O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Proposta de Estudio America e Mario do Val no Concurso para o Terminal Internacional de Passageiros de Punta Arenas, Chile

Proposta de Estudio America e Mario do Val no Concurso para o Terminal Internacional de Passageiros de Punta Arenas, Chile

Proposta de Estudio America e Mario do Val no Concurso para o Terminal Internacional de Passageiros de Punta Arenas, Chile
Proposta de Estudio America e Mario do Val no Concurso para o Terminal Internacional de Passageiros de Punta Arenas, Chile , Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL
Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL

A Empresa Portuaria Austral (EPA) convocou o Concurso para o Terminal Internacional de Passageiros de Punta Arenas, Chile, na busca de uma proposta que intervisse de maneira integral no polígono funcional do porto, permitindo "acolher, desenvolver e potencializar essas novas demandas de serviços", segundo explicam as bases do concurso.

 A seguir, apresentamos o memorial do projeto realizado pela equipe formada por Estudio America e Mario do Val. Já apresentamos o projeto que recebeu o primeiro lugar e neste link é possível conhecer todos os outros premiados.

OBJETIVOS

Transformar o porto em um lugar da cidade, que permita a experiência de caminhar ao longo da margem costeira e a contemplação de seu movimento e funcionamento; unir a frente marítima e a frente urbana, convertendo-os em uma rede de espaços públicos agradáveis e atrativos; fazer possível a coexistência de usos aparentemente incompatíveis como o porto e a cidade, através da criação de uma nova forma de centro que seja motor da regeneração urbana e do turismo de Punta Arenas, fator importante de crescimento para a economia local.

Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL
Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL

Aproximar as pessoas ao Estreito de Magalhães, sua paisagem e história, que faz referencia a um dos grandes logros da humanidade, que se aproxima de completar 500 anos. Em 11 de novembro de 1520, uma passagem abrigada que liga o Atlântico ao Pacífico foi descoberta pela flotilha liderada por Fernão de Magalhães, durante a viagem pioneira de circunavegação do planeta terra. Durante os séculos seguintes, o Estreito foi a passagem mais segura entre os dois oceanos, estabelecendo Punta Arenas como um importante ponto comercial do hemisfério sul. Entretanto, com a abertura do Canal do Panamá em 1914, a cidade e seu porto tiveram suas vidas radicalmente alteradas. Ao longo do século XX, o píer deixou de ser um ponto de passagem de grandes rotas marítimas para se converter em parada obrigatória para embarcações que operam ao sul da Convergência Antártica.

Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL
Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL

Logo, o desafio colocado pelo concurso é de contemplar os objetivos urbanos e simbólicos ao mesmo tempo que promova melhorias no porto, seja organizando seus fluxos, ampliando suas funções de apoio a expedições comerciais, científicas e turísticas. Em especial, promover infraestrutura urbana adequada para um volume anual de 100.000 passageiros e para os habitantes da cidade em épocas de baixa temporada.

Estes são os desafios contemplados para o projeto do novo Terminal Internacional de Passageiros – TIP, um edifício emblemático para Punta Arenas e a Região de Magalhães, porta de entrada de um território geográfico extremo e único.

ESTRATÉGIA

Diagrama Estrutural
Diagrama Estrutural

A primeira escala de projeto é a Envoltória Urbana, onde se propõe um extenso caminho sul-norte, uma linha entre o mar e a cidade que se estabeleça como um parque costeiro. Nele, uma rede de espaços que promovam a integração e a acessibilidade da zona portuária com a trama urbana.

Para isso, em uma escala mais específica, são desenhados novos passeios no setor sul [av. 21 de mayo], dotando-o de melhorias urbanas como ciclovias, árvores, play-grounds, mobiliário e equipamentos urbanos e de apoio náutico. Pequenas praças, alargamentos, mirantes e píers são complementados por serviços como café, serviços sanitários e outros apoios ao ócio. Esse sistema de pequenos espaços públicos é focado no encontro das vias com a avenida principal, onde cada esquina da cidade com o mar vire um ponto de atração urbana.

Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL
Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL

Na zona portuária, segunda escala de intervenção, o gradil que separa o porto da cidade é substituído por uma generosa calçada que configura toda sua frente urbana. Em complemento ao novo edifício do TIP, os antigos galpões do porto voltados para a rua se convertem em um equipamento urbano multiuso com auditório, área de exposição, áreas de alimentação e lojas. O conjunto que faz frente à cidade configura-se em uma rede de equipamentos urbanos que atendem não apenas ao turista, mas também ao cidadão local durante todo o ano. Dessa forma, procura-se a viabilidade econômica de todo o empreendimento assim como a consolidação das transformações urbanas iniciadas na década de 1990.

Como estratégia geral de desenho, é proposta uma manipulação da topografia plana da cidade e do porto, com a criação de novas cotas urbanas. Dessa maneira procura-se dar forma e escala ao grande vazio e diminuir a necessidade de grandes barreiras físicas entre as áreas livres e a zona restrita do porto. O passeio elevado se articula a partir da Plaza del Reloj, na chegada da Av. Independencia, destacando a transição entre o tecido urbano e o portuário até alcançar uma plataforma elevada que permite a visualização das atividades no cais. Logo ao lado, outra pré-existência – o edifício administrativo – ganha um volume elevado e um anexo subterrâneo com estacionamentos restritos e áreas de apoio operacional.

