O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Museus E Espaços De Exposições
  4. Clássicos da Arquitetura: Museu Tate Modern / Herzog & de Meuron

Remodelaçao

Apresentado por the MINI Clubman

Clássicos da Arquitetura: Museu Tate Modern / Herzog & de Meuron

Clássicos da Arquitetura: Museu Tate Modern / Herzog & de Meuron
Clássicos da Arquitetura: Museu Tate Modern / Herzog & de Meuron, © Wikimedia Commons
© Wikimedia Commons

O Bankside Power Station, em Londres, ficou em desuso de 1981 até 2000, quando abriu ao público como o Museu Tate Modern. Os arquitetos suíços Herzog & de Meuron abordaram a conversão com gestos relativamente leves, criando um espaço público contemporâneo sem diminuir a presença histórica da edificação. O ícone cultural impressionante tornou-se, desde então, o museu de arte moderna mais visitado no mundo, revitalizando a área industrial, antigamente isolada.

© Javier Gutierrez Marcos © Simone Graziano Panetto © Simone Graziano Panetto © Darrell Godliman + 18

Os arquitetos foram selecionados dentre vários escritórios famosos em um concurso internacional em 1995. O Tate Gallery reconheceu o potencial da estação de energia e considerou que a proposta dos arquitetos com alterações mínimas nos exteriores estava alinhada com sua própria visão para o museu. O edifício original foi projetado por Giles Gilbert Scott no final de 1940 e desativado após apenas três décadas de uso. Situado do outro lado do rio Tâmisa da Catedral de St. Paul, a chaminé da estação funciona como um contraponto à cúpula da catedral.

© Darrell Godliman
© Darrell Godliman

Herzog & de Meuron optaram por melhorar o caráter urbano do edifício sem depreciar significativamente sua forma, permitindo-lhe continuar a ser uma peça experimental e visual em si. A alteração exterior mais evidente é a caixa iluminada situada no topo da cobertura, sendo um contraste horizontal à chaminé imponente. A geometria mínima da caixa iluminada e sua materialidade de vidro translúcido diferencia claramente da alvenaria escura e detalhada da fachada original. A transição entre o antigo e o novo nem sempre é óbvia, entretanto. Herzog & de Meuron referenciam o caráter industrial do projeto de Scott em cada detalhe, evitando intervenções dissonantes que poderiam distrair das obras de arte. Os pesados corrimões da escada, as grades de ferro fundido e os assoalhos de madeira harmonizam com a estética original.

© Javier Gutierrez Marcos
© Javier Gutierrez Marcos

Ao abrir a paisagem ao redor da antiga central elétrica, os arquitetos buscaram trazer uma abordagem natural para um edifício aparentemente monolítico. Os jardins estão entre o museu e o tecido urbano envolvente, proporcionando o acesso de todas as quatro direções. A fachada é perfurada em faixas ao nível do solo, indicando as entradas e convidando o público para o interior. Herzog & de Meuron imaginaram o espaço da sala das turbinas como uma grande praça pública, permitindo a passagem ou simples como um local de convívio.

Section through boiler house, turbine hall, and oil tanks. Image © Herzog & de Meuron
Section through boiler house, turbine hall, and oil tanks. Image © Herzog & de Meuron

Grande parte da experiência da sala das turbinas é o dos movimentos. Uma plataforma cruza ao nível do solo, marcando a descida da rampa que está abaixo dela e proporcionando vistas sobre as galerias acima. Esta energia equilibra-se pela escala monumental da sala, que transmite uma quietude apesar do fluxo de visitantes. Originalmente concebido para abrigar enormes geradores, estende-se a todo o comprimento e altura do edifício, proporcionando uma qualidade de espaço único ao museu. O artista Olafur Eliasson tirou vantagem disso em sua instalação The Weather Project, em 2003.

© Richard Holt
© Richard Holt

A fim de acomodar uma ampla gama de arte, Herzog & de Meuron substiutiram grande parte do interior da estação de energia com galerias de diferentes tamanhos. Elas compartilham uma estética discreta, mas variam no pé-direito de cinco a doze metros, iluminados natural e artificialmente. As janelas de catedrais originais da central elétrica estendem-se de chão ao teto em algumas galerias, criando um ritmo e proporção ecoados nas claraboias acima. As camadas translúcidas da caixa iluminada foram especificamente concebidas para filtrar a luz natural e replicar artificialmente suas qualidades à noite.

Ground level plan. Image © Herzog & de Meuron
Ground level plan. Image © Herzog & de Meuron

Os três tanques de óleo da antiga fábrica foram inaugurados em 2012 como um novo tipo de galeria exclusiva para o museu. Uma ampliação projetada por Herzog & de Meuron foi inaugurada em junho de 2016. Ela oferecerá espaço adicionais de exposição, bem como espaços públicos para a aprendizagem e formação.

©  Iwan Baan
© Iwan Baan
  • Arquitetos

  • Localização

    Bankside, London, Greater London SE1, Reino Unido
  • Colaboradores

    Jacques Herzog, Pierre de Meuron, Harry Gugger, Christine Binswanger
  • Arquiteto Principal

    Michael Casey
  • Equipe de Projeto

    Thomas Baldauf, Ed Burton, Victoria Castro, Peter Cookson, Irina Davidovici, Liam Dewar, Catherine Fierens, Hernan Fierro, Adam Firth, Matthias Gnehm, Nik Graber, Konstantin Karagiannis, Angelika Krestas, Patrik Linggi, José Ojeda Martos, Mario Meier, Filipa Mourao, Yvonne Rudolf, Juan Salgado, Vicky Thornton, Kristen Whittle, Camillo Zanardini
  • Arquitetos Associados

    Sheppard Robson + Partners
  • Projeto de Interiores

    Herzog & de Meuron, Office for design, Lumsden Design Partnership
  • Engenharia Estrutural

    Ove Arup Partner Ove Arup Partner Ove Arup Partner Ove Arup Partner
  • Gerenciamento da Construção

    Schal International Management Ltd.
  • Paisagismo

    Herzog & de Meuron, Kienast Vogt+Partner
  • Consultoria de Fachada

    Emmer Pfenniger
  • Iluminação e Acústica

    Ove Arup Partner Ove Arup Partner Ove Arup Partner Ove Arup Partner
  • Área

    34000.0 m2
  • Ano do projeto

    2000
  • Fotografias

Ver a galeria completa

Cita: Jones, Rennie. "Clássicos da Arquitetura: Museu Tate Modern / Herzog & de Meuron" [AD Classics: The Tate Modern / Herzog & de Meuron] 12 Set 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/795096/classicos-da-arquitetura-museu-tate-modern-herzog-and-de-meuron> ISSN 0719-8906