O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Porque trabalhar demais não fará de você um arquiteto melhor

Porque trabalhar demais não fará de você um arquiteto melhor

  • 07:00 - 9 Setembro, 2017
  • por Brandon Hubbard
  • Traduzido por Vinicius Libardoni
Porque trabalhar demais não fará de você um arquiteto melhor
Porque trabalhar demais não fará de você um arquiteto melhor, Os arquitetos são conhecidos por virar noites trabalhando
Os arquitetos são conhecidos por virar noites trabalhando

Este artigo foi publicado originalmente no blog de Brandon Hubbard, The Architect's Guide.

Em um artigo anterior, Será que você deveria ser um arquiteto?, abordei a questão das longas horas de trabalho ao longo atividade profissional. Considerando que este é um tema recorrente entre os arquitetos, decidi ampliá-lo.

Primeiramente, vamos definir o que é um "bom arquiteto". Ele é mais produtivo? Promovido regularmente? Muito bem remunerado? Alguém que produz excelentes soluções de projeto?

Normalmente, todas essas características tendem a vir juntas. Se você é um arquiteto competente, é provável que seja compensado e promovido como tal. Então, se ser bom em seu trabalho trás fama e fortuna, a produtividade seria o ponto chave da questão?

Muitas vezes, a idéia de produtividade contrasta com as questões de projeto. A palavra "produtiva" remete à imagem de uma linha de produção que exclui rapidamente outras possibilidades.

Aqui está a definição básica de produtivo:
adjetivo
1. Produzindo ou capaz de produzir grandes quantidades de bens, produtos ou outras mercadorias.

Hmmm, realmente isto não soa como o trabalho dos sonhos soa?

Como se pode ver, a definição e a opinião do público sobre ser produtivo gira em torno da idéia de produtividade. É tudo em razão da quantidade ao invés da qualidade. Obviamente, a arquitetura trabalha com prazos assim como todas as outras profissões. No entanto, a cultura das escolas de arquitetura tende para a idéia de que, enquanto houver tempo, ele deve ser usado.

Prazos

Utilizar até o último minuto tende a resultar em um produto melhor?

Virar várias noites resulta em projetos mais refinados?

Existe um benefício psicológico em trabalhar até o último minuto. "Bem, eu não pude fazer mais porque eu não tive tempo". A crença é que você terá menos arrependimentos quando se sabe que não havia mais nada que você pudesse fazer.

Falando a partir de experiência pessoal, trabalhar muitas horas durante anos a fio pode ser muito desgastante, tanto física como mentalmente. Só porque você está consumindo as suas horas trabalhando, isso não significa necessariamente ter projetos melhores no final.

Já é sexta-feira?

Você estaria mais focado em um dia de 8 horas de trabalho ou em uma confusa jornada de 12 horas? E quanto a uma experiência laboral de 6 horas?

A Suécia anunciou recentemente que adotarão a jornada de trabalho de 6 horas. Linus Feldt, CEO da  empresa desenvolvedora de aplicativos de Estocolmo chamada Filimundus, explica seu raciocínio:

"Eu acho que o dia de trabalho com 8 horas não é tão eficaz como se imagina. Manter o foco em uma tarefa específica durante 8 horas é um enorme desafio. Para dar conta disso, misturamos coisas e fazemos pausas para tornar o dia de trabalho mais aceitável. Ao mesmo tempo, temos dificuldades em administrar nossa vida privada fora do trabalho ".

Para lidar com o corte significativo das horas de trabalho, Feldt diz que se solicita às pessoas a ficarem desconectadas das mídias sociais e outras distrações, enquanto o trabalho as reuniões são reduzidas ao mínimo. "Minha impressão agora é que é mais fácil se concentrar no trabalho que precisa ser feito e as pessoas ainda tem energia de sobra quando saem do escritório".

Embora possa continuar a debater os efeitos sobre a saúde ou a falta de equilíbrio entre a vida e trabalho, o objetivo deste artigo é focar na qualidade do resultado final.

Cultura do trabalho

Muitos funcionários dos escritórios "starchitect" geralmente se orgulham do trabalho noturno e das muitas noites viradas por anos a fio. Embora esta seja a cultura, a permanência até a tarde da noite constrói resultados consistentes? Eu não estou falando sobre um excepcional dia mais longo, mas sim sobre as semanas mais longas que 60 horas.

Pessoalmente, descobri que, ao finalizar o trabalho, não era nada muito além daquilo que poderia ter feito durante a tradicional jornada de 8 horas. Quando você está cansado e mentalmente exausto, o processo criativo se transforma apenas em mão-de-obra.

Isso cria um ciclo vicioso. Estou cansado, por isso trabalho mais devagar, então produzo menos, logo eu terei que trabalhar mais, o que me deixa cansado.

"Nós, arquitetos, somos artistas"

Ninguém pode dizer a um artista como algo deve ser feito. O projeto de arquitetura é certamente uma tarefa complexa com muitas variáveis dinâmicas e está cheio de ineficiências como qualquer outra profissão.

De acordo com uma pesquisa do Salary.com, 69% das pessoas entrevistadas confessaram matar tempo no trabalho todos os dias.

