O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Estruturas E Instalações
  4. Brasil
  5. Bambutec Design
  6. 2018
  7. Pavilhão em bambu e biomateriais / Bambutec Design

Pavilhão em bambu e biomateriais / Bambutec Design

  • 05:00 - 18 Outubro, 2018
Pavilhão em bambu e biomateriais / Bambutec Design
Pavilhão em bambu e biomateriais / Bambutec Design, © Juan Dias
© Juan Dias

© Juan Dias © Juan Dias © Juan Dias © Juan Dias + 38

  • Arquitetos

  • Localização

    Av. Octávio Gama - Caborê, Paraty, Brasil
  • Arquitetos responsáveis

    Mario Seixas, João Bina, Patrick Stoffel, José Luiz Mendes Ripper
  • Design

    Tomás Lanzarini, Hector Tabet, Mariana Celnik, Monique Roque, João Brum
  • Área

    345.0 m2
  • Ano do projeto

    2018
  • Fotografias

© Juan Dias
© Juan Dias

Descrição enviada pela equipe de projeto. O Pavilhão em bambu e biomaterias é uma estrutura ecológica ultraleve construída para o Serviço Social do Comércio SESC nas margens do rio Perequê-Açu, na cidade de Paraty - RJ. O Pavilhão situa-se em um campus verde de Mata Atlântica próximo ao mar e foi projetado para cobrir um amplo espaço aberto, sem paredes ou divisórias, recebendo atividades culturais e sociais. A estrutura foi planejada para imergir na vida cultural da cidade de Paraty, com suas belezas naturais, biodiversidade tropical, cultura nativa e história colonial.

© Juan Dias
© Juan Dias

O Pavilhão cobre uma área de 15x23 metros através de uma estrutura modular autoportante em bambu, membranas acrílicas tensionadas e conexões flexíveis que permitem a mobilidade das peças durante a montagem. Pórticos pré-fabricados e conexões articuladas em cabos de poliéster e biocompósitos são montados com agilidade, preservando as barras de bambu livres de esforços de torção, aumentando sua performance estrutural-mecânica. O design das conexões permite geometrias complexas de forma livre e um procedimento criativo de montagem. Modelos físicos e modelos computacionais foram desenvolvidos para a obtenção da estrutura autoportante em bambu. O projeto e a análise estrutural foram desenvolvidos através de modelos em escala, modelos numéricos e protótipos em interação.

© Juan Dias
© Juan Dias

A cobertura utiliza treliças pantográficas em bambu transportadas em formato compacto para o local de montagem e expandidas no solo até atingir sua geometria final. As treliças são revestidas por membranas acrílicas gerando painéis impermeáveis auto-tensionados. Cada módulo de treliça+membrana pesa 110kg, ou seja, 1,5kg/m². O Pavilhão pesa ao todo 2,8 toneladas, com exceção das fundações em concreto armado, correspondendo a 8kg por metro quadrado, resultando em uma estrutura extremamente leve.

© Juan Dias
© Juan Dias
Estrutura
Estrutura
© Juan Dias
© Juan Dias

A montagem não necessita de guindastes ou equipamentos de elevação pesados. A estrutura é erguida em módulos por um sistema de elevação móvel que aplica bipés articulados, polias e cabos, viabilizando um grande número de etapas de montagem no solo. A estrutura é totalmente desmontável e remontável. Sua montagem utiliza 30 dias de trabalho. O Pavilhão apresenta pouca geração de resíduos, baixo consumo de energia e mínimo impacto ambiental. O Pavilhão apresenta processos de fabricação, manutenção e pós-uso provenientes de fontes de energias limpas, gerando emissões negativas de carbono durante o ciclo de vida da arquitetura. Os biomateriais desenvolvidos são transportados embalados com modularidade e leveza.

Planta
Planta
© Juan Dias
© Juan Dias
Junções
Junções

Uma técnica inovadora foi desenvolvida para o encapsulamento do bambu protegendo o material da exposição ao tempo, preservando-o contra o ataque de fungos, umidade e insetos. O encapsulamento aplica um revestimento biocompósito de manta de algodão, terra crua, cola PVA e polímero poliuretano à base de mamona, protegendo os bambus por uma casca externa biodegradável ultra-fina. O encapsulamento é uma solução bioclimática que permite a secagem dos tubos de bambu mesmo após a sua fabricação, devido a capacidade de troca de ar por pressão diferencial, ou seja, um tratamento onde o material respira. As peças tubulares de bambu são previamente selecionadas na plantação, colhidas e tratadas por defumação, livre de preservativos químicos poluentes. A pesquisa contou com apoio da PUC-Rio, da UFMG e da FAPERJ.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: "Pavilhão em bambu e biomateriais / Bambutec Design" 18 Out 2018. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/903912/pavilhao-em-bambu-e-biomateriais-bambutec-design> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.