Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

David Langdon

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Clássicos da Arquitetura: Sala de Concertos de Limoges / Bernard Tschumi Architects

Para aqueles que estão familiarizados com o trabalho mais icônico de Bernard Tschumi, a Sala de Concertos de Limoges pode parecer uma saída incrivelmente convencional dos projetos radicais e intensivamente teóricos que introduziram o arquiteto suíço. Nesse sentido, a clareza visual do projeto não provoca os mesmos discursos complexos sobre a violência arquitetônica e o erotismo que guiavam suas buscas iniciais e certamente é uma evolução mais funcional da sua polêmica quanto aos espaços não programáticos exibidos no Parc de la Villete. Por outro lado, o conceito e a forma de Limoges não são nenhuma novidade, emergindo quase que na totalidade de um protótipo de sala de concertos que Tschumi desenvolveu no final da década de 1990 para uma situação similar em Rouen. Mas Limoges é importante por outros motivos: além de suas escolhas materiais e espaciais, é uma das ilustrações mais articuladas das explorações de movimento e fechamentos de Tschumi - "vetores e envoltórias" - que informam muito do seu trabalho recente.

O volume do auditório é distribuída em finas colunas que penetram no foyer. Cortesia de Bernard Tschumi Architects Cortesia de Bernard Tschumi Architects Maquete digital em corte que demonstra sistemas estruturais e múltiplas camadas de fechamento. Cortesia de Bernard Tschumi Architects Cortesia de Bernard Tschumi Architects + 8

Clássicos da Arquitetura: Caja Granada Savings Bank / Alberto Campo Baeza

A cidade de Granada no sul da Espanha tem uma boa reputação por seu patrimônio arquitetônico. Entre suas preciosidades estão a Alhambra e o Generalife, dois dos melhores triunfos da cultura mourisca, além de inúmeras obras de linhagem européia dos séculos seguintes à Reconquista. Desde 2001 Granada tem sido capaz de reivindicar um dos melhores projetos espanhóis contemporâneos, bem como o Caja Granada Savings Bank, projetado pelo estabelecido arquiteto Alberto Campo Baeza.

O brilho translúcido da fina parede de alabastro dos escritórios do norte. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza © Estudio Arquitectura Campo Baeza O vidro exterior nos perfis do sul é recuado por trás da moldura extrudada para protegê-lo da luz solar direta. Imagem © Estudio Arquitectura Campo Baeza © Estudio Arquitectura Campo Baeza + 13

Clássicos da Arquitetura: Assembléia Nacional do Kuwait / Jørn Utzon

Nenhuma tipologia de edifício revela tanto sobre a cultura política de uma nação como a sede de seu governo. Estruturas parlamentares ou palacianas podem contar histórias de expansão burocrática, excesso autocrático, abertura democrática, e qualquer outra coisa relacionada. O Edifício da Assembleia Nacional do Kuwait, casa do legislativo eleito pelo voto popular, não é exceção. Muito parecido com o governo nomeadamente democrático que hospeda, o projeto projeta conflitantes mensagens de acessibilidade e modernidade regionalista, referenciando tradições que não necessariamente existem no país e, às vezes, terminam em contradição direta com ele mesmo. Como um emblema da cultura política, o edifício é, portanto, talvez muito preciso em sua leitura da história do Kuwait, produzindo uma visão reveladora no tecido político complexo do país através da sua própria bricolage eclética de ideias.

Ornamentação das esquadrias da Sala de Debates. Imagem © Jeffrey van der Wees Detalhe da cobertura sobre a praça pública. Imagem © Jeffrey van der Wees Corredor Interno. Imagem © Jeffrey van der Wees Corte através da Câmara + 16

Clássicos da Arquitetura: Biosfera de Montreal / Buckminster Fuller

Arquitetos nunca tiveram uma posição de mais suprema proeminência do que na visão de Buckminster "Bucky" Fuller. Para ele, apenas os arquitetos eram capazes de compreender e navegar as complexas inter-relações da sociedade, tecnologias e meio ambiente, visto através do paradigma compreensivo da teoria dos sistemas. A arquitetura, neste modelo, era destinada a existir em contato estreito com tanto a humanidade como a natureza, exercendo o papel mais crítico da civilização em elevar o estado da humanidade e promover sua gestão responsável do meio ambiente. Emergindo da positividade ética do modernismo do pós-guerra, esta perspectiva meliorista marca, talvez, o auge da ascensão do otimismo no pensamento de meados do século XX, e deu a Fuller um diagrama exclusivamente moral para seus projetos revolucionários.

