1. ArchDaily
  2. Adtópico Uso E Reuso

Adtópico Uso E Reuso: O mais recente de arquitetura e notícia

Quais materiais são mais fáceis de reciclar em uma construção?

A indústria da construção civil é responsável pelo consumo de cerca de 75% dos recursos naturais do planeta. Pedras, areia, ferro e outros tantos recursos finitos são retirados em enormes quantidades para suprir os mercados. Além da exploração, a grande quantidade de resíduos gerados nos canteiros de obra é algo preocupante, seja durante as obras ou em demolições e remodelações. No Brasil, por exemplo, os Resíduos da Construção Civil podem representar entre 50% e 70% da massa dos resíduos sólidos urbanos [1]. O destino dado a esses entulhos é outro fator chave, uma vez que muitas vezes são postos em caçambas que acabam indo para aterros e lixões sem um destino correto e adequado, sobrecarregando os sistemas de limpeza pública municipais e criando locais de deposição informais. 

Fachadismo: quando as paredes falam... e mentem

Paredes não podem falar. Pelo menos, ainda não. Isso não quer dizer que elas não possam mentir. Como o ArchDaily relatou recentemente, uma nova tendência urbana está surgindo na qual a totalidade de um edifício histórico é demolido, com exceção da fachada externa, e um novo edifício é construído por trás dele. Este procedimento tem um nome: fachadismo. Embora o ato de construir uma nova estrutura atrás de uma fachada histórica possa parecer na melhor das hipóteses altruísta, ou na pior trivial, o fachadismo oferece uma visão de como as forças políticas e o mercado imobiliário moldam nossas cidades.

UCL acomodação para estudantes, London. Imagem © Flickr User Matt Brown licensed under CC BY 2.0A Hearst Tower de 46 andares em Manhattan ergue-se de uma fachada de pedra fundida construída como os andares inferiores de um arranha-céu nunca concluído dos anos 20. Imagem © Alex Maisuradze, Wikimedia CommonsA fachada da 48 Leicester Square fica isolada em janeiro de 2015, após a demolição do prédio atrás dela. Originalmente Fanum House, projetado por Andrew Mather e construído em três fases: 1923-26, 1936-37 e 1956-59. Image © Sam Blacketer, Wikimedia CommonsFachadismo na Fruit and Wool Exchange em Londres. Imagem © Flickr User Matt Brown licensed under CC BY 2.0+ 8

O que vem causando a onda de remodelações na China?

A China parece estar no auge de uma febre de reformas e remodelações. Não apenas as ruelas (hutongs) nos centros históricos, mas também as fábricas abandonadas estão se tornando novos pólos tecnológicos ou culturais, e mesmo os edifícios com risco de colapso estão sendo reformados para prolongar sua vida útil. Por que isso está acontecendo? Quem está investindo? Como isso pode acontecer em um país onde você não pode comprar propriedades?

Nesta edição do Editor's Talk, nossas editoras do ArchDaily China compartilham o que pensam sobre essa febre de remodelações nas grandes cidades daquele país, que há anos passa por um acelerado processo de desenvolvimento.