Casa da Eduarda Miranda / ateliermob

Casa da Eduarda Miranda / ateliermob

© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG+ 18

Pedrógão Grande, Portugal
  • Arquitetos: ateliermob
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  134
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fotógrafo Fotografias:  Fernando Guerra | FG+SG
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: AutoDesk, CS Telhas, Cinca, Extrusal, Projeto Mosaico, Vicaima
  • Arquitetos Responsáveis :Tiago Mota Saraiva
  • Equipe De Projeto:Andreia Salavessa, Paula Miranda, Marta Vieira, Cristina Romão, Mariana Robalo, Diana Amaral, Adriana Gil, Carolina Battle Y Font, Ana Rita Nunes, Raquel Coronel, Rita Rodrigues, Ana Catarino
  • Estruturas :BETAR – Eng. José Pedro Ferreira Venâncio
  • Electricidade:EACE
  • Antropologia:Ana Catarino
  • Clientes:Eduarda Miranda
  • Cidade:Pedrógão Grande
  • País:Portugal
Mais informaçõesMenos informações
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Descrição enviada pela equipe de projeto. A 17 de Junho de 2017 um grande incêndio deflagrou em Pedrógão Grande e espalhou-se pela floresta até Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pêra, Sertã, Penela, Góis e Pampilhosa da Serra, afectando cerca de 500 casas (259 das quais eram primeiras habitações). 64 pessoas morreram ao tentar escapar dos incêndios.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Depois da tragédia, cidadãos e instituições fizeram donativos para ajudar à reconstrução das casas e vidas afectadas pelos incêndios. A Fundação Calouste Gulbenkian, responsável por um dos maiores fundos, contratou a Cooperativa Trabalhar com os 99% crl., para providenciar assistencia técnica no processo de reconstrução, no qual o ateliermob fez projecto para 7 casas. Mais do que a simples reconstrução das casas perdidas, o objectivo principal foi o de melhorar as condições de vida destas comunidades, com uma atenção particular para o facto de, na sua maioria, se tratar de população envelhecida.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Foi criado um novo limite, afastado da rua onde a entrada costumava estar. As paredes de pedra a noroeste e a sudoeste foram mantidas e definem os limites do lote. Tentou-se preservar todas as paredes de pedra que foi possível uma vez que este material está historicamente ligado às construções desta zona de Portugal e seria também possível manter alguma memória da antiga casa.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG
Planta - Térreo
Planta - Térreo
© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

A casa é reconstruída num único piso e com uma relação importante com o exterior. Colocaram-se as áreas sociais à esquerda, sala de estar, cozinha e depensa; e as áreas privadas à direita, com três quartos, instalação sanitária e lavandaria. A área exterior envolvente é dedicada à agricultura e pequenos animais. O celeiro é reconstruído em dois pisos, relacionando-se com diferentes níveis do terreno: o inferior para os animais e o superior para agricultura. Foi desenhado ainda um tanque para recolha das águas da chuva e abastecimento da rega.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Casa da Eduarda Miranda / ateliermob" 18 Abr 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/934920/casa-da-eduarda-miranda-ateliermob> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.