Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Museus E Espaços De Exposições
  4. África do Sul
  5. dhk Architects
  6. 2018
  7. Museu de Arte Fundação Norval / dhk Architects

Museu de Arte Fundação Norval / dhk Architects

  • 10:00 - 4 Fevereiro, 2019
  • Curadoria de Matheus Pereira
Museu de Arte Fundação Norval / dhk Architects
Museu de Arte Fundação Norval  / dhk Architects, © Dave Southwood
© Dave Southwood

© Dave Southwood © Dave Southwood © Dave Southwood © Dave Southwood + 33

  • Arquitetos

  • Localização

    4 Steenberg Rd, Steenberg Estate, Cape Town, 7945, África do Sul
  • Designer de Interiores / Restaurante e Bar

    Reddeco
  • Designer de interiores / Loja e galeria

    SpaceLIFT & Black Canvas
  • Ano do projeto

    2018
  • Fotografias

  • Agrimensor

    Tony Vroom
  • Consultor Acústico

    Subsonic Designs
  • Consultor de Iluminação

    Pamboukian Lightdesign
  • Consultor de Incêndio

    Ekcon Engineering
  • Contratante principal

    WBHO
  • Topógrafo

    Norval Wentzel Steinberg
  • Paisagismo

    Keith Kirsten Horticulture International (KKHI)
  • Planejadores Urbanos

    Planning Partners
  • Ecologistas de Água Doce

    Freshwater Consulting
  • Ambientalistas

    Ecosense
  • Engenheiros Eletrônicos

    Delportdupreez
  • Engenheiros Eletricistas

    Converge Consulting
  • Engenheiros Civis

    Ekcon Engineering
  • Engenheiros Mecânicos

    Ekcon Engineering
  • Engenheiros Estruturais

    Ekcon Engineering
  • Cliente

    Village Trust
  • Mais informações Menos informações

Descrição enviada pela equipe de projeto
A Fundação Norval está localizada na área de Steenberg, nas encostas da Montanha Constantiaberg, na Cidade do Cabo, na África do Sul, e é cercada por vinhedos. O projeto proporcionou uma oportunidade única para o studio dhk: um cliente com a aspiração de criar um centro cultural e artístico mundial em um local excepcional e aberto ao público.

© Wieland Gleich
© Wieland Gleich

A Fundação Norval foi concebida como um moderno pavilhão de arte, contra uma dramática paisagem de montanhas e vinhedos. É uma pura expressão formal, uma massa retangular em negrito, delineando o recinto com paredes pesadas e uma leve cobertura.

© Wieland Gleich
© Wieland Gleich

O edifício é limitado pelo terreno linear, entre uma rua movimentada e uma zona úmida existente, virando as costas para um complexo vizinho da embaixada. A circulação linear é posicionada ao longo desta borda, com as galerias e espaços públicos voltados para a paisagem natural, capturando vistas emolduradas da zona úmida, vinhas e montanhas no horizonte.

© Dave Southwood
© Dave Southwood
Planta - Térreo
Planta - Térreo

O edifício fica em uma posição elevada e protegida do pântano, criando um espaço privado para o parque de esculturas e um limiar habitado entre as zonas públicas e privadas. Um átrio de três volumes estabelece uma conexão visual deliberada entre essas zonas: uma urbana, a outra natural, e outra fornecendo uma transição física entre esses ambientes contrastantes.

© Dave Southwood
© Dave Southwood
Fachada Oeste
Fachada Oeste

A Fundação Norval é experimentada em uma sequência linear. Uma parede curva que se estende até a entrada, atrai visitantes para além do restaurante de dois volumes, da galeria de lojas e para a generosa recepção que direciona os visitantes ao átrio central que apresenta as principais galerias.

© Dave Southwood
© Dave Southwood

Um terraço ao longo do comprimento do edifício incorpora um deck de madeira que auxilia o restaurante, e se conecta a passarelas de ambos os lados que conduzem ao parque de esculturas. O terreno também inclui um anfiteatro, playground e área de piquenique.

