O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Hotel
  4. Portugal
  5. Virgula i
  6. 2014
  7. Renovação e Ampliação do Hotel MINHO / ,i

Remodelaçao

Apresentado por the MINI Clubman

Renovação e Ampliação do Hotel MINHO / ,i

Renovação e Ampliação do Hotel MINHO / ,i
Renovação e Ampliação do Hotel MINHO / ,i , © Nelson Garrido
© Nelson Garrido

© Nelson Garrido © Nelson Garrido © Eva Sousa © Eva Sousa + 58

  • Arquitetos

  • Localização

    Vila Nova de Cerveira, Portugal
  • Projeto de arquitetura e interiorismo

    JP Pereira
  • Equipe de Projeto

    Pedro Guedes, Teresa Aguiar and Pedro Durães Leite
  • Ano do projeto

    2014
  • Fotografias

  • Projetos das especialidades

    Sinalética e Design de Comunicação
  • Sinalética e Design de Comunicação

    R2 Design – www.r2design.pt
  • Mobiliário

    Paularte – www.paularte.com
  • Áreas Renovação

    520m2 – Espaços sociais
  • Áreas Ampliadas

    908m2 - spa; 226m2 – novas áreas sociais; 425m2 – piso de eventos; 340m2 – espaços técnicos e mecânicos
  • Área do Tereno

    10.560m2
  • Mais informações Menos informações
© Nelson Garrido
© Nelson Garrido

Introdução ao projeto:

O projeto de renovação e ampliação do Hotel Minho tem como base uma edificação preexistente construída em 2006, agora renovada com novos espaços públicos e sociais e um spa. A ampliação foi realizada de forma a integrar ao máximo a edificação original, apesar do desenho corrente e das características arquitetônicas pouco relevantes da preexistência, introduzindo-se uma nova imagem na unidade hoteleira.

© Nelson Garrido
© Nelson Garrido

A solução arquitetônica procurou sempre um registo muito simples e em muitas circunstâncias, um desenho fortemente introvertido, mantendo a edificação preexistente como centro e introduzindo as áreas novas a construir num piso abaixo do momento de entrada no empreendimento. A cobertura ajardinada e a continuidade das superfícies brancas exteriores preexistentes foram desenhadas para reduzir ao máximo o impacto visual das novas construções.

Planta Baixa
Planta Baixa

Procurando uma relação mais forte com o lugar, os materiais locais, as técnicas construtivas e a arquitetura vernacular, a ampliação socorreu-se da madeira de castanho como um dos seus mais importantes elementos. Este material, abundante na envolvente, é utilizado como elemento que contém o novo programas hoteleiro, criando o limite perimétrico dos novos espaços. São assim criadas caixas/contentores revestidos a madeira que funcionam como novos elementos de organização do hotel, criando o ambiente e a temperatura visual do interior e exterior, marcando uma forte continuidade entre cada piso.

© Eva Sousa
© Eva Sousa

O projeto foi desenvolvido até ao mais ínfimo detalhe, integrando espaços interiores e exteriores num só, usando de forma eficiente a luz natural, o filtro visual dos pátios e o desenho de diversos elementos de mobiliário, iluminação ou até da sinalética do hotel.

© Nelson Garrido
© Nelson Garrido

O projeto de interiorismo:

O projeto de arquitetura do Hotel Minho integrou o interiorismo como uma parte fundamental do projeto de arquitetura. A diferença entre interior e exterior, a separação muito frequente na hotelaria entre arquitetura e interiorismo, foi deliberadamente negada e transformada numa solução única.

© Eva Sousa
© Eva Sousa

Por se tratar de uma extensão de uma edificação preexistente, o projeto manteve as principais características da arquitetura original no seu exterior e trabalhou de forma mais livre o interior. Os materiais, o mobiliário, o equilíbrio entre acabamentos, a relação entre as soluções desenhadas e o ambiente gerado no interior, foram completamente re-equacionadas de forma a criar um novo hotel.

