O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Quais são as chaves de desenho arquitetônico de um espaço de yoga e meditação?

Quais são as chaves de desenho arquitetônico de um espaço de yoga e meditação?

Quais são as chaves de desenho arquitetônico de um espaço de yoga e meditação?
Quais são as chaves de desenho arquitetônico de um espaço de yoga e meditação?, AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile. Image © Pablo Blanco
AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile. Image © Pablo Blanco

Há muitos anos, uma série de práticas e técnicas orientais chegaram com força no ocidente. Um programa novo que enquanto arquitetos temos que resolver com mais frequência, e que proporciona desafios interessantes do ponto de vista funciona, ambiental e estético.

Estas disciplinas estão centradas completamente no ser humano, já que buscam trabalhar e satisfazer suas necessidades físicas, psicológicas e espirituais, e por isso nos parece importante analisar como estão sendo resolvidas espacialmente pelos arquitetos. Muitas das operações adotadas nestes espaços geram ambientes propícios para reflexão, a introspecção e cura, e portanto poderiam ser aplicadas em outros programas relevantes, como habitações, espaços educativos, hospitalares e até escritórios.

A ideia deste artigo é extrair lições de projetos já publicados aqui para criar uma espécie de guia de projeto que ajude a nossa comunidade de leitores com referências eficazes. 

YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi Spa Querétaro / Ambrosi I Etchegaray. Santiago de Querétaro, Mexico. Image © Luis Gordoa Yoga Deva / Blank Studio. Gilbert, Estados Unidos. Image © Bill Timmerman Casa Yoga / WMR Arquitectos. Matanzas, Chile. Image © Sergio Pirrone + 29

Espaços

Ainda que cada prática possa exigir características específicas, a maioria é realizada em um grande espaço aberto, acompanhado por uma série de espaços de apoio.

Ritual House de Yoga / goCstudio. Seattle, Estados Unidos. Image © Kevin Scott
Ritual House de Yoga / goCstudio. Seattle, Estados Unidos. Image © Kevin Scott

  • Sala principal

Este é o espaço central do edifício, onde as pessoas se reúnem para realizar a prática, e geralmente é uma planta livre, flexível e adaptável a diferentes usos. Para determinar suas dimensões, é possível utilizar as medidas padrão de um tapete de Yoga, que quando esticado possui aproximadamente 1,70 x 0,60 metros. Sugere-se deixar ao menos 50 cm de distância entre eles para permitir o livre movimento dos usuários durante os exercícios.

Algumas destas salas apresentam uma pequeno palco ou uma área elevada onde está o instrutor ou o guia da sessão, e é sempre bom adicionar estantes ou superfícies de apoio para que as pessoas possam deixar seus pertences durante a aula (garrafas d'água, toalhas, sapatilhas). Normalmente, a sala apresenta espelhos em uma ou mais paredes, mas isto depende das necessidades e gosto do cliente.

YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi

Pensamos na arquitetura dos templos, em espaços introvertidos e silenciosos, em lugares que se voltam para o centro, de luz tênue e dinâmica. (...) Pensamos no espaço que necessitamos para poder nos enxergar para dentro.
DX Arquitectos, sobre seu projeto 'AYC' em Santiago do Chile

Ritual House de Yoga / goCstudio. Seattle, Estados Unidos
Ritual House de Yoga / goCstudio. Seattle, Estados Unidos
Ritual House de Yoga / goCstudio. Seattle, Estados Unidos. Image © Kevin Scott
Ritual House de Yoga / goCstudio. Seattle, Estados Unidos. Image © Kevin Scott

  •        Banheiros / Vestiários 

Nem todos os centros incluem vestiários, mas é bom acrescentá-los se existem recursos e espaço. No caso de não contar com eles, é possível aumentar as dimensões dos banheiros para permitir que o espaço seja ocupado por mais de uma pessoa por vez. Em vários projetos se separa a área dos sanitários das pias, e estas últimas associadas a uma espécie de pequeno vestiário, que também pode incluir lockers, estantes e bancos.

