1. ArchDaily
  2. Ilustração

Ilustração: O mais recente de arquitetura e notícia

Ferramenta gratuita permite criar texturas para imagens arquitetônicas

Com muita frequência, arquitetos e designers passam horas procurando texturas e materiais para representar suas visões. Essa luta assume várias formas: desde ficar rolando o mouse pelo Google, Pinterest e bancos de dados em busca da textura perfeita até a criação manual de um padrão ao longo de várias horas ou até dias. Em qualquer dos casos, o resultado é frequentemente penoso e raramente perfeito. Um banco de dados organizado, confiável, gratuito e fácil de usar nem sempre é algo simples de se encontrar.

Architextures iniciou em 2014 como uma biblioteca de arquivos de imagens de alta qualidade, com texturas enviadas por usuários ou criadas pela própria plataforma. Com o tempo, o criador da plataforma, Ryan Canning, percebeu que, em seu trabalho profissional como arquiteto, a variedade de arquivos de imagem estática disponíveis online não atendia às texturas específicas que ele procurava em seus projeto. Frustrado com o processo infinito de pesquisa, edição e sobreposição de texturas no Photoshop, Ryan reinventou o Architextures em 2019 como uma ferramenta interativa onde profissionais como ele poderiam criar texturas especificadas de alta qualidade em segundos. E o mais importante, sendo de uso gratuito para uso pessoal e educacional, com contas profissionais disponíveis por uma pequena taxa para apoiar o desenvolvimento da ferramenta.

Courtesy of ArchitexturesCourtesy of ArchitexturesCourtesy of ArchitexturesCourtesy of Architextures+ 14

"As Cidades Invisíveis" de Italo Calvino ilustradas por Karina Puente

A arquiteta Karina Puente, de Lima, tem um projeto pessoal: ilustrar cada uma das "As Cidades Invisíveis" do romance de 1972 de Italo Calvino. Sua coleção inicial, que publicamos em 2016, apresentou as cidades do capítulo As Cidades e a Memória. Esta última série ilustrações, desenhada principalmente com nanquim sobre papel, reúne uma outra seqüência de lugares imaginados - cada um referenciando uma cidade imaginada no livro.

O livro As Cidades Invisíveis, que imagina conversas fictícias entre o explorador veneziano Marco Polo e o antigo governante mongol Kublai Khan, têm sido instrumentais na formulação de abordagens do discurso urbano e da forma da cidade. De acordo com Puente, "cada ilustração tem um processo conceitual, alguns dos quais levam mais tempo do que outros". Geralmente "eu pesquiso, penso, e reflito sobre cada cidade por três semanas antes de fazer esboços." Os desenhos finais e recortes levam cerca de uma semana para produzir.

Diomira. Imagem © Karina Puente FrantzenFedora. Imagem © Karina Puente FrantzenZirma. Imagem © Karina Puente FrantzenIsaura (2). Imagem © Karina Puente Frantzen+ 16

Ilustrações das "Cidades Invisíveis" de Italo Calvino

A arquiteta peruana Karina Puente tem um projeto pessoal: ilustrar cada cidade invisível do livro de 1972 de Italo Calvino. O livro, que apresenta conversas imaginárias entre o explorador veneziano Marco Polo e governante mongol Kublai Khan, foi fundamental na elaboração de um discurso urbano na atualidade. Segundo Puente, que compartilhou as ilustrações conosco, "cada ilustração tem um processo conceitual, algumas tomam mais tempo que outras". Numa síntese, "eu pesquiso, penso e idealizo cada cidade por três semanas antes de fazer os desenhos". As ilustrações finais demoram cerca de uma semana para ficarem prontas.

Frederico Babina sintetiza a arquitetura em ideogramas em nova série de ilustrações

Frederico Babina é um arquiteto e designer gráfico italiano cujas obras buscam criar réplicas abstratas de edifícios famosos. Com especial atenção à geometria e forma, seu trabalho mostra uma espécie de desapego e liberdade em relação à rigidez das arquiteturas.

