Anunciados os vencedores do concurso Tokyo Pop Lab

Anunciados os vencedores do concurso Tokyo Pop Lab
Por Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee Breeders
Por Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee Breeders

As descrições detalhadas dos vencedores do Bee Breeders Tokyo Pop Lab foram lançadas. O edital do concurso solicitava um novo programa para estudar e produzir meios de cultura pop em Tóquio. Desenhando de uma ampla gama de história da cultura pop internacional, os participantes foram incentivados a investigar a migração e a evolução da cultura pop em todo o mundo ao longo do tempo, e examinar a relação entre cultura e arquitetura.

Ao desafiar as tipologias estabelecidas da cultura pop, as propostas exibiram uma ampla gama de ideologias. As submissões bem sucedidas foram escolhidas por suas representações nuançadas de cultura pop, representação clara e agendas coerentes para o programa do novo laboratório.

Dê uma olhada nos vencedores no concurso Tokyo Pop Lab a seguir.

Por Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee BreedersPor Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee BreedersPor Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler. Cortesia de Bee BreedersPor Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli. Cortesia de Bee Breeders+ 38

Primeiro Lugar: Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli / Itália

Por Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli. Cortesia de Bee Breeders
Por Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli. Cortesia de Bee Breeders

O sucesso da proposta do primeiro lugar reside na sua clareza de massa combinada com uma forte posição formal e conceitual em resposta ao edital. O projeto consiste de dois grandes cubos implantados em cantos opostos do terreno, levantados acima do térreo, e reunidos com uma passarela elevada. Um cubo contém o componente de pesquisa de mídia de massa do programa e o outro contém um espaço indefinido de "manifesto" e experimentação, representada por um balão vermelho inflado à espera de estourar. Este cubo é adornado com imagens bidimensionais na forma de tapeçarias de tecido de altura total, obscurecendo o recipiente por trás de um véu efêmero de mídia flutuante. Na grade, um muro de concreto separa a calçada de um pátio público / galeria e outros programas públicos. A partir da rua esta parede só permite vistas dos cubos binários, gerando o sentido de um mundo separado e interior.

É importante notar que o projeto não restringe a cultura pop a uma determinada forma ou a um determinado momento no tempo, mas sim busca criar um espaço genérico e uma arquitetura vazia, perpetuamente inflando com a exploração e representação dos meios de comunicação e da cultura pop. A construção desmontada, mas bem articulada, de aço e concreto, permite que o projeto navegue com êxito no campo minado da iconicidade pop contemporânea e tradicional, evitando habilmente as ferramentas de representação esperadas. Através de sua montagem massiva e tectônica, a proposta adota uma postura sobre o papel, o poder e a natureza efêmera da imagem consumida, inserindo-se no "manifesto" como a apropriação e crítica cultural do ciclo interminável de produção e consumo.

Por Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli. Cortesia de Bee BreedersPor Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli. Cortesia de Bee BreedersPor Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli. Cortesia de Bee BreedersPor Attilio de Palma, Andrea Longo e Enrico Nicli. Cortesia de Bee Breeders+ 38

Segundo lugar: Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro / Itália

Por Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee Breeders
Por Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee Breeders

O segundo lugar se distingue pela sua definição e organização do programa público e da atividade social. Diagramaticamente, o projeto pode ser descrito como um pavilhão cívico, interrompido de forma diversa por volumes elevados de atividades discretas e localizadas. Abaixo e entre esses volumes flutuantes, a vida urbana se estende perfeitamente dentro do edifício, talvez se assemelhando mais de perto ao precedente de uma colunata ou piazza. Através de uma planta aberta e cuidadosamente considerada, o esquema estabelece um fórum público urbano para a cultura popular.

O projeto inverte de forma única o modelo tradicional de um espaço de exposição contido pela distribuição de mídia em todo o espaço público primário - a circulação em torno dos volumes diferenciados. Dentro de cada um dos volumes distribuídos, as funções acadêmicas, incluindo salas de aula e uma sala de aula, estão contidas. Em vez de assumir uma expressão singular ou limitada, a proposta estabelece um fórum para expor, celebrar, discutir e debater o fluxo e refluxo da cultura popular em suas diversas formas de expressão através de uma programação cuidadosa do espaço público.

Por Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee BreedersPor Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee BreedersPor Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee BreedersPor Stella Cinzia, Leonardo Ramondetti, Marco Lagamba e Francesco Montesoro. Cortesia de Bee Breeders+ 38

Terceiro Lugar: Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler / Suíça

Por Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler. Cortesia de Bee Breeders
Por Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler. Cortesia de Bee Breeders

O vencedor do terceiro lugar é notável por sua clareza de pensamento e propósitos. O projeto organiza-se em torno de três elementos conceituais e programáticos, incluindo um cubo distorcido, uma réplica do parterre do Palácio de Versalhes, e um vazio branco infinito aninhado. Discreto porém convincente, o projeto oscila entre esses elementos, descrevendo através da arquitetura uma posição crítica e reflexiva da cultura popular como fenômeno social.

A forma de encerramento e significação do projeto é singular e definitiva. Um cubo moderadamente inflado adornado por uma membrana envidraçada produz uma reflexão distorcida e interpretação dos arredores do edifício - tanto da cidade como da cultura popular local, por assim dizer. Ocupando a outra metade do lote, o replicado Jardin de Versailles é ofuscado. Através da justaposição, o cubo inflado e a réplica barroca provocam uma notável afirmação sobre o contraste entre a cultura popular e a cultura elitista - a primeira, uma reflexão fenomenológica do presente imediato, esta última uma referência à propriedade histórica. O interior é ancorado por uma sala de exposições, materializada como um vazio branco infinito e descrita como uma tela para a expressão individual, cultural. Coletivamente, esses três elementos descrevem e, assim, acomodam o dinamismo da cultura popular, um subproduto da reflexão social, do legado histórico e da expressão individual.

Por Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler. Cortesia de Bee BreedersPor Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler. Cortesia de Bee BreedersPor Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler. Cortesia de Bee BreedersPor Alina Kvirkveliya e Sacha Gengler. Cortesia de Bee Breeders+ 38

Notícia via: Bee Breeders

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Wu, Alyssa. "Anunciados os vencedores do concurso Tokyo Pop Lab" [Tokyo Pop Lab Competition Winners Announced ] 05 Dez 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/800670/anunciados-os-vencedores-do-concurso-tokyo-pop-lab> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.