1. ArchDaily
  2. The Observer

The Observer: O mais recente de arquitetura e notícia

Projeto do Teatro Oficina de Lina Bo Bardi é eleito o melhor do mundo pelo The Guardian

Projetado em 1991 pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi em conjunto com Edson Elito, o Teatro Oficina, lar da companhia de teatro Uzyna Uzona, liderada por José Celso Martinez Corrêa, foi eleito o melhor teatro do mundo na categoria "projeto arquitetônico" pelo The Observer, o jornal dominical do The Guardian.

"Um espaço longo e estreito como uma rua em uma envoltória queimada de um antigo teatro que é assistido por uma empena de galerias construídas com andaimes", é como Rowan Moore, autor do artigo publicado no jornal inglês, descreve o projeto de Bardi. E continua: " O Teatro Oficina tem ângulos de visão desafiadores, assentos duros e uma forma que é exatamente a que os teatros não deveriam ter, mas é tanto mais intenso precisamente por isso."

Por dentro do primeiro projeto de SelgasCano no Reino Unido

Em um artigo para o The Observer, Rowan Moore examina a "Second Home", um novo "hub criativo" em Londres projetado pelo escritório espanhol SelgasCano, recentemente selecionados para projetar o Serpentine Pavilion 2015. Para Moore, o projeto, que é o primeiro edifício do escritório no Reino Unido, oferece uma "leveza e graça, bem como inventividade, e consciência de quando parar." O edifício foi concebido para ser fluido, permitindo que empresas start-up criativas entrem e saiam segundo seus modelos de negócio. Grandes mesas emergem do chão e "zonas e itinerância" facilitam o pensamento criativo. Segundo a análise de Moore, não há "refrigeradores de água, nem copa nem microondas."

© Iwan Baan© Iwan Baan© Iwan Baan© Iwan Baan+ 5

Fundação Louis Vuitton de Gehry em Paris: a resposta da crítica

A administração por trás da Fundação Louis Vuitton (FLV) de Frank Gehry em Paris, que abriu oficialmente no dia 27 de outubro, convidou recentemente um grupo de críticos de arquitetura para observar e registras suas opiniões sobre a obra. A abordagem ousada de Gehry quanto a forma arquitetônica, mais evidente em edificações como o Museu Guggenheim em Bilbao e no Walt Disney Concert Hall em LA, combina com o objetivo da fundação de "promover e dar suporte à criação artística contemporânea" na França. De acordo com seu website, eles incorporam particularmente uma "paixão pela liberdade arquitetônica." Como, então, a enorme estrutura, desafiada por opositores locais desde o início, estabeleceu-se nos arredores dos parques parisienses?

Veja, a seguir, o que Oliver Wainwright do The Guardian , Rowan Moore do The Observer', Paul Goldberger do Vanity Fair, Christopher Hawthorne do The LA Times e Mayer Rus do Architectural Digests disseram sobre o mais recente trabalho de Gehry.

© Todd Eberle© Todd Eberle© Todd Eberle© Todd Eberle+ 6