© Dave Southwood
© Dave Southwood

Os espaços da galeria incluem um amplo espaço para exposições, controlado ambientalmente, e uma série de seis pequenas galerias, culminando em uma dramática galeria de esculturas em três volumes, um dramático cenário para peças em grande escala com a Table Mountain como pano de fundo. Todos os espaços da galeria são livres de pilares, permitindo máxima flexibilidade para exibição de todas as formas de arte e que podem ser tratados como experiências isoladas ou como uma jornada sequencial conforme necessário.

Planta - 1° Pavimento
Planta - 1° Pavimento

Os requisitos técnicos muito específicos para os espaços de galeria, em termos de controle ambiental, levam em conta o controle cuidadoso da luz, temperatura e umidade, acústica e prevenção de incêndios. Para criar os espaços mínimos necessários para a exibição de arte, todos os serviços são ocultados nas cavidades das paredes e forro, criando uma aparência ideal.

© Dave Southwood
© Dave Southwood

O programa determina ainda a forma da construção, que é dividida verticalmente entre as galerias do piso térreo e os espaços públicos, e o primeiro pavimento, onde se encontram os espaços mais privados, escritórios, biblioteca, bar, mais um espaço de galeria e residência do artista. Os cofres de armazenamento de arte estão posicionadas abaixo do nível do solo, com o mais alto nível de segurança, bem como um controle de temperatura e umidade de última geração. Além de 32 vagas de estacionamento, microônibus e um embarque de ônibus de turismo, há 124 vagas de estacionamento abaixo do solo, com 8 vagas reservadas para estações de recarga de carros elétricos.

© Dave Southwood
© Dave Southwood

O terreno incorpora um ecossistema de terras úmidas incrivelmente sensível que foi historicamente negligenciado. A área úmida foi reabilitada, com espécies exóticas removidas e replantadas junto a outras plantas e espécies naturais, já atraindo uma multidão de insetos e pássaros para o local. O pântano também é um dos últimos locais de reprodução conhecidos do Western Leopard Toad, uma espécie ameaçada de extinção. A fim de permitir a passagem segura dos sapos, foram construídas passagens em concreto embaixo da estrada, e os aterros e rampas de terra foram cuidadosamente projetados para permitir que os sapos se movessem facilmente pelo local.

© Dave Southwood
© Dave Southwood
© Dave Southwood
© Dave Southwood

Além do parque reabilitado pelas áreas úmidas e paisagísticas, os recursos de sustentabilidade incluem painéis solares fotovoltaicos na cobertura, um sistema de gerenciamento do edifício para otimizar seu desempenho, medidas de economia da água, sistema de purificação de águas cinza, retorno de águas pluviais ao sistema de áreas úmidas e energia, vidros eficientes e sombreamento solar na fachada. Sempre que possível, a luz natural para os espaços internos foi maximizada, com grandes panos de vidro, com exceção de algumas galerias.

© Dave Southwood
© Dave Southwood

A paleta de materiais é simples e honesta, principalmente pelo uso do concreto pré-moldado, madeira natural, granito e vidro, proporcionando contraste com a paisagem natural. As janelas do jardim permitem que a cobertura flutue sobre as paredes pesadas, como a tampa de uma caixa escondendo os tesouros e permitindo que a luz natural indireta e suave penetre nos espaços interiores. Externamente, o concreto pré-moldado é finalizado com uma grade de tartan chanfrada, que chama a atenção para cima, e enfatiza a escala do edifício. Internamente painéis de madeira são usados ​​para trazer conforto aos espaços.

© Dave Southwood
© Dave Southwood

O projeto arquitetônico estabelece um equilíbrio entre duas motivações: proteger a obra de arte e maximizar a vista da paisagem natural externa.

© Dave Southwood
© Dave Southwood

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Museu de Arte Fundação Norval / dhk Architects" 04 Fev 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/910608/museu-de-arte-fundacao-norval-dhk-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.