Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Centro Cultural
  4. França
  5. Bjarke Ingels Group
  6. 2019
  7. Centro Cultural MÉCA / BIG

Centro Cultural MÉCA / BIG

  • 20:00 - 7 Julho, 2019
  • Curadoria de Paula Pintos
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Centro Cultural MÉCA / BIG
Centro Cultural MÉCA / BIG, © Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

© Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu + 27

  • Arquitetos

  • Localização

    Bordeaux, França
  • Arquitetos Responsáveis

    Bjarke Ingels, Jakob Sand, Finn Nørkjær, Andreas Klok Pedersen
  • Diretor de Projeto

    Laurent de Carnière, Marie Lancon, Gabrielle Nadeau
  • Equipe de Projeto

    Alexander Codda, Alicia Marie Sarah Borhardt, Annette Birthe Jensen, Åsmund Skeie, Aya Fibert, Bartosz Kobylakiewicz, Bernhard Touzet, Brigitta Gulyás, David Tao, Edouard Champelle, Espen Vik, Greta Krenciute, Greta Tafel, Hyojin Lee, Ivan Genov, Jan Magasanik, Jeffrey Mark Mikolajewski, Karol Bogdan Borkowski, Katarzyna Swiderska, Kekoa Charlot, Lorenzo Boddi, Maria Teresa Fernandez Rojo, Melissa Andres, Michael Schønemann Jensen, Nicolas Millot, Ola Hariri, Ole Dau Mortensen, Pascale Julien, Paul-Antoine Lucas, Raphael Ciriani, Santiago Palacio Villa, Se Hyeon Kim, Sebastian Liszka, Seunghan Yeum, Snorre Emanuel Nash Jørgensen, Teresa Fernández, Thiago De Almeida, Thomas Jakobsen Randbøll, Yang Du, Zoltan David Kalaszi, Tore Banke, Yehezkiel Wiliardy
  • Área

    18000.0 m2
  • Ano do projeto

    2019
  • Fotografias

© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

Descrição enviada pela equipe de projeto. O novo Maison de l'Économie Créative et de la Culture en Aquitaine, MÉCA, criou um marco para a celebração da arte contemporânea, cinema e performances, oferecendo à Bordeaux um espaço público repleto de arte desde a orla até a cidade, uma nova "sala urbana". Com uma localização central entre o rio Garonne e a estação ferroviária de Saint-Jean, o MÉCA reúne três agências de artes regionais - FRAC para arte contemporânea, ALCA para cinema, literatura e audiovisuais, e OARA para artes cênicas - alimentando a cidade listada pela UNESCO como o epicentro cultural.

© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

O edifício é concebido como um encontro entre as instituições culturais e o espaço público, criando uma rampa que conduz até a "sala urbana", uma fachada com vista para as torres do OARA e os escritórios da ALCA, e uma cobertura que abriga as galerias do FRAC, iluminadas zenitalmente. Uma série de degraus e rampas leva o público diretamente para a sala urbana externa de 1100 m2 no centro do MÉCA, gerando uma instituição porosa para os visitantes vagarem livremente entre a rua Quai de Paludate e o calçadão do rio. Um totem de 7 metros de altura ilumina o espaço com luzes LED brancas, como um candelabro moderno na escala da sala urbana. Em ocasiões especiais, os espaços ao ar livre do MÉCA podem ser transformados em palco para concertos e espetáculos teatrais ou uma galeria ampliada para esculturas e outras instalações de arte. Uma escultura de bronze permanente representa uma meia cabeça de Hermes, feita pelo artista francês Benoît Maire, marcando a entrada na beira do rio, convidando os visitantes a refletirem sobre a cultura contemporânea da região.

Diagrama
Diagrama
Diagrama
Diagrama

Ao entrar no MÉCA a partir do térreo, os visitantes chegam ao hall onde podem relaxar na estrutura em espiral ou jantar no restaurante Le CREM, mobiliado com móveis vermelhos e cadeiras de cortiça desenhadas pelo BIG em referência à cidade conhecida pelo vinho. Um periscópio gigante no restaurante e nos elevadores permite que os visitantes vejam a atividade na sala urbana ao ar livre e vice-versa, criando um diálogo interno-externo. No mesmo andar térreo, aqueles com ingressos podem desfrutar de performances no teatro de 250 lugares do OARA, com configurações de assentos flexíveis e sistemas acústicos otimizados por um painel todo em preto de concreto, madeira e metal perfurado. No pavimento superior, os espectadores podem ver as exibições no cinema de 80 lugares com detalhes vermelhos da ALCA ou visitar os dois escritórios de produção e a área de incubação dos projetos.

© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

O FRAC ocupa os pavimentos superiores com espaços de exposição de 7 metros de pé-direito, estúdios de produção para artistas, instalações de armazenamento, auditório de 90 lugares e café. O terraço público de 850 m2 serve como uma extensão flexível para os espaços expositivos, permitindo que futuras instalações de arte e performances em grande escala sejam colocadas ao ar livre em meio a vistas da cidade e da Basílica de São Miguel. A fachada do MÉCA é composta, quase inteiramente, por 4.800 painéis de concreto pré-fabricados intercalados com janelas de vários tamanhos para controlar a quantidade de luz que entra e criar uma sensação de transparência. As lajes de concreto, que pesam até 1,6 toneladas, são jateadas para expor suas qualidades brutas e para texturizar a superfície com o arenito local de Bordeaux. Seus grânulos amarelos trazem brilho e calor, irradiando por meio da luz solar e conferindo ao MÉCA uma visão vernacular familiar e em um novo marco para a cidade.

© Laurian Ghinitoiu
© Laurian Ghinitoiu

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Centro Cultural MÉCA / BIG" [MÉCA Cultural Center / BIG] 07 Jul 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/920494/centro-cultural-meca-big> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.