Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Edifícios De Escritórios
  4. Chile
  5. Juan Borchers
  6. 1962
  7. Clássicos da Arquitetura: Edifício Copelec / Juan Borchers + Jesús Bermejo + Isidro Suárez

Clássicos da Arquitetura: Edifício Copelec / Juan Borchers + Jesús Bermejo + Isidro Suárez

Clássicos da Arquitetura: Edifício Copelec / Juan Borchers + Jesús Bermejo + Isidro Suárez
Clássicos da Arquitetura: Edifício Copelec / Juan Borchers + Jesús Bermejo + Isidro Suárez

Após o terremoto que destruiu Chillán, iniciou-se uma longa etapa de reconstrução, durante a qual a arquitetura moderna invadiu a cidade. O edifício da Cooperativa Elétrica de Chillán (Copelec), localizado na Rua Maipón, é considerado uma das obras mais importantes da época. O edifício foi projetado pelo escritório de Juan Borchers, formado pelos arquitetos Juan Borchers, Jesús Bermejo e Isidro Suárez em 1962. É uma das poucas obras construídas por Borchers (1910-1975) sendo, juntamente com a Casa Meneses, sua obra mais emblemática.

Declarado Patrimônio Histórico em 2007, esta obra é baseada nas abordagens modernistas de Le Corbusier, mas inclui uma contribuição original graças à análise crítica dos arquitetos, resultando em uma obra emblemática da arquitetura moderna chilena. Isso se reflete na forma como o trabalho é construído a partir de elementos arquitetônicos e um delicado cuidado com a espacialidade, contando com o inovador trabalho de luz em seu interior.

© Flicker user: Mo*O.SuRreal © Alejandra Mora © Alejandra Mora © Flicker user: Mo*O.SuRreal + 36

Este projeto foi encomendado pela Cooperativa a Isidro Suárez, que estava encarregada do anteprojeto do edifício, uma vez que Borchers se encontrava na Europa. Após seu retorno ao Chile em 1961, Borchers aceitou os princípios para a distribuição geral das primeiras soluções, mas submeteu o projeto a várias modificações:

  • Uso de um único material, o concreto armado;
  • Um traçado e controle dimensional, da totalidade ao detalhe;
  • O desenvolvimento e conversão de cada elemento do projeto no que ele chamou de "projeto elementar", capaz de desenvolvimento próprio e aberto, dentro do curso da execução material;
  • Em relação aos esforços sísmicos (absorvidos na direção Norte Sul pela divisão de paredes e Leste Oeste por estruturas de aço) proporcionando transparência no sentido longitudinal do projeto;
  • Introdução de um elemento que parecia exceder a magnitude do projeto, a rampa.

© "Lo Plástico, Plástica, Cosas General"
© "Lo Plástico, Plástica, Cosas General"

© "Lo Plástico, Plástica, Cosas General" © "Lo Plástico, Plástica, Cosas General" © "Lo Plástico, Plástica, Cosas General" © "Lo Plástico, Plástica, Cosas General" + 36

O concreto aparente permitiu que a construção de aproximadamente 630 metros quadrados tivesse uma inovação plástica em seu projeto. Na obra pode-se ver formas quase esculpidas, perfurações precisas, espaços interiores que fazem parte de um todo e uma fachada que dá um caráter único à rua onde está localizado. O edifício respeita a fachada contínua, prolongando o desenvolvimento da trama existente, profundamente enraizada entre os habitantes de Chillán.

© Flicker user: Fernando Leiva
© Flicker user: Fernando Leiva

O edifício materializa anos de estudo de Juan Borchers em torno das proporções, número e geometria. Ele se refere a plástica com estas palavras:

"Harmonia é o momento de discordância com o eixo no qual o homem está centrado, contrariando as leis do universo, obriga-nos a deixar a ordem geral, isso dará uma explicação das causas do choque, da paralogização que inibe e pára cada instante para o observador, forçando-o a sair de si mesmo, de sua inércia natural.

© Alejandra Mora
© Alejandra Mora

No interior, as superfícies das paredes foram usadas para gerar um conjunto de luzes, e no exterior se destacam: a) o desenho da fachada como um filtro de luz; b) a forma curva de superfícies em dupla curvatura, como a escada e a parede de acesso.

O trabalho delicado com a luz e seus reflexos mostram a preocupação em responder às condições do lugar e da orientação, onde cada uma das aberturas foi pensada para inundar o interior tanto diretamente quanto através de reflexos, dependendo do uso de cada espaço. As fachadas mostram a delicadeza de seu tratamento, denotando o grande trabalho que os arquitetos tiveram em todas as escalas do projeto. A fachada sul é muito lisa, ao contrário da norte, contendo um volume para uma melhor captação de luz, dependendo da orientação de cada espaço interior.

© Alejandra Mora
© Alejandra Mora

Este importante edifício na cidade de Chillán incorporou conceitos modernos como a escala humana, o uso do concreto aparente, a formulação de um único volume - um paralelepípedo abstrato e puro - com algumas variações ortogonais que geram tensão nas perspectivas às quais confronta o visitante no percurso interior.

© Alejandra Mora
© Alejandra Mora

O edifício foi mantido em boas condições ao longo dos anos. Em 2013, Jesús Bermejo mostrou-se interessado em terminar os 5% do edifício, o que, devido à falta de recursos, não foi possível nos anos 60. A equipe executiva da Copelec (dona do edifício) ficou entusiasmada em levar adiante essa ideia e mais tarde a Direção de Arquitetura levantou o projeto de conclusão e restauração do prédio com o Bermejo como gerente. Essa transformação contemplou a recuperação total do prédio, eliminou definitivamente os escritórios da Copelec e destinou o edifício para abrigar o novo "Centro Artístico e Cultural Copelec", além de um Museu Elétrico que expõe os tesouros dessa cooperativa.

© Alejandra Mora
© Alejandra Mora

Em suma, este renomado grupo de arquitetos desenvolveu um trabalho que se adapta a todas as escalas que o cercam, incorporando valores arquitetônicos, artísticos e urbanos, materializando um edifício único no Chile.

Referências

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: Yunis, Natalia. "Clássicos da Arquitetura: Edifício Copelec / Juan Borchers + Jesús Bermejo + Isidro Suárez" [Clásicos de Arquitectura: Edificio Copelec / Juan Borchers + Jesús Bermejo + Isidro Suárez] 04 Set 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Pereira, Matheus) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/901301/classicos-da-arquitetura-edificio-copelec-juan-borchers-plus-jesus-bermejo-plus-isidro-suarez> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.