Série de desenhos explora a plasticidade das obras de Oscar Niemeyer

Casa das Canoas. Imagem © Matías Kim

O arquiteto e ilustrador Matías Kim compartilhou conosco uma série de desenhos que apresentam algumas das emblemáticas obras de Oscar Niemeyer. Com traços singelos e preciso, Kim explora a plasticidade das obras do arquiteto moderno através de imagens estáticas ou em movimento, revelando os interiores de projetos como a Casa das Canoas ou a Catedral de Brasília.

Xinran Ma cria ilustrações de arquiteturas que transcendem o tempo

Por mais imaginativos e hipotéticos que seus trabalhos possas parecer, muitos visionários criaram obras de arte admiráveis que miram além do ordinário e repensam a arquitetura e os espaços urbanos. Xinran Ma, designer e ilustrador de Nova Iorque, visualizou suas fantasias arquitetônicas e criou algumas séries de desenhos, duas das quais enviadas para o concurso Fairy Tales 2016 e 2017, organizado pela Blank Space.

Inspirando-se no artista italiano Giovanni Battista Piranesi, conhecido por seus desenhos labirínticos de Roma, e as obras colaborativas de Alexander Brodsky e Ilya Utkin, que produziram representações de vanguarda de cidades e paisagens, o ilustrador compartilhou mais uma vez suas criações conosco, expressando sua paixão “pela visualização de fantasias arquitetônicas que transcendem o tempo através de narrativas gráficas."

© Xinran Ma© Xinran Ma© Xinran Ma© Xinran Ma+ 10

Instagram disponibiliza tutoriais de ilustrações arquitetônicas pós-digitais

via Zean Macfarlane (@zeanmacfarlane)
via Zean Macfarlane (@zeanmacfarlane)

O Instagram e as mídias sociais estão mudando fundamentalmente a maneira como projetamos no século XXI. Há um componente inspirador no conteúdo que vemos e citamos na internet, mas além das belas imagens há a oportunidade de crescimento e aprendizado. Zean Macfarlane (@zeanmacfarlane) encontrou seu nicho no Instagram justamente em algum entre a busca por imagens cativantes e o aprendizado. Seus posts diários apresentam esboços de processos projetuais, elevações articuladas e uma sofisticada linguagem gráfica; mas não é só isso.

O perfil Macfarlane também inclui um link para ebooks de tutoriais com dicas para aprender a replicar e aprimorar esse estilo gráfico em seus próprios projetos e desenhos. Todo o feed de posts funciona como uma prancheta digital, rica em exemplos lúdicos e composições cuidadosas. 

Conheça mais do trabalho de Zean Macfarlane a seguir.

Ilustrações de Tishk Barzanji criam universos complexos inspirados no surrealismo e na arquitetura moderna

É raro encontrar artistas que, em seus trabalhos, condensem de modo tão instigante referências diversas como a Muralha Vermelha de Ricardo Boffil, as complexas ilustrações de Giovanni Battista Piranesi e ícones da cultura pop. Tishk Barzanji, artista de Londres, é um desses que consegue.

Através de suas ilustrações digitais, explora elementos da arquitetura moderna a partir de um olhar filtrado por referências que se aproximam de um universo onírico e surreal, criando composições que exprimem uma atmosfera austera e, de algum modo, inquietante.

Ophicina de Visualização e Diagramação

A Ophicina de Arquitetura nasceu com o objetivo de espalhar conhecimentos arquitetônicos mundo afora. Formada por uma equipe de arquitetas, é uma plataforma de ideias, criações e oficinas de imersão em softwares de representação arquitetônica.

Nosso curso Ophicina de Visualização e Diagramação em Arquitetura tem foco no ensino de representação gráfica, voltada para estudantes e profissionais de arquitetura. A partir do projeto Villa Verde, do premiado escritório chileno Elemental, são desenvolvidos produtos gráficos gerados à partir do AutoCad e SketchUp, de forma que trabalhar outros projetos no futuro se torne uma tarefa simples e intuitiva.

