Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Brasil
  5. Laurent Troost Architectures
  6. 2017
  7. Casa Campinarana / Laurent Troost Architectures

Casa Campinarana / Laurent Troost Architectures

  • 10:00 - 11 Julho, 2019
  • Curadoria de Matheus Pereira
Casa Campinarana / Laurent Troost Architectures
Casa Campinarana / Laurent Troost Architectures, © Maíra Acayaba
© Maíra Acayaba

© Leonardo Finotti © Maíra Acayaba © Leonardo Finotti © Maíra Acayaba + 28

  • Equipe

    Laurent Troost, Raquel Brasil dos Reis
  • Projeto Estrutural

    Eng. Flávio Carvalho
  • Projetos Complementares

    Eng. Raimundo Onety
  • Paisagismo

    Laurent Troost, Hana Eto Gall, Edith Eto Gall
  • Mobiliário

    MMCité, Dellanno
  • Construção

    Helena Rabello, Daniel Herzson
  • Prêmio 1

    Vencedora – “World Architecture Award 30th Cycle”
  • Prêmio 2

    Vencedora – “2019 Metal Architecture Design Award”
  • Prêmio 3

    Vencedora – “Silver A’ Design Award 2019”
  • Prêmio 4

    Vencedora – “2019 Metal Architecture Design Award”, 2019
  • Destaque 1

    Nomeada – “Prêmio Oscar Niemeyer 2018”
  • Destaque 2

    Selecionada – Expo “L’Amazonie en construction: l’architecture des fleuves volants”, Maison du Brésil, Paris, 2019
  • Destaque 3

    Finalista – “THE PLAN Award 2019”
  • Destaque 4

    Selecionada – Expo “XAMA: 30 anos em 30 obras na Amazônia”
  • Destaque 5

    Selecionada – “Panorama de Obras da XI BIAU - 2019”
  • Destaque 6

    Nomeada – “DEZEEN Awards 2019”
  • Mais informações Menos informações
© Leonardo Finotti
© Leonardo Finotti

Descrição enviada pela equipe de projeto. A Amazônia, mais do que qualquer outra área do planeta, requer estratégias arquitetônicas adequadas ao clima. As condições naturais e ambientais são extremas e a proximidade da zona equatorial exige uma arquitetura orientada para o conforto térmico e a sustentabilidade “passiva”: implantação adequada, criação de beirais protetores, dimensionamento e orientação das aberturas para a ventilação cruzada, assim como a preservação dos sistemas ecológicos locais. A preservação/valorização da Campinarana - tipo de floresta amazônica -  foi o ponto de partida para o conceito do projeto.

© Maíra Acayaba
© Maíra Acayaba

Para minimizar o desmatamento e preservar grande parte da Floresta, a estratégia arquitetônica principal para construção no lote de 20 x 40 metros, foi a inversão da tipologia habitacional clássica. Na Casa Campinara os quartos estão localizados no térreo e os ambientes de vida internos, o estar externo e a piscina, estão localizados no pavimento superior. Para otimizar as relações entre espaços externos e internos e para otimizar a exposição aos fatores climáticos, a casa foi dividida em dois grandes volumes: um longilíneo e outro transversal. O volume longilíneo abriga as funções que não precisam estar protegidas do sol, tais como o acesso, a garagem, o depósito, a piscina, a lavanderia, o quaradouro e a sala de televisão.

© Leonardo Finotti
© Leonardo Finotti
Diagrama - Insolação
Diagrama - Insolação
© Leonardo Finotti
© Leonardo Finotti

Já o volume transversal abriga funções que precisam estar protegidas do sol e das chuvas, tais como a sala de estar, de jantar e as suítes. O volume transversal principal recebeu uma reinterpretação contemporânea dos telhados coloniais, com 8 águas em 2 níveis separados, permitindo a fruição dos ventos e a criação de um colchão de ar, protegendo o conforto térmico do volume de vida do pavimento superior da casa. A largura reduzida do volume principal foi planejada para a garantia da ventilação cruzada em todos os ambientes. O telhado recebeu platibandas invertidas do lado do sol nascente e do sol poente para maior proteção do sol equatorial.

© Maíra Acayaba
© Maíra Acayaba
Planta - Pavimento Superior
Planta - Pavimento Superior
© Maíra Acayaba
© Maíra Acayaba

Também houve a preocupação de criar um telhado independente da casa, com a construção de beirais de dois metros ao Norte e ao Sul, suportado apenas por oito apoios em “V”. O telhado, portanto, pode dilatar em função da variação térmica e insolação ao longo do ano, sem comprometer a estrutura da casa. A escolha do Corten como material do telhado se deu em razão de sua baixa manutenção e de seu caráter evolutivo em harmonia com a Floresta de Campina e seu solo argiloso avermelhado tão presente nas paisagens da Amazônia. Com suas janelas deslizantes em dois lados, a sala de vida envidraçada do pavimento superior permite uma integração total com o estar coberto, a piscina e a natureza.

© Maíra Acayaba
© Maíra Acayaba

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Cita: "Casa Campinarana / Laurent Troost Architectures" 11 Jul 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/920859/casa-campinarana-laurent-troost-architectures> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.