A maioria das pessoas (34%) disse que rotineiramente desperdiçam até 30 minutos por dia do tempo de trabalho. Quase um quarto (24%) disseram que desperdiçam entre 30-60 minutos por dia, com 11% afirmando que passam várias horas perdendo tempo com coisas não relacionados ao trabalho diariamente. 

A tendência nos últimos anos parece ser jornadas mais longas, especialmente para os trabalhadores assalariados. Acredito que isso não tem a ver com um aumento na carga de trabalho, mas sim pela disseminação de aplicativos, sites e de redes sociais que distraem. Obviamente, isto não era uma questão relevante quando foram projetados as mesas e cadeiras de escritório. 

A geração de "millennials" é aquela que recebe a maioria das críticas em relação a esta ética de distração no trabalho. No entanto, existe uma crença entre alguns colegas de que o trabalho e vida pessoal estão se tornando uma coisa só. Este conceito foi abordado em um artigo recente: o trabalho está se tornando uma nova igreja?

Eles vêem o trabalho como uma extensão de si mesmos e suas vidas em geral. Eles são muito mais propensos a socializar e construir relacionamentos com seus colegas - vê-los como parte de sua família, pois geralmente a família vive a centenas ou milhares de quilômetros de distância.

As horas de trabalho sem fim parecem aumentar, isso é um fato verídico para os trabalhadores engravatados (inclusive arquitetos). Embora ainda estejamos nos estágios iniciais da pesquisa sobre o tema, a questão parece ter mais a ver com a capacidade manter o foco do que o resultado destas horas a mais.

Por que a arquitetura impõe longas jornadas?

Olhando para trás durante minha experiência acadêmica, ela realmente criou um modelo de perda de tempo. Um espaço aberto e colaborativo com os amigos principalmente. Embora isto seja ótimo e divertido, conversar por horas raramente resulta em algo.

Esta cultura, em última análise, continua no mundo profissional. Alguns podem argumentar que não há horas suficientes no dia, geralmente, isto é resultado da falta de foco e de planejamento.

Talento (apenas) é o segredo?

É verdade que algumas pessoas têm um olho clínico para o projeto. No entanto, é como um músculo que pode ser exercitado, apenas demanda mais "esforço" de alguns em relação à outros.

Não acredito que grandes arquitetos tenham competências inatas, mas que se conquistam através de anos de trabalho consistente, o qual permite desenvolver as habilidades e conexões necessárias para se ter sucesso. É por este motivo que as jornadas mais longas de trabalho freqüentemente são associadas a arquitetos mais jovens. Além da necessidade de "provar para si mesmos" que são capazes, a maioria nunca se deparou com muitos dos problemas de projeto antes. Portanto, é necessário que aprendam a lidar com cada solução de uma vez.

O que pode ser feito?

Sem entrar em detalhes mais específicos sobre como ser mais produtivo (talvez em um futuro artigo), há algumas coisas que você pode fazer para tentar ser mais eficiente no trabalho.

1. Começe mais cedo

Isso pode soar completamente não intuitivo, mas a maioria das pessoas é capaz de fazer mais coisas antes que o resto do escritório chegue e o telefone comece a tocar. Além disso, trabalhar com uma hora de vantagem para seu supervisor pode ser ideal para você.

2. Desligue as notificações de e-mails

Isto tende a te desconcentrar com frequência. Sentir a urgência de parar o que você está fazendo para responder e-mails pode ser bastante improdutivo. Normalmente, é preciso apenas verificar o e-mail uma vez ou menos, se possível.

3. Deixe seu celular de lado

Você pode verificá-lo durante o almoço ou quando sair do trabalho. Assim como o aviso de e-mails, as inúmeras notificações de seu smartphone facilmente tomará sua atenção durante todo o dia.

4. Faça uma lista de tarefas

Redija uma lista de tarefas todas as manhãs. Isso ajudará a mantê-lo focado no trabalho e te dará uma sensação de realização enquanto for  superando cada uma delas.

Últimas considerações

Dependendo da rotina do seu escritório, pode ser impossível mudar seu horário de trabalho. No entanto, uma regra simples a se ter em mente é trabalhar enquanto você estiver no trabalho. O escritório não é um clube de campo nem sua sala de estar, trate-o como tal, ao contrário isso só prejudicará sua carreira à longo prazo.

Não há nada de errado em trabalhar duro quando necessário, apenas não faça disso, seu estilo de vida.

Para ajudá-lo com a pesquisa por ofertas de emprego na arquitetura, criei um mega-pacote de recursos gratuitos que inclui currículos de arquitetura, cartas de apresentação e uma extensa coleção de documentos e aplicativos. Clique aqui para baixar gratuitamente.

Sobre este autor
Brandon Hubbard
Autor
Cita: Hubbard, Brandon. "Porque trabalhar demais não fará de você um arquiteto melhor" [Why Working Long Hours Won't Make You A "Better" Architect] 09 Set 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/879112/porque-trabalhar-muitas-horas-nao-fara-de-voce-um-arquiteto-melhor> ISSN 0719-8906
Ler comentários