i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Por incrível que pareça, a Suécia está sem lixo!

Por incrível que pareça, a Suécia está sem lixo!

Por incrível que pareça, a Suécia está sem lixo!
Por incrível que pareça, a Suécia está sem lixo!, Via Plataforma Urbana
Via Plataforma Urbana

A Suécia possui um programa de reciclagem que os habitantes conhecem bem. De fato, segundo dados difundidos pela empresa sueca de reciclagem Returnpack, cada habitante recicla em média 146 latas e garrafas, o que representa quase 90% do total destes materiais que se reciclam e 88% do sistema nacional de reciclagem.

lixo (1)" src="https://images.adsttc.com/adbr001cdn.archdaily.net/wp-content/uploads/2012/11/1353456121_1352302781_04-530x288.png" alt="" width="530" height="288">
Via Plataforma Urbana

Como o efeito desta política foi tão positivo, as autoridades ampliaram a reciclagem a outros itens, como a fabricação de roupas, incentivando o uso de materiais orgânicos, como algodão. Isto permitiu que se desenvolvesse a feira Vintagemässan, a primeira e única feira de roupas vintage, que anualmente atraem mais de 6.000 visitantes por ano. Por outro lado, o Estado promoveu a instalação de empresas de produção de tecnologia para que fossem desenvolvidas estratégias sustentáveis que pudessem ser aplicáveis ao país nórdico e ao resto do mundo.

No entanto, estas não são as políticas mais recentes de incentivo à reciclagem. De fato, o estado sueco criou em 1940 um programa de incineração de resíduos, que anualmente reduz mais de duas toneladas de lixo, e que permite fornecer aquecimento a 810.000 casas e entregar energia elétrica a 250.000. Tudo isto significa que 96% do lixo é convertido em eletricidade, sendo que somente os 4% restantes são enviados para aterros sanitários. Isso permite imaginar um panorama alentador. O país começa a ficar sem lixo para reciclar, o que poderia ameaçar a certas práticas que são baseadas em resíduos. O que fará para obter mais lixo?

lixo (2)" src="https://images.adsttc.com/adbr001cdn.archdaily.net/wp-content/uploads/2012/11/1353456098_1352302776_03-530x307.jpg" alt="" width="530" height="307">
Via Plataforma Urbana

Segundo Catarina Ostlund, conselheira da Agência de Proteção Ambiental Sueca, “o país possui mais capacidade para gerar energia do que para produzir lixo.” Por isso, o governo decidiu importar os resíduos da Noruega, com o fim de incinerá-lo e gerar eletricidade para as edificações. Os resíduos que não puderem ser incinerados serão devolvidos ao país vizinho para serem enterrados em aterros sanitários. Por enquanto a Suécia deve importar aproximadamente 800.000 toneladas anuais, o que favorecerá o manejo de resíduos na Noruega.

Para o futuro, o governo sueco não descarta ampliar seu plano de incineração a outros países que apresentem dificuldades no tratamento de resíduos. Entre os potenciais países que poderiam somar ao programa estão Bulgária, Itália e Romênia, já que não contam com indústrias de incineração ou de reciclagem.

lixo (3)" src="https://images.adsttc.com/adbr001cdn.archdaily.net/wp-content/uploads/2012/11/1353456093_1352302774_02-530x318.jpg" alt="" width="530" height="318">
Fonte: ecoosfera.com

De fato, crê-se que Nápoles é uma das cidades que mais produz lixo por metro quadrado, uma vez que em 1944 o governo italiano teve de declarar a cidade como uma área de desastre, pois a máfia italiana despejava ilegalmente resíduos em aterros, provocando o colapso do mesmo.

Claramente o governo sueco vem ditando pautas de reciclagem e de manejo de resíduos, pois implementam um sistema eficiente que realmente geram uma consciência entre os habitantes. Se este plano for imitado por outros países, a contribuição para o meio ambiente seria considerável.

Via fastcoexist.com

Cita: Eduardo Souza. "Por incrível que pareça, a Suécia está sem lixo!" 22 Nov 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <http://www.archdaily.com.br/81889/por-incrivel-que-pareca-a-suecia-esta-sem-lixo>