© Nelson Garrido
© Nelson Garrido

Os volumes de madeira introduzidos nos vários pisos da unidade hoteleira, frequentemente a sair do interior para o exterior, ligam as áreas do hotel e a sua envolvente. Juntamente, recebem os novos espaços definidos pelo programa de ampliação, como por exemplo a sala de conferências do piso de eventos, os gabinetes de tratamentos do spa, entre outros, assumindo um desenho simples, rigoroso, geométrico, revestido a madeira de castanho, proporcionando espaços e interiores fortes, cheios de carácter e com a quantidade ideal de luz. Devido ao facto do hotel estar inserido numa região onde os bosques, o rio e as tradições locais são as atrações principais, o desenho pretendeu remeter para estas origens, pretendendo que a solução desenhada parecesse que estivesse integrada no edifício desde há muito. Os interiores abrem-se para as melhores paisagens da envolvente ou quando tal não é possível, para espaços exteriores privados criados pela nova ampliação – os pátios. A relação interior-exterior é assim condicionada pela arquitetura, tirando proveito dessa possível simbiose, criando importantes relações e áreas de privacidade para os utilizadores. É também frequente a relação com detalhes modernistas de meados do século XX executados nas carpintarias e no mobiliário. O projeto rejeitou as tendências, as modas ou a procura pela solução tipo “design-hotel”. De fato, para atingir este objetivo, vários itens de mobiliário, iluminação, estofos e equipamentos de spa foram desenvolvidos pelo estúdio de forma a obter o impacto visual pretendido pelo projeto.

© Nelson Garrido
© Nelson Garrido

As principais inspirações foram retiradas da arquitetura moderna portuguesa e do seu desenho de mobiliário dos anos cinquenta e sessenta, assim como da arquitetura vernacular da região. Nomes internacionais como Arne Jacobsen, Alvar Aalto e nomes locais como Arménio Losa, Januário Godinho e Álvaro Siza, influenciaram direta e indiretamente o trabalho desenvolvido, estando alguns deles presentes com objetos introduzidos no projeto do Hotel Minho.

© Eva Sousa
© Eva Sousa

Materiais e produtos:

A madeira utilizada na maioria dos elementos construtivos da unidade hoteleira, nomeadamente os revestimentos interiores e exteriores, tetos, mobiliário e sinalética, é a madeira de castanho ibérico, bastante comum no noroeste peninsular e na envolvente do hotel. O projeto procurou obter o ponto de equilíbrio ideal entre este material e os restantes, sempre neutros e escolhidos em torno de uma paleta de cor branca. Destes, o mármore de Carrara branco foi utilizado em paredes e pavimentos, assim como em itens especiais como candeeiros, balcões e lavatórios. Paredes brancas, painéis de revestimento lacados, vidro e espelho foram frequentemente usados para combinar os elementos neutros com a presença da madeira. A restante interligação foi realizada pelo mobiliário e os restantes elementos decorativos.

© Eva Sousa
© Eva Sousa

Nesta matéria, reforçamos os múltiplos itens desenvolvidos pelo estúdio - mais de vinte produtos repetidos num total de 131 peças - em conjugação com vários itens vintage adquiridas em lojas locais, e combinada com o desenvolvimento de peças de mobiliário cuja produção havia sido abandonada – o cadeirão Pousada (1951) de Januário Godinho. Foram também introduzidos vários elementos de mobiliário modernista e contemporâneo, de diferentes autores, que seguem os princípios estabelecidos pelo projeto: um design quente, elegante e eficiente, que contribuem para o imaginário criado nos espaços da unidade hoteleira.

O mobiliário desenvolvido para este projeto evoluiu agora para uma nova coleção chamada Bracara, desenvolvida entre o estúdio e a marca portuguesa Paularte estando previsto seu lançamento para o mercado internacional a partir do início de 2015 

© Eva Sousa
© Eva Sousa

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Renovação e Ampliação do Hotel MINHO / ,i " [Hotel MINHO Renewal and Expansion / ,i ] 01 Dez 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/758274/renovacao-e-ampliacao-do-hotel-minho-i> ISSN 0719-8906