Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Mulheres

Mulheres: O mais recente de arquitetura e notícia

Chamada para envio de trabalhos da Revista PIXO 10 - Mulheres e Lugares Urbanos.

A “Revista PIXO nº10 - Mulheres e Lugares Urbanos” quer reunir trabalhos que abordem a temática mulheres e lugares urbanos. Pesquisas com enfoque na relação corpo-mulher-pesquisadora-feminista, suas abordagens teóricas, metodológicas, desafios, rastros, processos e pistas. Enquanto corpo-pesquisadoras e auto proclamadas feministas evocamos essa edição como um respiro de luta e resistência acadêmica, visibilizando trabalhos e gritos que constroem a área de pesquisa sobre mulheres, suas diferentes potências, afectos e performances.

Essa chamada de inverno para a décima edição da revista PIXO pretende garantir a discussão sobre - e com - mulheres e lugares urbanos. Acolhendo estudos que tratem do lugar

7° Encontro Internacional Cidade, Contemporaneidade e Morfologia Urbana

O Encontro Internacional Cidade, Contemporaneidade e Morfologia Urbana (EICCMU) está promovendo a sua 7ª edição, reiterando os atravessamentos das diferentes abordagens acerca do urbanismo, sendo realizado com o apoio da FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul) e PROGRAU (Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo) desde sua primeira edição. Acontece entre os dias 07, 08 e 09 de novembro de 2018, no Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Ciências Humanas, Sociais, Sociais Aplicadas, Artes e Linguagem (CEHUS) da Universidade Federal de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. O evento é organizado pelo

Mulheres e mobilidade urbana: indicadores para a formulação de políticas urbanas sensíveis ao gênero

Diversos estudos têm se dedicado a compreender a relação entre gênero e mobilidade urbana. Eles concluem que mulheres  enfrentam desafios maiores para exercer o direito à cidade e acessar as oportunidades oferecidas no espaço urbano. As desigualdades na divisão do trabalho doméstico implicam em maior carga para as mulheres, que acumulam funções como levar e buscar as crianças na escola, o cuidado com membros idosos e doentes da família, a ida às compras entre outras atividades, o que determina em grande parte um padrão de deslocamento consolidado por viagens em sequência, para múltiplos destinos e com uso preponderante do transporte público e da caminhada.

Arquitetura na periferia: ajude a capacitar mulheres em serviços de construção

O déficit de moradia sempre foi um pesadelo para as famílias de baixa renda. No Brasil golpeado a questão se agrava e gera muito sofrimento, principalmente, para mulheres e crianças.

Para fugir da asfixia do aluguel, a busca por um teto finca na terra bruta das periferias a estaca do sonho da casa.

Estudantes brasileiras recebem menção honrosa em concurso internacional com proposta de empoderamento feminino

O resultado do concurso "Human Trafficking - Tenancingo Square Mediascape" foi promovido pela plataforma online internacional "arch out loud" foi divulgado recentemente. O objeto era uma importante praça em Tenancingo, México, cidade que sofre muito com o tráfigo humano e, principalmente, de mulheres. A equipe, composta por Djuly Duarte Valdo, Letícia Sitta, Marina Nallin Violin, Raissa Gattera e Thais de Freitas, da PUC-Campinas, recebeu a menção honrosa com a proposta “Giving light to the problem. Provide voice to the unseen”.

Conheça o projeto e o memorial a seguir:

Por que é urgente falarmos de mobilidade e gênero

Dentre tantos temas urgentes no debate sobre gênero, há uma questão que merece destaque: a mobilidade das mulheres.

Caso você nunca tenha pensado sobre isso, pode parecer que a mobilidade urbana e seus condicionamentos relacionam-se a padrões de deslocamento que variam apenas de acordo com a territorialidade e a oferta de sistemas de transporte. Mas a verdade é que o acesso à cidade – a forma como navegamos no território – não é neutro quanto ao gênero.

São Paulo publica estudo sobre mobilidade das mulheres na cidade

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU) acaba de lançar uma publicação sobre a mobilidade urbana das mulheres em São Paulo.

O estudo, feito a partir de uma pesquisa realizada pela Companhia do Metropolitano de São Paulo, mostra que as mulheres utilizam o transporte público coletivo com mais intensidade e andam mais a pé do que os homens. A utilização desses dois tipos de modais representa 74,6% dos deslocamentos feitos pelas mulheres, contra 62,5% dos homens.

O estudo aponta ainda que as mulheres mais pobres são as que mais utilizam esses transportes. Em uma família com ganhos mensais menores que R$ 1.244, 50% das viagens são feitas caminhando e 28% de ônibus.

Mulheres e Arquitetura Moderna: II Seminário de Pesquisa do NEG

Aproveitando o mês de março e o dia internacional da mulher, o Núcleo de Estudos em Espaço e Gênero (NEG) convida a todos e todas a participarem do evento "Mulheres e Arquitetura Moderna: II Seminário de Pesquisa do NEG", que acontecerá no dia 11 de março, das 9h às 12h, no Auditório Evaldo Coutinho do Centro de Artes e Comunicação (CAC), na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Mulheres de bicicleta: A situação na América Latina

No IV Forum Mundial da Bicicleta realizado em Medellín, O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) apresentou o estudo "Ciclo-inclusão na América Latina e Caribe: Guia para impulsionar o uso da bicicleta", que, através da apresentação de dados sobre o ciclismo urbano em 38 cidades do continente, busca fomentar uma política "ciclo-inclusiva" em cada cidade.

Entre os dados coletados está, por exemplo, a quantidade de viagens diárias realizadas nas duas cidades que mais usam a bicicleta na América Latina: Bogotá, com 611.472 percursos, e Santiago, com 510.569.