Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Ace Hotel, Nova York / Roman and Williams

Ace Hotel, Nova York / Roman and Williams
© Romand and Williams
© Romand and Williams

© Romand and Williams © Romand and Williams © Romand and Williams © Romand and Williams + 8

Nova York, Estados Unidos

Descrição enviada pela equipe de projeto. A Romand and Williams (dirigida pelos sócios Robin Standefer e Stephen Alesch) é especializada em design de interiores, trabalhando em vários projetos conhecidos na cidade como o Royalton Hotel, o The Standard Hotel e o The Standard Grill.

Apresentamos agora um dos seus mais recentes projetos, o Ace Hotel em Nova York:

Edifício e História

Alfred Stieglitz e Edward Steichen eram vizinhos; "Diamond Jim" Brady (a inspiração para o personagem de Marlon Brando em Guys & Dolls) era frequentador; o visionário pintor Harry Smith morou lá. Este era o Hotel Breslin e agora se tornou o novo Ace Hotel NYC.

Construído em 1904 como parte do que se tornaria uma avenida de hotéis - primeiros cabeamentos elétricos passando por Victoria, Hoffman e Breslin deram a este trecho da Broadway entre as ruas 23 e 29, o famoso apelido de "o Grande Caminho Branco". Com as 344 salas e 15.000 metros quadrados, o Hotel Breslin foi um dos hotéis residenciais mais conhecidos da cidade no início do século XX, conhecido por sua cor no bairro.

Era a Times Square da virada do século, uma área cheia de clubes e restaurantes e o primeiro bairro de Nova York a ser eletrificado com iluminação e sinalização. Tin Pan Alley, lendária casa de compositores e editores de música como George M. Cohan e Irving Berlin, ficava no extremo norte, e os quarteirões vizinhos abrigavam fábricas e lojas que produziam e vendiam de tudo, de chapéus a chocolates e roupas em 1930.

Como a história do edifício, o Ace Hotel é improvisação, uma mistura de materiais, estilos, períodos históricos e objetos que se juntam em camadas. O design do hotel é inspirado na vibração da vida nas ruas, na honestidade dos materiais e no potencial de invenção. É sobre alma, latente na arquitetura antiga e reintroduzida através do novo design.

© Romand and Williams
© Romand and Williams

Hall

Há muita história e detalhes para conceitualizá-lo. O hotel de doze pavimentos, construído de tijolos e coberto com um telhado, gira em torno de um hall fantasticamente detalhado. Tetos originais, molduras de gesso, esquadrias marcantes, colunas maciças, claraboias arejadas e pisos de mosaico incrustados com um padrão grego, alguns deles obscurecidos por camadas de renovações, enfatizam o ambiente. 

Roman e Williams destacam o primeiro e corrigem o último, removendo a falsidade de uma história atualizada, recriando a estabilidade estética e histórica que vem da grandes estrutura do edifício. A arquitetura em si é tão forte, o ethos original tão perfeitamente articulado, que as decisões de projeto introduzidas por Roman & Williams são como uma progressão de acordes. O escritório é livre de qualquer atenção a um período de tempo ou estilo específico; em vez disso, a inspiração vem do desejo de criar um espaço de intimidade e calor.

A mistura de móveis, objetos, iluminação e acabamentos reflete esse sentimento de não convencionalidade e liberdade. Utilizando peças de diferentes períodos, fontes e usos originais, Roman & Williams criaram algo que parece inteiramente novo. Uma variedade de peças vintage com suas pátinas originais - algumas recuperadas com tecidos industriais modestos como feltro e lã e outras recuperadas com veludos mais luxuosos - misturadas com dois maciços sofás de camurça (que emitem vibrações dos anos 70), projetados por Roman & Williams, oferecem amplo espaço para relaxar e conversar. Uma mesa de laboratório de 5,5 metros com tampo de ardósia oferece espaço para reuniões improvisadas, refeições e conversas. Luminárias personalizadas, feitas vidro e tubos industriais, circundam as quatro colunas maciças do saguão sem afetar as colunas originais. A empresa utilizou apenas caixas de junção existentes no teto, para não perturbar os detalhes originais que foram restaurados. As luzes usam lentes vintage em um aplicativo moderno para se encaixarem ao projeto. O painel recoberto em torno do elevador tem extremidades pretas brilhantes para distingui-las claramente como novas.