Os banheiros devem estar localizados em uma área contígua à sala principal, de fácil e rápido acesso da entrada principal do edifício.

AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile
AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile
AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile. Image © Pablo Blanco
AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile. Image © Pablo Blanco

  •        Circulações

As circulações ganham grande importância neste tipo de projetos, já que podem funcionar não só como corredores mas podem conter espaços de armazenamento, áreas de espera e descanso, ou até uma recepção. Alguns casos aproveitam também as paredes para incorporar estantes. 

Yoga Deva / Blank Studio. Gilbert, Estados Unidos
Yoga Deva / Blank Studio. Gilbert, Estados Unidos
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi

  •        Outros 

Dependendo do projeto, o edifício pode incluir vários salões, além de cabines de massagem ou áreas molhadas de jacuzzi, saunas e piscinas, A altura dos espaços fica a cargo de cada cliente e arquiteto, mas a sala principal, ao menos, é desenhada na maioria dos casos com uma altura maior que os outros ambientes.

Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile
Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile
Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile. Image © Jean Pierre Marchant y Fernando J. Romero
Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile. Image © Jean Pierre Marchant y Fernando J. Romero

Condições Ambientais

  •        Acústica

Existe a crença que estes espaços devem ser totalmente silenciosos, mas justamente a ideia destas disciplinas é poder se desenvolver apesar do ruído do ambiente. De fato, muitos casos se recomenda que sejam realizadas totalmente ao ar livre, já que muitos sons da natureza podem ajudar a uma melhor realização das diferentes práticas. No caso de salões fechados, estes sons, e inclusive aromas, podem ser integrados ao incorporar pátios ou jardins internos que atraiam aves, incluam água em movimento, e/ou permitam a passagem do vento.

Obviamente, se alguma prática requer silêncio total, o desenho deve permitir que o espaço possa ficar completamente isolado.

Spa Querétaro / Ambrosi I Etchegaray. Santiago de Querétaro, Mexico. Image © Luis Gordoa
Spa Querétaro / Ambrosi I Etchegaray. Santiago de Querétaro, Mexico. Image © Luis Gordoa

A premissa de desenho foi criar um centro em constante contato com a natureza. Para isto, planejou-se criar um teto verde em todo o edifício, onde perfurações na cobertura criam pátios internos para criar jardins. Os espaços e seus usos se relacionam constantemente através dos pátios e jardins.
Ambrosi I Etchegaray, sobre seu projeto Spa Querétaro em Querétaro, México

  •        Ventilação

Este é um assunto fundamental nestes tipos de práticas, já que todas utilizam a respiração como base de seu desenvolvimento. É importante permitir a ventilação cruzada através do salão, garantindo que exista uma certa corrente que renove o oxigênio em seu interior, durante a seção ou em momentos em que a sala não esteja ocupada. Para isto, deve-se gerar uma primeira abertura na fachada que receba os ventos predominantes, e uma segunda abertura na parede oposta, de preferência maior que a primeira.

Meditation Pavilion & Garden / GMAA. Geneva, Suiza. Image © A.Korour
Meditation Pavilion & Garden / GMAA. Geneva, Suiza. Image © A.Korour

  •         Iluminação

A luz permite qualificar o espaço e pode ajudar a conduzir a intenção da prática que se está realizando. No caso da yoga, a conexão direta com o sol é fundamental em muitos dos exercícios. É por isso que sempre deve-se privilegiar a iluminação natural, e é necessário incorporar sistemas que permitam regular sua intensidade, permitindo escurecer o espaço totalmente quando for necessário. 

AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile. Image © Pablo Blanco
AYC / DX Arquitectos. Santiago de Chile. Image © Pablo Blanco

Para evitar o ofuscamento, na maioria dos projetos apresentados neste artigo, a luz não cai diretamente sobre as pessoas e para isso se utiliza aberturas zenitais, janelas junto ao piso, telas difusas e pátios de luz que envolvem o salão principal. 

