via HTA
via HTA

"Projetos sustentáveis não apenas desempenham um papel importantíssimo no controle das emissões de gás carbônico, mas são um legado do qual as próximas gerações poderão se orgulhar." Nos dias de hoje, edifícios sustentáveis e eficientes em termos de recursos energéticos têm uma maior probabilidade de atrair potenciais moradores. Esses projetos habitacionais devem considerar diferentes estratégias de redução de consumo, desde uso compartilhado de automóveis à geração de energia e redução de resíduos. Estacionamentos inovadores, adaptáveis a uma futura redução no número de veículos também pode afetar diretamente um projeto de arquitetura.

10. Um lugar onde as pessoas possam prosperar

© Tim Crocker
© Tim Crocker

Um bom projeto de arquitetura pode ter um impacto bastante positivo na qualidade de vida das pessoas, criando ambientes mais saudáveis, mais confortáveis e mais espaçosos. Um bom projeto de arquitetura pode otimizar a iluminação natural, a condições de ventilação e com isso beneficiar seus moradores tanto física quanto mentalmente. As aberturas também podem ser pensadas de forma a privilegiar vistas assim como resguardar a privacidade de sus moradores.

Via RIBA

Sobre este autor
Cita: Lindsay Duddy. "RIBA publica manual com 10 aspectos para um bom projeto habitacional" [RIBA Publishes 'The Ten Primary Characteristics of Places Where People Want to Live'] 04 Nov 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/904960/riba-publica-manual-com-10-aspectos-para-um-bom-projeto-habitacional> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.