© Romand and Williams
© Romand and Williams

A “biblioteca” é definida por unidades de estantes de aço enegrecidas e personalizadas (com uma seleção de livros com curadoria de Ace e Roman e Williams), uma mesa de padaria francesa, cadeiras escolares e poltronas inglesas. Para a recepção, Roman & Williams fundiram três mesas de aço, cobriram os topos de couro e adaptaram-nas para guardar todo o equipamento necessário para um hotel contemporâneo. Um grande armário vintage atrás da mesa fornece armazenamento.

Para o bar do hall, Roman e Williams utilizaram um cômodo inteiro, retirado da biblioteca de um apartamento da Park Avenue, e o instalaram como um palco no saguão. Este espaço de 7,5 por 2 metros opera como um objeto encontrado, como uma obra de arte celebrada e como um ponto focal. Não é um truque - o elemento que o sustenta é visível - mas representa o abraço da história pelos arquitetos, sem a necessidade de recriá-la de forma servil. Acima do bar, enormes letras luminosas de 2 metros de altura, soletrando ACE, preenchem o espaço entre o topo da sala e o pé-direito de 5,5. Ace e Roman & Williams estão contratando um artista para pintar um mural em cima e ao redor dessas letras.

Dormitórios

Enquanto o hall é feito em camadas históricas, de forma lúdica e referencial, os quartos são um pouco mais eficientes, mas ainda assim como pequenos apartamentos modernos. Mobiliário de design personalizado, como um sofá de couro também personalizado que se transforma em uma cama e mesas de madeira compensada com pintura preta, parecem protótipos de meados do século, peças criadas à beira de algo novo, partes da invenção de um estilo totalmente novo; um rack exposto feito de canos de encanamento dobrados com caixas de aço suspensas substitui um armário e desempenha o papel de lembrete histórico, uma referência ao passado industrial do bairro.

© Romand and Williams
© Romand and Williams

Os tubos também aparecem nos acessórios de banho e nos apoios da escrivaninha, mostrando como os materiais de estoque podem ser reapropriados para fazer algo elegante, mas simples e descomplicado, em última análise, anti-design. Para os quartos do Ace Hotel NYC, a Roman e a Williams projetaram o armário aberto, a mesa e uma linha de acessórios de banho e modelaram um material inesperado: tubos de aço. O uso deste material altamente utilitário reflete o sentido de honestidade e simplicidade subjacente à concepção do hotel e também fala de uma área de interesse e exploração na obra de Roman e Williams - encontrar beleza em materiais duráveis ​​e básicos ao usá-los de novas maneiras. Para cada uma das peças, Roman e Williams utilizaram uma grande variedade de diâmetros de tubos. O armário usa uma combinação de materiais: vários tubos configurados com elementos de aço personalizados utilizando o mesmo acabamento preto e com placa perfurada por trás.

© Romand and Williams
© Romand and Williams

A música vem de um toca-discos de LP, e uma cesta é montada sob a mesa para guardar os discos. Uma geladeira Smeg em tamanho real, com seu perfil vintage, abriga o “maxibar”.

Quadros de jovens artistas nas paredes individualizam cada ambiente.

© Romand and Williams
© Romand and Williams

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos

Localização do Projeto

Endereço: Nova York, Estados Unidos

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Ace Hotel, Nova York / Roman and Williams" [The Ace Hotel, New York / Roman and Williams] 15 Dez 2018. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/907332/ace-hotel-nova-york-roman-and-williams> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.