© Flickr user Ehsan © Flickr user Ehsan © Flickr user Richard Winchell © Flickr user Rodrigo Maia + 12

Clássicos da Arquitetura: Biblioteca Geisel / William L. Pereira & Associates

A estranha forma da Biblioteca Geisel na Universidade da Califórnia, San Diego, parece condizente com o cenário de um filme de ficção científica. O edifício ocupa um vínculo fascinante entre brutalismo e futurismo que seu arquiteto, William Pereira, intrepidamente perseguiu ao longo de sua carreira. Com seus robustos pilares de concreto e fechamentos em vidro, a biblioteca lindamente ocupa um estado ambíguo entre solidez e levitação, como se os andares superiores tivessem apenas sido colocados em sua base e pudessem ser levantados novamente a qualquer momento. A tensão entre essas duas condições dá à biblioteca uma aparição sobrenatural e fornece uma declaração surpreendente sobre o poder criador e imaginativo do arquiteto.

© Flickr user domc © Darren Bradley © Flickr user 3n Planta Baixa - 6º Pavimento + 14

Clássicos da Arquitetura: Pavilhão Alemão da Expo 67 / Frei Otto e Rolf Gutbrod

O ponto de inflexão crucial na carreira do falecido Frei Otto - agraciado com o Prêmio Pritzker no ano de 2015 - veio quase cinquenta anos atrás, na Expo 67 em Montreal, Quebec. Em colaboração com o arquiteto Rolf Gutbrod, Otto foi o responsável pelo pavilhão de exposições da Alemanha, uma estrutura de cobertura tensionada que levou seus experimentos de arquitetura leve para o palco internacional pela primeira vez. Juntamente com a Biosfera de Fuller e o projeto Habitat 67, de Moshe Safdie, o pavilhão alemão fazia parte da demonstração da arquitetura moderna da Expo, do potencial da tecnologia, pré-fabricação e produção em massa para gerar uma nova direção humanitária para a arquitetura. Esta coleção notável na Expo foi tanto o auge do otimismo moderno, como sua queda trágica; o mundo nunca havia visto uma exposição tão singularmente esperançosa de arquitetura inovadora.

Maquete de estudo de pesquisa da forma. Imagem © Frei Otto Interior do Pavilhão Alemão durante a Expo 67. Imagem © Frei Otto © Frei Otto Iluminação durante a noite. Imagem © Frei Otto + 5

Clássicos da Arquitetura: Museu Nacional de Arte Romana / Rafael Moneo

Os arcos foram amplamente utilizados para marcar as maiores conquistas da civilização romana. Constantino, Tito e Septimus Severus construíram-nos para comemorar suas vitórias militares. Engenheiros em Segóvia e Nîmes incorporaram-nos em seus aquedutos revolucionários. E mil e quinhentos anos após a queda de Roma, Rafael Moneo deu um toque moderno à incrível estrutura antiga do Museu Nacional de Arte Romana de Mérida, localizado no local do antigo posto Ibérico de Emerita Augusta. Arcadas elevadas de arcos simples, semi-circulares, mesclam historicidade e projeto contemporâneo, criando um acesso impressionante às ruínas de uma das maiores cidades do Império Romano.

© Flickr user Manuel Ramirez Sanchez A luneta da entrada. Imagem © Flickr user Tomas Fano Imagem © Flickr user Guzman Lozano © Flickr user Daniel Sancho + 16

Clássicos da Arquitetura: Biblioteca Nacional da França / Dominique Perrault Architecture

Nas margens do rio Sena, a leste da Île de la Cité, centro de Paris, estão as quatro torres cintilantes da Biblioteca Nacional da França. Dobradas em torno do perímetro de uma esplanada pública, o projeto é a versão moderna de Dominique Perrault para a tradição parisiense milenar de arquiteturas públicas monumentais. O projeto é tanto volume como vazio, fechamento e exposição, uma justaposição de ideias contrastantes e que é, ao mesmo tempo, muito respeitoso do seu lugar, seu legado milenar, como também uma auto-crítica deliberada.