Buscamos alternativas que estabeleçam um diálogo

Ilustrações de Alina Sonea transformam densidade urbana em arte

The Layered City. Cortesia de Alina Sonea
The Layered City. Cortesia de Alina Sonea

Formada em arquitetura e desenho urbano, Alina Sonea ilustra a natureza complexa e por vezes paradoxal das cidades que habitamos. A artista vem desde 2013 desenvolvendo uma série de detalhadas e delicadas ilustrações que mostram cenários fantásticos de densas metrópoles.

Density. Cortesia de Alina SoneaArchiTEXTURES - The Renaissance. Cortesia de Alina SoneaFeldkirch. Cortesia de Alina SoneaIllusions. Cortesia de Alina Sonea+ 9

E se o Arco do Triunfo fosse um elefante? Ilustrações mostram como alguns monumentos poderiam ter sido

Monumentos urbanos são elementos fundamentalmente para a identidade de uma cidade. Permanecem impassíveis observando-nos de cima enquanto aparecem na maioria das fotos de cada visitante. Mas eles continuariam instantaneamente reconhecíveis se tivessem sido projetados de outra forma?

O icônico Arco do Triunfo em Paris poderia ter sido um elefante gigante, grande o suficiente para receber banquetes e outros eventos sociais enquanto o Lincoln Memorial em Washington D.C poderia ter sido uma enorme pirâmide.

O GoCompare compilou uma série de ilustrações sobre projetos não construídos dos monumentos mais conhecidos e visitados do mundo, apresentando-os em um contexto moderno de modo a celebrar as formas que poderiam ser tão banais quanto agora nos parecem absurdas. Estas são as nossas favoritas:

O espírito das cidades capturado nessas belas ilustrações de Marta Vilarinho de Freitas

A arquiteta e ilustradora Marta Vilarinho de Freitas nos impressionou novamente com suas intrincadas ilustrações de cidades em finos traços sobre papel. A portuguesa vêm exercendo sua paixão por desenho através de uma série intitulada Cities and Memory - the Architecture and the City.

Fascinada pelas cidades, as ilustrações de Marta expressam sua conexão com a arquitetura ao passo que também capturam os aspectos românticos e qualitativos de cada cidade, seus padrões, cores, atmosferas e luzes. 

Marta Vilarinho de Freitas combina fantasia e precisão nos detalhes em suas composições repletas de fachadas de edifícios, telhados e outros elementos do espaço urbano. O processo de criação dessas ilustrações é cíclico, de modo que elas continuam a informar Marta sobre o espírito das cidades enquanto ela as desenha.

Cortesia de Marta Vilarinho de FreitasCortesia de Marta Vilarinho de FreitasCortesia de Marta Vilarinho de FreitasCortesia de Marta Vilarinho de Freitas+ 12

Monumental Minds: ilustrações do legado arquitetônico escandinavo

Não se trata apenas de almôndegas e vikings; a Escandinávia sempre foi o epicentro do design no mundo - basta observar o impacto crescente de Bjarke Ingels e do futuro laboratório espacial da Ikea SPACE10. Para mostrar sua influência significativa, a Expedia ilustrou obras de quatro arquitetos famosos da Dinamaca, Finlândia, Noruega e Suécia e como elas moldaram os movimentos arquitetônicos internacionais dos séculos XX e XXI através de uma coleção de cartazes chamada Monumental Minds.

Explore as ilhas abandonadas criadas pelo designer e artista Fábio Araujo

O designer e artista brasileiro Fábio Araujo, com escritório em Abu Dhabi, é fascinado por lugares abandonados - o mistério dos lugares onde o homem confronta o natural para criar cores, texturas e composições únicas.

Esses lugares são o tema de sua série intitulada "Lugares Abandonados", na qual ele faz uso de técnicas digitais para criar pequenas ilhas flutuantes que contrastam com seus fundos limpos e sólidos.