Se as práticas são realizadas a noite, a iluminação artificial escolhida deve ser quente e também regulável.

Estudio Para Yoga-Kamadhenu / Carolina Echevarri + Alberto Burckhardt. Cundinamarca, Colombia. Image © Juan Cristobal Cobo
Estudio Para Yoga-Kamadhenu / Carolina Echevarri + Alberto Burckhardt. Cundinamarca, Colombia. Image © Juan Cristobal Cobo

A construção se transforma com as mudanças de luz, conseguindo desta forma um equilíbrio em seu entorno natural, que se transmite ao interior de seus espaços e portanto, aos usuários do projeto. Carolina Echevarri + Alberto Burckhardt, sobre seu proyecto 'Yoga-Kamadhemy' em Cundinamarca, Colômbia

  •        Estética e Materiais

A estética do espaço depende totalmente das exigências do cliente, mas em geral deve-se evitar os elementos de distração ou as decorações exageradas. Recomenda-se utilizar materiais quentes e cores suaves (ou mesmo apenas o branco), para ajudar os instrutores a obter um certo grau de concentração inicial. Como são práticas que são realizadas em contato permanente com o solo, os pisos geralmente são revestidos de madeira ou materiais mais aconchegantes e quentes ao toque.

YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi
YogaOne Mandri / Studio Shito. Barcelona, España. Image © Marcela Grassi

O objetivo do projeto é a generalização dos espaços onde os materiais, o mobiliário, a iluminação e as cores acompanham a prática do yoga, gerando uma transição tranquila no percurso. Trata-se de espaços relaxados e limitados que permitem que o usuário possa deixar de fora o ritmo acelerado do dia a dia para ir conectando, pouco a pouco, com o corpo e um espaço mental sereno.
Studio Shito sobre seu projeto 'YogaOne Mandri' em Barcelona, Espanha

  •        Orientação e Geometria

Alguns dos projetos apresentados se baseiam espacial e geometricamente em um dos postulados tradicionais das diferentes práticas, já que muitos asseguram que certas orientações e configurações poderiam aumentar e efetividade dos exercícios.

Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile. Image © Jean Pierre Marchant y Fernando J. Romero
Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile. Image © Jean Pierre Marchant y Fernando J. Romero

Por exemplo, fala-se de algumas direções cardiais benéficas, como o Leste (de onde viajariam certas energias sutis acompanhando o movimento da Terra) ou o Norte Magnético (próximo ao Norte geográfico, que permitiria nos alinharmos com o campo magnético do planeta). Outros casos assumiram como base de desenho o estudo das geometrias sagradas, e inclusive realizaram levantamentos radiestésicos do terreno para localizar as energias benignas presentes no local do projeto.

Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile
Centro Holístico Punto Zero / Dio Sustentable. Putaendo, Chile

Estas referências - bastante orgânicas- nos permitem soltar um poco a rigidez de um desenho mais prático, para passar a gerar formas curvas ou circulares que possam chegar a repercutir positivamente na experiência do usuário no edifício.

E você? Já teve a chance de projetar um destes espaços ou realiza estas práticas com frequência?

Compartilhe sua experiência na seção de comentários!

YogaOne Mandri / Studio Shito

AYC / DX Arquitectos

Spa Querétaro / Ambrosi I Etchegaray

Ritual House de Yoga / goCstudio

Estudio Para Yoga-Kamadhenu / Carolina Echevarri + Alberto Burckhardt

En Detalle: Madera, Paja y Adobe / Centro Holístico Punto Zero

Yoga Deva / Blank Studio

Pabellón & Jardín de Meditación / GMAA

Sobre este autor
José Tomás Franco
Autor
Cita: Franco, José Tomás. "Quais são as chaves de desenho arquitetônico de um espaço de yoga e meditação?" 16 Nov 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Pedrotti , Gabriel ) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/799456/quais-sao-as-chaves-de-desenho-arquitetonico-de-um-espaco-de-yoga-e-meditacao> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.