O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Edifícios Institucionais
  4. China
  5. OMA
  6. 2013
  7. Sede da Bolsa de Valores de Shenzhen / OMA

Sede da Bolsa de Valores de Shenzhen / OMA

Sede da Bolsa de Valores de Shenzhen / OMA
© Philippe Ruault
© Philippe Ruault
  • Arquitetos

    OMA
  • Localização

    Bin He Da Dao, Shenzhen Shi, Guangdong Sheng, China
  • Parceiros Responsáveis

    Rem Koolhaas, David Gianotten
  • Colaboradores

    Ellen van Loon, Shohei Shigematsu
  • Associado Responsável

    Michael Kokora
  • Área

    180.000 m²
  • Ano do projeto

    2013
  • Fotografias

© Philippe Ruault © Philippe Ruault © Philippe Ruault © Philippe Ruault + 20

  • Equipe

    Yang Yang, Wanyu He, Daan Ooievaar, Joanna Gu, Vincent Kersten, Yun Zhang, Kunle Adeyemi, Ryann Aoukar, Sebastian Appl, Waichuen Chan, Jan Dechow, Matthew Engele, Leo Ferretto, Clarisa Garcia Fresco, Alasdair Graham, Leonie Wenz, Richard Sharam, Laura Baird, Matthew Jull, Franscesca Portesine, Lukasz Skalec, Lukasz Szlachcic, Lukas Drasnar, Christine Svensson, Matthew Haseltine, Jaitian Gu, João Ferreira Marques Jesus, Alex de Jong, Santiago Hierro Kennedy, Klaas Kresse, Miranda Lee, Anna Little, Luxiang Liu, David Eugin Moon, Cristina Murphy, Idrees Rasouli, Korbinian Schneider, Wolfgang Schwarzwalder, Felix Schwimmer, Michela Tonus, Miroslav Vavrina, Ferdjan Van der Pijl, Se Yoon Park, Na Wei, Xinyuan Wang, Ken Yang Tan, Su Xia, Yunchao Xu
  • Equipe de Concurso

    Rotterdam: Rem Koolhaas, Shohei Shigematsu, Anna Little, Christin Svensson, Jason Long, Carlos Garcia Gonzalez, Joao Bravo da Costa, Mauro Paraviccini, Mariano Sagasta, Bart Schoonderbeek, Konstantin August, Klaas Kresse, Kengo Skorick, Katharina Gerlach, Mendel Robbers, Hong Yong Sook, Beatriz MInguez de Molina, Martti Kalliala, Andrea Bertassi, Daniel Ostrowski, Yuanzhen Ou
  • AMO

    Todd Reisz, Brendan McGetrick
  • Beijing

    Ole Scheeren, Dongmei Yao, Hiromasa Shirai, Anu Leinonen, Tieying Fang, Pei Feng, Xinyuan Wang
  • Acústica

    DHV Building and Industry: Bertie van de Braak, Caroline Kaas, Renz van Luxemburg, Theo Rijmakers
  • Paisagismo

    Inside Outside: Petra Blaise, Jana Crepon, Rosetta Elkin, Aura Melis
  • Quantitativos

    Law Hing Wai, Melody Huang
  • ARUP

    Michael Kwok, Rory McGowan, Nancy Huang, Chas Pope, Kai-Sing Yung, Oliver Kwong
  • Estrutura

    Chas Pope, Goman Ho, Xiaonian Duan, Chris Carroll, Robin Ching, Guo-Yi Cui, Andrew Grant, Yue Hao, Jonathan Kerry, Di Liu, Peng Liu, Hui-yuan Long, Alex To, Fei Tong, Matthew Tsang, Yu-Bai Zhong, FX Xie, Liang Xu, Ling Zhou, Façade Engineering - Gerald Hobday, Andy Lee
  • Gerenciamento de Projetos

    Nancy Huang, Wei Gao, Penny Liu, Jerry Zhang
  • Circulação Vertical

    Matthew Tang, Julian Olley
  • Física da Edificação

    Vincent Cheng, Isaac Tang, Raymond Yau, Rumin Yin
  • Inteligência da Edificação

    Patrick Leung, Michael Tomordy, Sam Tsoi, Henry Chan, Mark Chen, Jacky Lo , Wing-Shan Mak, Edwin Wong
  • Engenharia Geotérmica

    Mark Choi, Maggie Qing-Min Meng, Jason Ng, Wei-Guang Ruan
  • Iluminação / LED

    Steve Walker, Francesco Anselmo, Katie Hardstone, David Lakin, Florence Lam, Melissa Mak, Siegrid Siderius, Junko Umemoto
  • SADI

