Arquitetura do leste europeu: edifícios religiosos e suas controvérsias

Arquitetura do leste europeu: edifícios religiosos e suas controvérsias

Este artigo faz parte da série colaborativa “Arquitetura do Leste Europeu: 50 Edifícios que Definiram uma Era”, desenvolvida em parceria entre o The Calvert Journal e o ArchDaily. Celebrando alguns dos principais ícones da arquitetura do leste europeu, publicaremos periodicamente uma lista com cinco projetos construídos no então Bloco de Leste.

Palácio do Parlamento / Anca Petrescu

Bucareste, Romênia
1984-1997

Palace of the Parliament. Image © Wikimedia Commons
Palace of the Parliament. Image © Wikimedia Commons

O monolítico edifício do Palácio do Parlamento de Bucareste é a personificação em aço e concreto da megalomania totalitária de um déspota. Construído com a “ajuda” de milhares e milhares de soldados romenos e projetado por uma equipe de nada mais nada menos que 700 arquitetos liderados por Anca Petrescu, este monumental edifício foi concebido para atender os desejos mais estapafúrdios do ex-ditador comunista, Nicolae Ceaușescu. Embora a construção do Palácio tenha sido iniciada ainda em 1984, o edifício só foi concluído treze anos depois, em 1997, principalmente por causa do tamanho e complexidade da obra. Atualmente, o Palácio do Parlamento não é apenas um dos principais marcos urbanos da capital romena, mas o segundo maior edifício administrativo do mundo.

E a sua grandiosidade não se restringe à suas dimensões colossais. Com um interior opulento e luxuoso, o Palácio do Parlamento Romeno conta com milhares de salas extraordinariamente ornamentadas, incluindo ainda a casa do Senado e a Câmara dos Deputados, além de três museus e um centro de conferências.

Pavilhão do Mobiliário / N. Tchmutina, A. Stukalov, Y. Chekanyuk

Kiev, Ucrânia
1984

House of Furniture . Image © Chmutina charitable fund of architecture and development
House of Furniture . Image © Chmutina charitable fund of architecture and development

Situado em pleno coração da cidade de Kiev, em meio ao famoso Bulevar Druzhby, o Pavilhão do Mobiliário é uma jóia da arquitetura moderna do leste europeu. Conformado por uma gigantesca laje curva, o Pavilhão foi construído ainda no início dos anos 1980, concebido como uma espécie de showroom e centro de exposições para exibir os mais importantes itens de design produzidos na União Soviética.

Além de operar como uma loja-mostruário, o Pavilhão do Mobiliário de Kiev também operava como a materialização da abordagem soviética ao consumo. A construção massiva de habitação social em toda a União Soviética levou a uma padronização dos espaços interiores e principalmente, dos ítens de mobiliário. Desta forma, pavilhões como o de Kiev foram construídos ao longo de todo o Bloco de Leste para enfatizar o funcionalismo e a praticidade em detrimento ao valor ornamental.

Chorsu Bazaar / S. Adylov, Y. Miroshnichenko e V. Iskhakbayev

Tashkent, Uzbequistão 
1980

Chorsu Bazaar . Image © Wikimedia Commons
Chorsu Bazaar . Image © Wikimedia Commons

Coroado por uma enorme cúpula de concreto ornamentada com mosaicos azuis e verdes, o Chorsu Bazaar é o maior mercado público construído no Uzbequistão. Com uma estrutura maciça de concreto armado e uma iluminação natural cênica e abundante — características do modernismo soviético —, a cúpula colorida do lado de fora expressa a influência islâmica na arquitetura do Uzbequistão, uma característica única da arquitetura soviética construída em países da Ásia Central. O atual edifício é uma reconstrução uma vez que a estrutura original ruiu durante o grande terremoto de 1966.

Extremamente frequentado por comerciantes, residentes e turistas de segunda à domingo, o Chorsu Bazaar é uma pérola modernista construída em pleno centro histórico de Tashkent, capital do Uzbequistão. Além de sua cúpula monumental, o Chorsu Bazaar se esparrama para o lado de fora, cercado por um ecossistema de barraquinhas de frutas e verduras, carnes, peixes e souvenirs além de muita comida de rua para alimentar os ávidos frequentadores do mercado.

Catedral de São Boaventura / Miroslav Matasović

Banja Luka, Bosnia & Herzegovina
1973

St Bonaventure Cathedral. Image © Flickr User: Stefano Perego
St Bonaventure Cathedral. Image © Flickr User: Stefano Perego

Contrastando fortemente com a arquitetura das demais igrejas de Banja Luka, a Catedral de São Boaventura se parece mais com um monumento futurista do que com um edifício religioso. A nova Catedral projetada por Miroslav Matasović foi erguida sobre os escombros de uma antiga igreja neo-gótica, completamente destruída durante o terremoto de 1969. Inaugurada em 1973, a estrutura foi novamente muito danificada durante a guerra civil dos anos 1990, reabrindo suas portas somente em 2001 depois de um amplo projeto de reforma.

Como uma consequência da forte influencia soviética no país, o edifício da igreja foi resolvida com uma ampla cobertura curva em concreto armado que culmina em uma torre central escultórica. Adjacente à nave da igreja, a torre do sino se revela como uma escultura esbelta onde uma escada em espiral leva os visitantes até o topo de seus 42 metros de altura. Absolutamente única, a Catedral de São Boaventura é um dos poucos exemplos de edifícios religiosos construídos durante a era comunista.

Palácio dos Rituais / Viktor Jorbenadze

Tbilisi, Geórgia
1984

Wedding Palace. Image © Wikimedia Commons
Wedding Palace. Image © Wikimedia Commons

Implantado às margens do rio Mtkvari, nos arredores da capital georgiana de Tbilisi, o Palácio dos Rituais é um edifício icônico, incomum e singular. Seu arquiteto, Viktor Jorbenadze, pós-modernista inveterado e até desconhecido na época, é hoje considerado um gênio da arquitetura moderna cujos edifícios fogem a qualquer definição. A forma sugestiva do prédio não é mera coincidência — suas plantas foram inspiradas em formas orgânicas e na anatomia humana.

Além de seu contorno contínuo e fluido, o Palácio dos Rituais era odiado pela grande maioria dos habitantes de Tbilisi: um edifício incoerente, fora de hora e de lugar. Ainda assim ele foi inaugurado a tempo para o festival de Tbilisoba, um importante marco no calendário soviético. O Palácio do Rituais deveria oferecer um lugar à altura dos mais importantes rituais georgianos, contrapondo-se às cerimonias religiosas de caráter anticomunista. Mas de forma até descarada, Jorbenadze projetou o edifício do Palácio como se o mesmo fosse uma igreja católica, com interiores luxuosamente ornamentados e vitrais feitos à mão, afrescos e elementos decorativos.

Traduzido por Vinicius Libardoni.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Lucía de la Torre. "Arquitetura do leste europeu: edifícios religiosos e suas controvérsias" 27 Ago 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/946080/arquitetura-do-leste-europeu-edificios-religiosos-e-suas-controversias> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.