O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Argentina
  5. Estudio M + N
  6. 2007
  7. Casa em Villa Cielo / Estudio M + N

Casa em Villa Cielo / Estudio M + N

Casa em Villa Cielo / Estudio M + N
Casa em Villa Cielo / Estudio M + N, © Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

©  Cristian Nanzer © Gustavo Sosa Pinilla © Gustavo Sosa Pinilla © Gustavo Sosa Pinilla + 35

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

Descrição enviada pela equipe de projeto. A direção do olhar constrói a paisagem. Deste magma evanescente de tempo e espaço, captura por um momento seu próprio território. O ato de olhar parece construir, nunca é ingênuo e inocente, há sempre uma dimensão cultural que mantém um viés que identifica o tempo, funciona como um mecanismo de seleção e montagem, que logo se transforma em memória, o reservatório da existência e é aí que a paisagem se torna própria, subjetiva e manipulável, relacional e evocativa. Cada paisagem é passageira, ou melhor, a projeção do olhar nos devolve a certeza de sermos nós mesmos passageiros momentâneos na paisagem, que nos dá a convicção de ubiquidade e temporalidade do trânsito. Toda paisagem é perecível, como os portadores das vistas. Justamente por esta razão, a paisagem é revelada em um instante como profundamente humana.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

Atravessar a paisagem. O projeto desta casa procura desenvolver este argumento, induzir a comunhão cotidiana de seus moradores com seu entorno. Eles são um casal que habitualmente vivia em Buenos Aires, mas há pouco tempo decidiram abandonar sua residência na cidade e radicar-se na tranquilidade e sossego da vila serrana.

©  Cristian Nanzer
© Cristian Nanzer

É em torno da presença dominante do morro Uritorco, aos pés da Serra de Punilla, que se articula a disposição do projeto. As visuais e orientações levaram a definir sua implantação e materialidade. Basicamente um prisma pesado de concreto ciclópico que, ao pousar no terreno inclinado, acomoda dois pavimentos. O inferior, ou subsolo, contém uma garagem aberta que serve como uma extensão da área de churrasqueira e piscina, juntamente com um dormitório de hóspedes totalmente independente da sala principal. O subsolo é composto como um embasamento, enquanto eleva a posição das áreas principais da casa. Acima deste assenta-se uma parede onde alojam-se todos os serviços domésticos: cozinha, banheiro, quarto de vestir, pátio de serviços e acesso principal, construído com uma técnica rústica que alterna concreto aparente e concreto ciclópico em fôrmas. O embasamento e a parede de serviços acomodam e estruturam os espaços de estar. Acima das pesadas paredes, pousa uma estrutura leve de perfis de aço, que resolve a modulação básica do projeto, de acordo com a otimização dos perfis: 1,50 m, na direção longitudinal e 1,20 m na transversal. Fechado com um trabalho em alumínio natural, que define o perímetro da sala, sala de jantar e dormitório principal, estes situam-se em franca relação com a paisagem, a qual invade o todo e produz variações de atmosferas segundo as mudanças de cores ao longo dos dias e anos. Para melhorar a relação da casa com a luz ambiente a cobertura inclinada sempre separa-se das paredes de concreto através de uma carpintaria perimetral, enquanto estende acima das janelas e paredes, conformando um plano independente que dá lugar a uma galeria ao noroeste e beirais.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

Para conferir segurança e sombra aos grandes painéis de vidro, portas deslizantes metálicas foram projetadas que, juntamente com a estrutura metálica, irá proporcionar consistência e certa sutileza que contrasta com a rusticidade e imperfeições do acabamento do concreto.

No acesso juntam-se paredes de concreto com uma cerca de "pau a pique", técnica muito comum para a construção de currais nas serras, com a diferença de que todos os troncos foram extraídos de árvores caídas ou arrastadas pelas cheiras dos rios, sem cortar uma única árvore - tarefa que empreendeu um guia local e amigo do lugar: Barnabé Leal.

© Gustavo Sosa Pinilla
© Gustavo Sosa Pinilla

No vazio essencial do espaço interno destacam-se duas esculturas do artista Hernán Dompé que intensificam, com o dilacerante de sua geometria, a analogia da áspera paisagem exterior.

Finalmente podemos dizer que regiram o projeto desta obra certos princípios de contenção, de austeridade material e formal, com a expectativa de que o tempo permita amalgamá-la, sem agressão ou estridência ao terreno, até que chegue o momento, como um prêmio, de passar despercebido, para se tornar mais um dos componentes da paisagem que o hospeda.

Planta Baixa - Térreo
Planta Baixa - Térreo

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Estudio M + N
Escritório
Cita: "Casa em Villa Cielo / Estudio M + N" [Casa en Villa Cielo / Estudio M + N] 17 Out 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/147084/casa-em-villa-cielo-slash-estudio-m-plus-n> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.