O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Proposta de colonização de Marte usa impressoras 3D e fungos para criar uma atmosfera adequada aos humanos

Proposta de colonização de Marte usa impressoras 3D e fungos para criar uma atmosfera adequada aos humanos

Proposta de colonização de Marte usa impressoras 3D e fungos para criar uma atmosfera adequada aos humanos
Proposta de colonização de Marte usa impressoras 3D e fungos para criar uma atmosfera adequada aos humanos, Cortesia de Alberto Villanueva
Cortesia de Alberto Villanueva

Após a NASA ter encontrado água sob a superfície de Marte no início do ano e o sucesso estrondoso do filme "O Marciano", é seguro dizer que o planeta vermelho está com tudo. A descoberta de água levou muitos arquitetos e designers, como por exemplo Norman Foster, a especularem como nosso vizinho poderia ser colonizado.

Muitos destes planos incluem levar materiais de construção da Terra ao planeta vermelho, potencialmente iniciando um processo de poluição do novo mundo antes mesmo dele ser ocupado. O arquiteto espanhol Alberto Villanueva, do IDEA Architecture Office, no entanto, viu isto como uma oportunidade única. Utilizando o próprio solo marciano e fungos mycelium, a estratégia de Villanueva utiliza impressão 3D e bioluminescência e já recebeu a atenção da NASA e da Agência Espacial Europeia. 

Cortesia de Alberto Villanueva Cortesia de Alberto Villanueva Torres com bioluminescência. Cortesia de Alberto Villanueva Cortesia de Alberto Villanueva + 11

A primeira etapa do projeto envolve liberar a água do subsolo e torná-la líquida. Para isso, impressoras 3D serão enviadas à superfície de Marte e construirão estruturas metálicas delgadas a partir de basalto e elementos ferrosos encontrados no solo. Estas estruturas aproveitarão a energia gerada por campos eletromagnéticos para derreter o gelo e despejar a água na superfície, criando um sistema de crateras e lagos dentro de 4 a 6 meses. 

Processo de transformação da superfície. Cortesia de Alberto Villanueva
Processo de transformação da superfície. Cortesia de Alberto Villanueva

A etapa seguinte consiste em erguer torres capazes de criar uma atmosfera adequada ao ser humano. Estas serão construídas a partir de uma resina epóxi e o fungo mycelium, conhecido por suas capacidades estruturais e por suportar condições extremas. O mycelium usará a aguá dos lagos artificiais, aumentando o tamanho das torres através de crescimento orgânico e convertendo o dióxido de carbono da atmosfera em oxigênio. Utilizando dados da NASA, Villanueva  calculou que após cerca de seis meses, as torres já terão convertido uma quantidade suficiente de oxigênio para criar uma pequena camada atmosférica no planeta, e em dois anos os seres humanos seriam capazes de respirar na superfície de Marte.

Cortesia de Alberto Villanueva
Cortesia de Alberto Villanueva

Assim que os humanos chegarem ao planeta, Villanueva  sugere usar uma solução orgânica com bactérias bioluminescentes para gerar luz. Neste momento, as impressores 3D poderão ser programadas para produzirem diferentes tipos de estruturas para os humanos. As estruturas são projetadas para terem uma vida útil de 5 anos, após os quais se decompõem, eliminando qualquer rastro negativo no novo planeta. 

Torres com bioluminescência. Cortesia de Alberto Villanueva
Torres com bioluminescência. Cortesia de Alberto Villanueva

Villanueva reconhece que são necessários mais estudos e testes antes que a colonização possa ocorrer, e sugere locais remotos, como a Austrália, o Havaí e as Ilhas Canárias, para a realização destes testes. 

Cortesia de Alberto Villanueva
Cortesia de Alberto Villanueva

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Patrick Lynch
Autor
Cita: Lynch, Patrick. "Proposta de colonização de Marte usa impressoras 3D e fungos para criar uma atmosfera adequada aos humanos" [This Mars Colonization Proposal Would 3D Print Biodegradable Fungus Towers that Leave No Trace] 03 Mar 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/782965/proposta-de-colonizacao-de-marte-usa-impressoras-3d-e-fungos-para-criar-uma-atmosfera-adequada-aos-humanos> ISSN 0719-8906