O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Arquitetura Comercial
  4. Espanha
  5. Alberto Campo Baeza
  6. 2001
  7. Clássicos da Arquitetura: Caja Granada Savings Bank / Alberto Campo Baeza

Clássicos da Arquitetura: Caja Granada Savings Bank / Alberto Campo Baeza

Clássicos da Arquitetura: Caja Granada Savings Bank / Alberto Campo Baeza
Clássicos da Arquitetura: Caja Granada Savings Bank / Alberto Campo Baeza, © Estudio Arquitectura Campo Baeza
© Estudio Arquitectura Campo Baeza

A cidade de Granada no sul da Espanha tem uma boa reputação por seu patrimônio arquitetônico. Entre suas preciosidades estão a Alhambra e o Generalife, dois dos melhores triunfos da cultura mourisca, além de inúmeras obras de linhagem européia dos séculos seguintes à Reconquista. Desde 2001 Granada tem sido capaz de reivindicar um dos melhores projetos espanhóis contemporâneos, bem como o Caja Granada Savings Bank, projetado pelo estabelecido arquiteto Alberto Campo Baeza.

O brilho translúcido da fina parede de alabastro dos escritórios do norte. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza © Estudio Arquitectura Campo Baeza O vidro exterior nos perfis do sul é recuado por trás da moldura extrudada para protegê-lo da luz solar direta. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza © Estudio Arquitectura Campo Baeza + 13

Como muitos dos projetos de Campo Baeza, o Caja Granada é um exercício de precisão e controle, no qual o projeto totalizante domina elementos naturais e artificiais com excepcional clareza. Sofisticado, mas não espalhafatoso, complexo, mas não complicado, sua simplicidade enganosamente minimalista é ainda uma festa para os sentidos, o epítome do toque pessoal de Campo Baeza para o drama da subavaliação.

© Estudio Arquitectura Campo Baeza
© Estudio Arquitectura Campo Baeza

O corpo arquitetônico do projeto repousa em um cubo - como um volume que senta sobre um embasamento maciço, artificial - como uma escultura em um estande de exposição. Suas linhas intocadas e prateleiras de concreto regimentadas transmitem um pouco do calor tão típico da arquitetura do sul da Espanha. É uma estrutura alienígena, fortificada contra o exterior, recuando para si própria por trás da solidez das paredes reforçadas. Mas, mesmo em sua devota e quase obstinada adesão a um grid onipotente, trai uma vitalidade intelectual que tempera a pura racionalidade com um toque humano, manifestada particularmente nas assimetrias e irregularidades de sua massa interior.

O vidro exterior nos perfis do sul é recuado por trás da moldura extrudada para protegê-lo da luz solar direta. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza
O vidro exterior nos perfis do sul é recuado por trás da moldura extrudada para protegê-lo da luz solar direta. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza

Nas fachadas sul, o grid vertical encontra expressão através de sua extrusão através de uma parede de vidro, e atua como um brise soleil que protege os escritórios interiores da luz solar sul severa. A matriz visível de três metros é idêntica à grade horizontal que rigidamente dita a organização das divisórias interiores e exteriores. As conexões sem emendas e o alinhamento preciso criam um perfil tão rigidamente planar, tão desprovido de variação e articulação, que os nichos quadrados parecem ter sido milagrosamente esculpidos em um único bloco monolítico de concreto que constituiu a forma primordial do edifício. As pesadas sombras das cavidades apenas aguçam a forte leitura do recuo das janelas na escuridão.

Planta Baixa - Pavimento Térreo. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza
Planta Baixa - Pavimento Térreo. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza

No perfil esculpido encontramos uma premonição precoce do abismo espetacular que se encontra dentro do bloco. Um átrio central, vasto, no núcleo do edifício, aberto ao sol pela claraboia, inverte o olhar dos escritórios vizinhos ao espaço aberto dentro. O chão desta imponente caverna é o coração do projeto, o verdadeiro palco sobre o qual se desenrola o drama arquitetônico de Campo Baeza. A partir deste ponto de vista, a interação de elementos estruturais - as linhas fortes das vigas do teto, apoiadas sem esforço por quatro poderosas colunas de concreto e impenetráveis paredes de pedra - estão se movendo. Aqui o arquiteto executa a quase impossível reconciliação da limpeza, da ordem, da complexidade e da verdadeira honestidade estrutural: minimalismo, talvez, mas com uma alma humana.

Mobiliário mínimo evita a distração do concreto. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza
Mobiliário mínimo evita a distração do concreto. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza

Paredes de concreto e alabastro, estoicas e reservadas em sua neutralidade monocromática, obviam a distinção condicional entre exterior e interior e conspiram com a ilusão de um prédio inteiramente feito a partir de um único bloco. Mas nesse espaço a homogeneidade material encontra-se sujeita à dramática variação atmosférica à medida que as fontes e qualidades de luz flutuam. Durante as horas mais escuras, as paredes de alabastro semi-translúcidas brilham fracamente por trás, iluminadas pelos escritórios do norte com um resplendor impressionante reminiscente dos painéis de mármore na Biblioteca Beinecke, de Bunshaft. Em dias de luz direta, o calor da luz solar transforma o átrio com todo o contraste e espetáculo de uma catedral cavernosa européia iluminada apenas pelas escassas, mas brilhantes, janelas de seu clerestório.

O brilho translúcido da fina parede de alabastro dos escritórios do norte. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza
O brilho translúcido da fina parede de alabastro dos escritórios do norte. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza

E não há banco que chegue mais próximo de Deus do que neste espaço sagrado - esta catedral do capital - cujo foco parece viajar para o céu pelos maciços pilares centrais e na luz. Como a sensação deliberadamente perseguida e replicada em toda a cristandade medieval, este interior monumentalmente "exagerado" faz o visitante individual sentir-se pateticamente pequeno, como se para humilhar - em meio à presença da grandeza.

© Estudio Arquitectura Campo Baeza
© Estudio Arquitectura Campo Baeza

Característica da obra de Campo Baeza, a Caja Granada não é uma exploração em linguagens arquitetônicas desnecessariamente inventivas; é o produto de sua capacidade de reorientar e melhorar os vocabulários estabelecidos, combinando lições sobre luz e escala da história com as práticas materiais e estruturais dos dias de hoje. Mesmo na sua retórica moderna, não sofre nenhuma desconexão espiritual com a sensibilidade secular do design europeu, para não cometer um erro: esta é a arquitetura gótica no estilo moderno, a religião para o economista do século XXI.

© Estudio Arquitectura Campo Baeza
© Estudio Arquitectura Campo Baeza

[1] “Caja Granada Savings Bank.” Estudio de Arquitectura Campo Baeza. Acesso em 29 de Janeiro de 2015 em http://www.campobaeza.com/wp-content/uploads/2001/01/2001_CajaGranada_PDF-web.pdf.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Alberto Campo Baeza
Escritório
Cita: Langdon, David. "Clássicos da Arquitetura: Caja Granada Savings Bank / Alberto Campo Baeza" [AD Classics: Caja Granada Savings Bank / Alberto Campo Baeza] 19 Dez 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/801723/classicos-da-arquitetura-caja-granada-savings-bank-alberto-campo-baeza> ISSN 0719-8906