O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Cidade Judiciária Parcela Sul / Frederico Valsassina Arquitectos

Cidade Judiciária Parcela Sul / Frederico Valsassina Arquitectos

Cidade Judiciária Parcela Sul / Frederico Valsassina Arquitectos
Cidade Judiciária Parcela Sul / Frederico Valsassina Arquitectos, © FG+SG Fotografia de Arquitectura
© FG+SG Fotografia de Arquitectura

O conjunto edificado insere-se no contexto urbano do Parque das Nações, sendo limitado a Poente pela Av. D. João II, a Nascente pela Alameda dos Oceanos e a Sul pela Rua do Mar da China.

© FG+SG Fotografia de Arquitectura

Sobre uma plataforma de nível à cota da Avenida D. João II organiza-se um conjunto de 5 edifícios que se desmaterializam em direcção ao rio, enfatizando este último como presença dominante. Desta forma, dispostos na direcção Nascente-Poente, os edifícios canalizam vistas e permitem o atravessamento visual por parte daqueles que usufruem destes espaços.

Planta pavimento térreo

Privilegiando esta direcção, os volumes são expostos a movimentos de translação horizontais e verticais, cujo comportamento influencia, respectivamente, o tipo de relação que as partes estabelecem com a plataforma e o desenho do próprio “skyline”. Esta plataforma, primordialmente pedonal (tráfego automóvel controlado), garante, apesar da posição que ocupa, a ligação entre duas cotas distintas e proporciona uma maior fluidez na acepção daquela espacialidade.

© FG+SG Fotografia de Arquitectura

Ao longo da Alameda dos Oceanos, como estratégia de dinamização do espaço urbano, optou-se pela criação de uma frente de transição entre o domínio público e o domínio privado. Sob a plataforma de nível onde assentam os edifícios organizam-se, consequentemente, planos diferenciados, recuados em relação ao limite do lote, cujo afastamento promove a criação de praças “semi-exteriores”. Pretendeu-se que a estes espaços estivesse associada uma noção de dinamismo, quer pela sua configuração formal como pelas diferentes apropriações que o sujeito sobre eles possa vir a exercer.

© FG+SG Fotografia de Arquitectura

O “vazio”, enquanto espaço de subtracção, reforça a continuidade espacial e responsabiliza-se pela interligação entre as partes cujo contraste resulta positivamente na criação de uma dinâmica implícita à generalidade do conjunto.

© FG+SG Fotografia de Arquitectura

A concepção interior dos edifícios teve na sua base uma lógica de flexibilidade e versatilidade de ocupação, com vista a permitir apropriações diversificadas consoante as exigências específicas a que venham a estar sujeitos. O seu funcionamento está então garantido para situações extremas de compartimentação ou para situações de open-space, o que permitiu a fácil instalação do novo Campus da Justiça de Lisboa.

© FG+SG Fotografia de Arquitectura

De modo a garantir a homogeneidade em termos de imagem procedeu-se à síntese material: betão branco, malha de aço e vidro contribuem, assim, para a sobriedade e depuração pretendidas.

© FG+SG Fotografia de Arquitectura

Ficha técnica:

  • Arquitetos:Frederico Valsassina
  • Ano: 2002
  • Área construída: 192064,15 m²
  • Endereço: Parque das Nações Lisboa Portugal
  • Tipo de projeto: Empresarial
  • Status:Construído
  • Materialidade: Concreto e Vidro
  • Estrutura: Concreto
  • Localização: Parque das Nações, Lisboa, Portugal
  • Implantação no terreno: Isolado

Equipe:

  1. Arquitetura: Frederico Valsassina Arquitectos
  2. Colaboradores: Tiago Leite de Araújo, Ursula Baptista, João Pedro Miguel, João Vilar Torres, Filipa Calado, Bernardo Lacasta, Rita Conceição Silva, Sofia Salazar Leite, Rita Amado, Duarte Madrugo
  3. Paisagismo: Proap
  4. Architecture
  5. Estruturas e Fundações: Grese
  6. Instalações Técnicas: Marobal
  7. Hidráulica: Ductos
  8. Acústica: Acústica e Ambiente
  1. Ano de Conclusão: 2008

Sobre este escritório
Frederico Valsassina
Escritório
Cita: Jorge Alves. "Cidade Judiciária Parcela Sul / Frederico Valsassina Arquitectos" 22 Mai 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/50061/cidade-judiciaria-parcela-sul-frederico-valsassina-arquitectos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.