Outras obras de Araujo incluem "Favela", onde a tipologia habitacional brasileira foi reimaginada como se estivesse localizada no céu, além da composição com modelos em miniatura de cenas e edifícios, incluindo o hotel Burj al Arab em Dubai.

Parque abandonado. Imagem © Fabio AraujoTrem abandonado. Imagem © Fabio AraujoFavela. Imagem © Fabio AraujoBurj Al Arab. Imagem © Fabio Araujo+ 6

A humildade vernacular do galpão não decorado

John Redington, um ilustrador do Texas, documenta galpões rurais abandonados e seu modesto impacto arquitetônico. Neste ensaio visual, revela essa vernáculo invisível e sub-representado, argumentando que o "charme instável do galpão abandonado poderia oferecer um olhar para uma forma mais humilde de inspiração para os arquitetos".

O carro chacoalha em uma estrada de terra e a poeira branca espessa levanta da dos pneus traseiros. De ambos os lados, um mar de grama queimada pelo sol. O céu assenta-se pesadamente no horizonte, ao passo que a fragrância de plantas selvagens e cultivadas preenche o ar.

© John Redington© John Redington© John Redington© John Redington+ 15

Aquarelas registram a vida das fachadas comerciais de Tóquio

© Mateusz Urbanowicz
© Mateusz Urbanowicz

Um símbolo renomado do mundo moderno, Tóquio é uma cidade comumente associada a luzes brilhantes, tecnologia inovadora e edifícios elegantes. Assim, quando o artista polonês Mateusz Urbanowicz se mudou para Tóquio, ficou surpreso com o número de antigas lojas de arquitetura eclética que continuavam funcionando na cidade.

"Quando me mudei para Tóquio, há mais de 3 anos, fiquei realmente surpreso ao encontrar, em minhas caminhadas, tantas lojas ainda em funcionamento em edifícios realmente velhos", explica Urbanowicz. "Diferentemente de Kobe, onde o terremoto destruiu muitas dessas antigas casas e lojas do centro, em Tóquio elas ainda sobrevivem".

Inspirado pela resistência dos edifícios e suas características arquitetônicas únicas, Urbanowicz começou a documentar as fachadas em uma série de ilustrações de aquarela, registrando todo o processo através de vídeos.

Imagem © Mateusz UrbanowiczImagem © Mateusz UrbanowiczImagem © Mateusz UrbanowiczImagem © Mateusz Urbanowicz+ 7

OFICINA DE DESENHO E NARRATIVA com Rafael Coutinho

O foco dos encontros será a experimentação de diferentes formas de se contar uma história, usando conversas, diálogos entre os alunos, jogos narrativos e o espaço ao redor, tanto do próprio IABsp como as imediações.

Arte e Arquitetura: "Sampa versus Buenos" por Vivian Mota

© Vivian Mota© Vivian Mota© Vivian Mota© Vivian Mota+ 17

São Paulo e Buenos Aires são comparadas em diversos momentos. Ambas as cidades possuem diversos marcos arquitetônicos que são referências em todo o mundo.

A designer Vivian Mota, idealizadora do estúdio Rabiscorama, após acompanhar o projeto Paris versus New York, do designer Vahram Muratyan, e durante uma viagem para a capital argentina - onde reparou diferenças e similaridades com a capital paulista - criou o projeto Sampa versus Buenos. Conforme seus desenhos foram sendo desenvolvidos, a artista percebeu que haviam muito mais semelhanças do que divergências entre as duas cidades.

Em suas ilustrações, a designer busca um tema comum e cria um "duelo" com um representante para cada cidade, alguns exemplos são: Edifício Banespa vs Edifício Kavanagh, Galeria do Rock vs Bond Street, Cemitério da Consolação vs Cemitério da Recoleta,  Liberdade vs Barrio Chino, Estação da Luz vs Estación Retiro, e muitos outros.

Veja suas ilustrações e saiba mais sobre o projeto, a seguir.