1. ArchDaily
  2. Computational Design

Computational Design: O mais recente de arquitetura e notícia

Data science na arquitetura: "a academia e a indústria estão apenas começando"

Formado pela Universidade do Nebraska - Lincoln (UNL), mestre em arquitetura pela Universidade Nacional de Cingapura (NUS) e doutor em ciências pela ETH Zürich, Clayton Miller trabalha atualmente como professor assistente na NUS, mais especificamente no BUDS Lab, um grupo de pesquisa dedicado à análise de dados de ambientes urbanos para desenvolver soluções técnicas que promovam a eficiência energética, o conforto, a segurança e satisfação dos usuários nas cidades e espaços construídos.

Em entrevista para o ArchDaily, Miller falou sobre como a programação e a data science podem ser úteis para o desenvolvimento futuro da arquitetura e da industria da construção civil.

AA Summer DLAB aplica o design computacional ao concreto

Este ano o programa Summer DLAB da Architectural Association (AA) culminou no Weave.X, um protótipo final de estruturas de concreto entrelaçadas tridimensionalmente. Projetado e fabricado por 21 participantes de 11 países, entre julho e agosto, o protótipo explora o design computacional, a racionalização da geometria, o comportamento do material e a fabricação robótica aplicada às técnicas de flexão de concreto e robótica. O resultado é uma rede de auto-sustentação de ramos de concreto que envolvem um invólucro amorfo.

© Architectural Association© Architectural Association© Architectural Association© Architectural Association+ 12

Por que o design computacional vai mudar o modo como trabalhamos

Este artigo foi originalmente postado em ArchSmarter.

Hoje em dia, quase todo arquiteto usa o computador. Seja para modelagem  3D, documentação ou até mesmo para criar planilhas de programação, computadores são muito frequentes e estão infiltrados na profissão. Arquitetos agora precisam saber o mesmo tanto de software quanto de estruturas, códigos de obras, e projeto.

À medida que ferramentas se tornam mais poderosas e sofisticadas, precisamos evoluir e desenvolver nossos métodos de trabalho para permanecermos competitivos. Escrevi um artigo sobre como arquitetos devem aprender programação. Muitos dos problemas que necessitamos resolver não estão nas capacidades de programas fáceis e rápidos. Precisamos ajustar e personalizar as nossas ferramentas para trabalhar a maneira como trabalhamos. Criar nossas próprias ferramentas e softwares é um jeito de fazer isso.

Dito isto, a realidade é que nem todo mundo tem tempo ou facilidade para aprender a programar. Leva tempo e sempre temos projetos para terminar, desenhos para revisar e edifícios para projetar. Felizmente aqui estão algumas novas ferramentas disponíveis que oferecem o poder da programação sem a necessidade de toda aquela interminável codificação.

Entre no mundo da programação visual e projetos computacionais.