Apartamentos Braga Urban Studios / ARPO

Apartamentos Braga Urban Studios / ARPO

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)+ 40

Praça do Município, 4700-435 Braga, Portugal, Portugal
  • Arquitetos: ARPO
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  210
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fotógrafo Fotografias:  Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: GE Lighting, Adobe, AutoDesk, Azulima, BPT, Balay, Beken, BellaVista Cemento, Bona, Candy, Celcat, Cinca, Cinca Arquitectos, Efapel Logus 90, Finsa, Gree, Indesit, LED ESCX, Meireles, Pavigrés Nevoa, +10
Mais informaçõesMenos informações
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

Descrição enviada pela equipe de projeto. A cidade de Braga, também conhecida como “A cidade autêntica”, possui o seu desenho e linhas urbanas mar­cadas por histórias milenares e como tal, é o resultado das relações estabelecidas entre o passar do tempo e a ocupação do espaço pelos diferentes povos que aqui habitaram. 

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
Piso 1
Piso 1
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

A arquitectura desta cidade não se apresenta como uma imposição, mas como uma transformação, que se adap­ta de forma dinâmica conforme as necessidades. Os Braga Urban Studios, um projeto ARPO, surgem da oportunidade de intervenção na cidade proporcionada pela atractividade do turismo, tendo sido devolvido ao espaço urbano um pedaço da sua identidade com uma nova vitalidade, a pedido dos clientes israelitas, Michael & Matisyahu. Trata-se de um edifício de cinco pisos (um piso abaixo de soleira e quatro pisos acima), implantado numa área de 43,90 metros quadrados e com uma área bruta de construção de 210,25 metros quadrados. 

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

O desafio para o projeto arquitectónico foi alcançar na sua plenitude o respeito pela gênese do edifício e pela sua identidade, instalando quatro novas unidades de habitação que combinam a expressividade do antigo com um projeto contemporâneo. A identidade do edifício, que representa as vivências passadas, foi o ponto de referência na conceptualização do resultado final e das premissas do projeto, disponibi­lizando-se novos espaços que mantêm o perfil familiar e residencial do edifício.

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

Na base da estruturação e organização interior, das frações de habitação, demonstra-se a premissa de criação de uma planta livre com a intenção de poten­cializar a permeabilidade visual, excluindo, sempre que possível, planos opacos. Delimitando apenas os compartimentos necessários, nomeadamente a instalação sanitária. 

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
Piso 0
Piso 0
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

A mesma luz nat­ural que adentra o espaço social da sala de estar, segue também para as restantes divisões num circuito ilumi­nado livre. Pretendeu-se acolher múltiplos estilos de vida, traços de personalidade e facilitar a mobilidade, deixan­do que cada utilizador molde e estruture o espaço com os seus hábitos e costumes diários. Nesta mesma lógica, os espaços amplos, tal como foram concebidos, possibilitam a colocação posterior de painéis, organizando-se as divisões conforme as necessi­dades de cada morador.

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

A fachada manteve-se fiel à sua linguagem original, ten­do sido repostas as caixilharias em estado de degradação por semelhantes, pintadas à cor branca em todos os pisos, à exceção do Rés-do-chão, onde se encontram pintadas à cor verde-garrafa, característica constante na envolvente. 

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

Todos os azulejos em falta foram repostos e foi executa­da a limpeza dos elementos em pedra existente, tanto no interior como no exterior. A estrutura original de pisos em madeira foi reabilitada, sempre que possível, e executada idêntica à original, quando necessário. 

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

Os tectos altos, característicos das construções deste período foram mantidos, e o mobiliário fixo em madeira é proposto no sentido de valorização da dimensão es­pacial. A esquadria de ripas de madeira é enquadrada para en­fatizar as antigas paredes de tabique, características da construção antiga, e pela intenção de subtração de ele­mentos opacos. Não obstante o seu uso actual, para arrendamento turísti­co, é deixado um edifício habitacional em estado novo, que permanecerá para usufruto das próximas gerações.

© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)
© Pedro Amorim Rodrigues (PAR)

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos

Localização do Projeto

Endereço:Praça do Município, Jardim da, Praça do Município, 4700-323 Vila Verde, Portugal

Clique para abrir o mapa
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Escritório
Cita: "Apartamentos Braga Urban Studios / ARPO" 02 Jan 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/953704/apartamentos-braga-urban-studios-arpo> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.