    Meng Jianmin, Shen Xiaoheng, James Hong, Lin Zhenhai, Wu Chao, Wang Qiwen, Liu Chen, Li Hanguo, Luo Xin, Zhen Wenxing, Yang Baozhen, Zeng Zumin
© Philippe Ruault
© Philippe Ruault

Descrição enviada pela equipe de projeto. A essência do mercado de ações é a especulação: ela é baseada no capital, e não no material. A Sede da Bolsa de Valores de Shenzhen é concebida como uma materialização física desta atividade virtual: é um edifício com uma base flutuante, o que representa o mercado de ações - mais do que acomodando-o fisicamente. Tipicamente, a base de um edifício ancora uma estrutura e o conecta enfaticamente ao chão. No caso deste, a base, como se erguida pela mesma euforia especulativa que impulsiona o mercado, infiltra-se na torre para se tornar um pódio elevado, desafiando uma convenção de arquitetura que sobreviveu milênios na modernidade: uma construção sólida sobre uma base sólida.

Sede da Bolsa de Valores de Shenzhen / OMA, © Philippe Ruault
© Philippe Ruault

Este elemento erguido é uma plataforma em balanço com três andares, 36m acima do solo, sendo uma das maiores lajes de escritórios em balanço, com uma área de 15.000 m² por pavimento e um teto ajardinado acessível. Esta plataforma contém todas as funções da Bolsa de Valores, incluindo o salão de listagem e todos os departamentos da bolsa. O pódio elevado aumenta vastamente a exposição da Bolsa de Valores por sua posição elevada. Quando iluminado à noite, "transmite" as atividades virtuais do mercado financeiro da cidade, enquanto seu balanço enquadra os pontos de vista de Shenzhen. O elemento também libera o nível térreo e conforma um espaço público generoso, alterando o paradigma deste tipo de edificação.

Diagrama do Pódio Flutuante
Diagrama do Pódio Flutuante
Fachada
Fachada

O pódio flutuante e a torre são combinados como uma só estrutura, com a torre e os pilares de apoio do átrio proporcionando amarração vertical e lateral para a estrutura e balanço. O pódio é enquadrado por uma malha robusta tridimensional de treliças de aço.

© Philippe Ruault
© Philippe Ruault

A torre é interrompida por dois átrios - vazios que conectam o solo diretamente com os espaços públicos no interior do edifício. Os funcionários acessam o edifício pelo leste e os inquilinos pela orientação oposta. Escritórios executivos estão localizados logo acima do pódio, deixando os andares mais altos locáveis para escritórios e um restaurante.

© Philippe Ruault
© Philippe Ruault

A forma quadrada genérica do volume obedientemente mescla-se com as homogêneas torres vizinhas, mas com o elemento da fachada diferenciado. Esta envolve a robusta estrutura do exoesqueleto estrutural, apoiando uma camada em vidro. A textura do revestimento de vidro revela a tecnologia por trás da construção ao mesmo tempo tornando-a bela e misteriosa. A cor neutra e a translucidez da mudança de fachada com as condições climáticas cria um efeito cristalino misterioso: espumante durante a luz brilhante do sol, neutra em um dia nublado, radiante, ao anoitecer, e brilhante durante a noite. É uma "fachada profunda", com aberturas embutidas para reduzir passivamente a quantidade de ganho de calor por insolação incidente no edifício, melhorando a iluminação natural e reduzindo o consumo de energia. O edifício é projetado para ser um dos primeiros edifícios rotulados em 3 estrelas verdes na China.

© Philippe Ruault
© Philippe Ruault

Os 46 andares (254m) da Bolsa de Valores de Shenzhen são um centro financeiro com um sentido cívico. Localizado em uma nova praça pública no ponto de encontro do eixo norte-sul, entre o Monte Lianhua e o Bulevar Binhe e o eixo leste-oeste da Rodovia Shennan, principal artéria de Shenzhen, ele envolve-se à cidade não como um objeto isolado, mas como um construção a ser percebida nas múltiplas escalas e níveis. Às vezes parecendo massiva e em outras, íntima e pessoal, o edifício constantemente gera novas relações no contexto urbano, ambicionando ser como um impulso para novas formas de arquitetura e urbanismo.

Diagrama
Diagrama

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
OMA
Escritório
Cita: "Sede da Bolsa de Valores de Shenzhen / OMA" [Shenzhen Stock Exchange HQ / OMA] 12 Out 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/146231/sede-da-bolsa-de-valores-de-shenzhen-slash-oma> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.