© Davide Galli © Davide Galli © Davide Galli © Davide Galli + 35

Clássicos da Arquitetura: Centro de Artes Wexner / Peter Eisenman

Antes mesmo de ser concluído, o crítico do New York Times, Paul Goldberger apelidou o Centro de Artes Wexner como "O Museu que a teoria construiu." [1] Levando em conta o seu arquiteto, esse epíteto não foi uma surpresa ;Peter Eisenman, responsável pelo projeto, tinha passado a maior parte de sua carreira destilando a forma arquitetônica em uma ciência teórica. Foi com enorme expectativa que este edifício, a primeira obra pública importante da carreira de Eisenman, foi inaugurado em 1989. Para alguns, o projeto anunciou uma validação do desconstrutivismo e teoria, enquanto os seus problemas forneceram munição para outros que viam teoria e prática como atividades complementares, mas divergentes. A recepção popular do edifício foi igualmente mista, mas sua influência e intriga na comunidade acadêmica foi tão pronunciada e inconfundível como o próprio projeto.

© Flickr user joevare © Flickr user plemeljr © Flickr user joevare © Flickr user joevare + 12

Clássicos da Arquitetura: Terminal Internacional de Passageiros de Yokohama / Foreign Office Architects (FOA)

A triunfal recepção da crítica com o Terminal Internacional de Passageiros de Yokohama foi produto de uma metodologia inventiva de arquitetura e um pensamento socialmente consciente. Projetado pelo Foreign Office Architects (FOA), em 1995, o terminal futurista representou uma tipologia emergente de infraestruturas de transporte. O seu design radical, hiper-tecnológico, explorou novas fronteiras das formas arquitetônicas e, simultaneamente, provocou um discurso veemente sobre a responsabilidade social dos projetos de grande escala para enriquecer espaços urbanos.

© Satoru Mishima / FOA © Satoru Mishima / FOA © Satoru Mishima / FOA © Satoru Mishima / FOA + 22

Clássicos da Arquitetura: Parlamento Escocês / Enric Miralles

Dez anos após sua conclusão, a reputação do edifício do Parlamento Escocês vem sendo finalmente redefinida. Entre os arquitetos e a elite acadêmica, ele tem sido tratado como uma obra-prima do modernismo abstrato e, talvez, o melhor trabalho na curta carreira de Enric Miralles. Para o público em geral, no entanto, inicialmente foi conhecido pela infâmia de ter atrasado, estourado o orçamento, e por ter sido projetado por um arquiteto não escocês. Só agora começa a receber a aceitação que merece do público, enquanto o gênio da arquitetura emerge da sombra de seu processo construtivo envolvido em polêmicas.

© Dave Morris Photography Câmara de Debates. © Wikimedia Commons - Mogens Engelund © Scottish Parliamentary Corporate Body - 2012 Edifício de Escritórios MSP. © Scottish Parliamentary Corporate Body - 2012 + 14

Clássicos da Arquitetura: Centro Cultural Jean-Marie Tjibaou / Renzo Piano

Sydney. Bilbao. Nouméa? Essas cidades são conhecidas, popularizadas, e foram revitalizadas por uma única intervenção estrangeira da arquitetura moderna. O fenômeno pelo qual isso ocorre, muitas vezes apelidado de "Efeito Bilbao", em referência ao museu icônico de Frank Gehry, é uma das contribuições mais fascinantes e desejadas da arquitetura moderna para o desenvolvimento econômico.

Nouméa - a capital da ilha do Pacífico da Nova Caledônia - pode parecer um desajuste na lista para aqueles que ainda não ouviram falar dela, mas certamente não é: dezesseis anos após a conclusão do Centro Cultural Tjibaou de Renzo Piano, o efeito econômico de transformação do projeto na cidade de Nouméa não foi menos dramático do que o de qualquer casa de ópera ou museu de maior renome tenha sido. Desde a conclusão do centro cultural, a Nova Caledônia encontrou-se no centro das atenções internacional de arquitetura, já que o design efêmero das conchas icônicas do edifício trouxe fama e oportunidades de negócios tanto para a ilha quanto para a empresa de Piano.

© Flickr user xyotiogyo © Flickr user Eustaquio © Flickr user saturnino Planta Baixa + 12

Clássicos da Arquitetura: Igreja Cristã / Eero Saarinen

© Hassan Bagheri
© Hassan Bagheri

Saindo da rodovia que leva à cidade de Columbus, Indiana, o mais esbelto dos pináculos surge sobre o topo das árvores. Com apenas uma pequena cruz de ouro no topo que sugere sua finalidade, a torre parece pertencer a outro mundo, com um gesto expressivo que alcança o céu e se estende para muito além de sua ponta visível. À medida que os visitantes aproximam-se, a base da torre desdobra-se e funde-se à terra, subsumindo e metafisicamente reduzindo a distância entre o céu e a terra.