Do outro lado do edifício TIP, na porção sul do cais, uma grande praça multiuso serve a propósitos urbanos e operacionais. Sua parte central tem escala para grandes eventos ao ar livre, ao mesmo tempo que suas dimensões são projetadas para o estacionamento e manobra de ônibus turísticos que façam o transbordo de passageiros em dias de operações com cruzeiros. Entre a praça multiuso e a avenida, uma outra plataforma de madeira cria uma arquibancada em direção a praça e ao Estreito de Magalhães, ao mesmo tempo que abriga um estacionamento com 80 vagas de automóveis. Ao redor dessa área, um deck elevado organiza o passeio público e permite uma infinidade de percursos a beira mar. Junto com o TIP, este deck de ajuda a organizar uma zona híbrida de transição: em dias sem operação de cruzeiros tem acesso livre a partir de duas entradas. Em situações com passageiros, estes acessos são fechados e esta zona se configura em uma praça de acesso de turistas até as embarcações.

Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL
Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL

A topografia artificial penetra no edifício do TIP, a terceira escala de projeto. Nele, a superfície dobrada do piso é interrompida apenas por uma pele de vidro duplo que garante abrigo ao mesmo tempo que preserva absoluta transparência. A cota elevada organiza a transição entre os dois grandes espaços do TIP: o salão de passageiros e o salão de eventos. Programas que podem ser unidos ou segregados com a simples manipulação de painéis móveis de vidro. Como um grande manto, uma cobertura composta apoiada sobre uma estrutura de madeira laminada proporciona variações de alturas internas e de ambientações. As áreas comerciais do TIP voltadas para a rua, junto com os programas de apoio, estão condensadas em um edifício interno de concreto armado, que configura a fachada urbana do edifício. E sobre parte do salão de eventos, repousa um volume independente que cria um mirante em direção ao Estreito e abriga o restaurante. Um jogo de espaços, fenestrações e cenas oferecem aos usuários um rico cardápio de visuais, ambientes e sensações distintas dentro do mesmo edifício.

O projeto busca uma conciliação entre simplicidade e expressividade e entende que a escala urbana é preponderante, embora o edifício cumpra um papel fundamental na reformulação daquele ambiente. Plasticamente foi desenhado tendo em mente a mirada a partir das embarcações que chegam ao cais e tem sua primeira impressão da paisagem de Punta Arenas.

DESEMPENHO DO EDIFÍCIO E CONFORTO AMBIENTAL

Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL
Cortesia de ESTUDIO AMERICA + MARIO DO VAL

São propostas soluções que harmonizem a utilização dos espaços com as condições climáticas rigorosas daquela região da Patagonia: massas construídas, barreiras de vidro, vegetação, móveis e os próprios desníveis da topografia artificial.

O edifício do TIP incorpora as técnicas mais avançadas do uso racional de recursos naturais e eficiência energética. São propostas estratégias de retenção de calor pela cobertura composta e pelas fachadas de vidro duplo. O revestimento externo do telhado é feito de placas de cobre e sob ele são previstas camadas de isolamento térmico, com acabamento liso branco na parte interna, de forma que reflita ao máximo a luminosidade artificial. Esta cobertura é estruturada com peças de madeira laminada colada organizadas em pórticos e ancorada no volume de concreto armado, que oferece a resistência não só aos esforços verticais da própria estrutura e do eventual acúmulo de neve, mas especialmente a vetores horizontais oriundos especialmente dos fortes ventos da região e de alguma atividade sísmica que possa incidir sobre a estrutura. A fachada de vidro duplo possui uma estrutura metálica própria, travada na cobertura. Tanto a cobertura quanto o piso elevado próximo ao salão de eventos permitem a instalação dos mais diversos tipos de dutos para instalações elétricas, hidráulicas e de climatização.

Corte T2
Corte T2

O edifício todo foi projetado pensando na sua construção racional, rápida e com baixa emissão de resíduos. As peças estruturais de madeira laminada da cobertura, assim como todos os componentes de aço são fabricados remotamente e apenas montados no canteiro de obras. Em geral, se buscou especificar materiais e soluções duráveis, de baixa manutenção e que estejam plenamente disponíveis no mercado de construção chileno.

  • Equipe

    Estudio America + Mario do Val
  • Autores

    Guilherme Motta, Lucas Fehr, Mario do Val e Roberto Ibieta
  • Colaboradores

    Gabriela Torres, Gustavo Wierman, Kirsten Larson, Lucas Dalcim, Natalia Campilongo, Pedro Giunti, Pedro Lindenberg, Pedro Wendling Pontes
  • Consultoria em Estruturas

    Ricardo Dias

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Cita: Eduardo Souza. "Proposta de Estudio America e Mario do Val no Concurso para o Terminal Internacional de Passageiros de Punta Arenas, Chile " 11 Mar 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/866894/proposta-de-estudio-america-e-mario-do-val-no-concurso-para-o-terminal-internacional-de-passageiros-de-punta-arenas-chile> ISSN 0719-8906