1. ArchDaily
  2. Fr Ee

Fr Ee: O mais recente de arquitetura e notícia

30 anos sem Luis Barragán: 30 arquitetos compartilham sua obra favorita do arquiteto mexicano

Torres de Satélite / Luis Barragán + Mathias Goeritz. Image © Rodrigo FloresCasa-Estudio Luis Barragán. Image © Rodrigo FloresCasa Gilardi / Luis Barragán. Image © Eduardo LuqueCasa Gilardi / Luis Barragán. Image © Eduardo Luque+ 16

22 de novembro de 1988 representa uma data muito marcante dentro do campo arquitetônico. Foi quando um dos arquitetos mais importantes para a história da arquitetura mexicana e do mundo morreu na Cidade do México. Luis Barragán Morfín, nascido em Guadalajara e formado em engenharia civil, deixou um extenso legado traduzido em textos, conferências, edifícios, residências, jardins ainda vivos até hoje, que foram incorporados por alguns dos arquitetos mais influentes do cenário internacional. O trabalho de Luis Barragán, representa anos de pesquisa, mas, sobretudo, de contemplação, de ver o mundo com sensibilidade e de continuar reescrevendo o que nos pareceria óbvio.

Sem dúvidas, o legado de Luis Barragán representa algo tão complexo e atemporal que continua a inspirar e surpreender arquitetos de todas as gerações. É por isso que, 30 anos depois de sua morte, compilamos os depoimentos de alguns dos arquitetos contemporâneos mais representativos do México que compartilharam conosco qual a obra mais importante de Luis Barragán em seu trabalho e por quê. Continue lendo para conhecer os depoimentos completos.

Aeroporto de Foster + Partners e FR-EE na Cidade do México é cancelado após consulta pública

Há alguns meses, o atual presidente eleito do México, Andrés Manuel López Obrador, anunciou que faria um referendo para saber se o governo deveria deixar de proceder com o projeto proposto por Foster + Partners e FR-EE para o Aeroporto Internacional da Cidade do México.

As votações começaram no dia 25 de outubro e acabaram dia 28 de outubro onde se enunciava a seguinte questão: Dada a saturação do Aeroporto Internacional da Cidade do México, qual a opção que você considera melhor para o país? As duas opções que se enunciavam eram, por um lado, recondicionar o atual aeroporto da Cidade do México, de Toluca, e construir duas pistas na base aérea de Santa Lucía e, por outro, continuar com a construção do novo aeroporto em Texcoco e deixar de usar o atual Aeroporto Internacional da Cidade do México.

Nossa fé no projeto: dos arcos dourados do McDonalds às igrejas em Kerala

Quando agosto chega ao fim e nossas férias - seja do trabalho ou da escola - já começam a parecer lembranças distantes, talvez seja um bom momento para refletir sobre nossa fé no que fazemos. Às vezes, a arquitetura nos proporciona a possibilidade de supervisionar mudanças maciças e empolgantes. Às vezes os projetos não funcionam, apesar dos nossos melhores esforços. E às vezes, eles não são tão capazes de gerar mudanças quanto acreditamos que sejam. As histórias desta semana tocaram em nossa fé na arquitetura de várias formas, desde as literais (como as igrejas brilhantes de Kerala) até as mais abstratas (como quanto o bom gosto num projeto de fast-food pode resultar em verdadeiros bons sabores). Leia a seguir a revisão desta semana.

Cortesia de Foster + Partners© Jeroen Musch, Mei Architects and PlannersCortesia de Ennead Architects© DBOX for Foster + Partners+ 9

Futuro do novo aeroporto da Cidade do México será decidido em referendo

Andres Manuel Lopez Obrador, recentemente eleito novo presidente do México, divulgou em comunicado oficial a realização de um referendo público sobre o projeto do novo Aeroporto Internacional da Cidade do México, projetado pela Foster + Partners.

O projeto de 13 bilhões de dólares, já em processo de construção, foi chamado de “poço sem fundo” pelo novo presidente. Lopez Obrador defende que “é preciso fornecer ao povo mexicano todas as informações relevantes, de maneira clara e objetiva antes de tomar qualquer decisão sobre o futuro de um projeto desta magnitude”.

Museo Soumaya projetado por FR-EE, pelas lentes de Laurian Ghinitoiu

O Museo Soumaya, inaugurado em 2011, é um dos marcos culturais mais impressionantes no horizonte da Cidade do México. Projetado pelo escritório FR-EE / Fernando Romero Enterprise, o espaço acomoda e exibe uma coleção de arte privada de quase 70.000 obras que abrangem os séculos XV a XX, incluindo a maior coleção privada de esculturas de Auguste Rodin do mundo. Neste ensaio fotográfico, Laurian Ghinitoiu aponta suas lentes para o museu - cuja geometria em romboide rotacionado é revestida por uma pele composta por 16 mil painéis hexagonais de aço espelhado.

© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu+ 38