Óculo. Imagem © Flickr user noktulo © Hassan Bagheri © Hassan Bagheri Planta de Cobertura + 12

Clássicos da Arquitetura: Casa "Il Girasole" / Luigi Moretti

Como um estudioso de arquitetura descreveu, a Casa "Il Girasole", de Luigi Moretti, 1950, é "um pouco de loucura na solidez das muralhas romanas." [1] No entanto, este edifício de apartamentos no coração de Roma está longe de ser o trabalho de um louco. Suas sutis alusões históricas e composições deliberadamente ambíguas revelam o gênio da mente criativa e analítica do arquiteto. Moretti, cujas notáveis obras incluem Villa La Saracena (1957), a Torre da Bolsa de Valores de Montreal (1964), e o Watergate Complex (1971), alcança uma complexidade formal e material em "Il Girasole", projeto que se distingue dos seus contemporâneos de meados do século XX, reconhecido como um dos primeiros precursores do pós-modernismo.

© flickr user giuliomenna Fachada Sudoeste. Imagem © flickr user trevorpatt Detalhe do Material. Imagem © flickr user zioscuro Saguão. Imagem © flickr user giuliomenna + 9

Clássicos da Arquitetura: Estande de Tiro com Arco Olímpico / Enric Miralles & Carme Pinos

Para arquitetos, este é um projeto talvez mais reconhecível em planta do que em fotografias. A complexidade rítmica deslumbrante dos desenhos construtivos para o Estande de Tiro com Arco para as Olimpíadas de Barcelona, concluído em 1991, trouxe mais fama aos Jogos Olímpicos de 1992 do que qualquer flecha arremessada em seu interior. Os desenhos mostram uma sobreposição de curvas orgânicas e formas retilíneas trabalhando em harmonia sublime, produzindo uma composição que claramente transmite tanto o conceito dos arquitetos e o processo pelo qual foi desenvolvido. Surpreendentemente, o projeto não é menos espetacular ao vivo do que no papel, e sua conclusão ajudou a lançar a parceria de marido e mulher, de Enric Miralles e Carme Pinós, para o estrelato internacional.

Cortesia dos arquitetos Pavilhão de Competição. Image © Dieter Janssen, DJA Detalhe do Pavilhão de Treinamento. Image © Dieter Janssen, DJA © Dieter Janssen, DJA + 17

Clássicos da Arquitetura: Pavilhão de Portugal na Expo 98 / Álvaro Siza Vieira

No Pavilhão Português da Expo 98, estrutura e forma arquitetônica trabalham em graciosa sintonia. Situado na foz do rio Tejo, em Lisboa, Portugal, o coração do projeto é uma enorme cobertura de concreto, incrivelmente fina, que se apoia, sem esforço, entre dois pórticos robustos, enquadrando uma vista dominante da água. O movimento simples, gestual, é ao mesmo tempo leve e poderoso, uma solução arquitetônica arrojada para o problema comum da praça pública coberta.

© flickr user bricolage 108 © flickr user Paulo Guerra © flickr user Valentina Innocente © Dacian Groza + 12

Em foco: Konstantin Melnikov

Conhecido pelos projetos do Clube de Operários Rusakov e de sua própria casa, o arquiteto e pintor russo Konstantin Melnikov (3 de agosto de 1890 - 28 de novembro de 1974) apenas recentemente recebeu o reconhecimento que merecia. Rejeitado pelo establishment arquitetônico da União Soviética, terminou sua carreira na arquitetura apenas uma década após tê-la iniciado, retornando à pintura e deixando um legado de poucas obras concluídas.

Embaixada dos EUA, de Harrison & Abramovitz, reabre em Havana

Pela primeira vez em mais de meio século os Estados Unidos reabriram sua embaixada em Havana, Cuba,, atraindo, recentemente, a atenção para o emblemático edifício modernista projetado por Harrison & Abramovitz. Historicamente associado por muitos cubanos à arrogância e imperialismo norte-americano, o edifício desempenhou um papel simbólico na relação política entre os dois países.