O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Habitação Coletiva
  4. Alemanha
  5. Álvaro Siza Vieira
  6. 1984
  7. Clássicos da Arquitetura: Wohnhaus Schlesisches Tor (Bonjour Tristesse) / Álvaro Siza Vieira + Peter Brinkert

Clássicos da Arquitetura: Wohnhaus Schlesisches Tor (Bonjour Tristesse) / Álvaro Siza Vieira + Peter Brinkert

Clássicos da Arquitetura: Wohnhaus Schlesisches Tor (Bonjour Tristesse) / Álvaro Siza Vieira + Peter Brinkert
Clássicos da Arquitetura: Wohnhaus Schlesisches Tor (Bonjour Tristesse) / Álvaro Siza Vieira + Peter Brinkert, © via Wikipedia Commons
© via Wikipedia Commons

Bonjour Tristesse é um projeto de habitação social do arquiteto português Álvaro Siza Vieira. Localizado em Berlim, foi sua primeira obra construída fora de seu país natal. O projeto oferece um precedente significativo na densificação urbana, demonstrando um equilíbrio delicado entre a consciência contextual, liberdade criativa e visão progressista.

Foto do terreno anterior à construção. Image © Flickr user Hen's March © Flickr user Humberto Marum © Flickr user lortnoc © Flickr user jaime.silva + 9

Encomendado em 1980, Bonjour Tristesse foi um dos muitos projetos concebidos para a Exposição Internacional de Construção de Berlim de 1987. Arquitetos como Peter Eisenman, Aldo RossiJames Sterling e Álvaro Siza foram convidados a contribuir para a reconstrução da Berlim pós-guerra. Os projetos para a exposição teriam que ser projetadas com foco na renovação urbana gentil e reconstrução crítica.

O projeto habitacional de Siza situa-se no bairro de Kreuzberg, na esquina de uma quadra do século 19. Como o edifício de esquina original foi destruído na guerra, um grande vazio foi deixado entre os edifícios de cada lado. Após a guerra, algumas lojas térreas foram construídas, mas esta solução não coincidia com as alturas dos edifícios circundantes e não provia nenhuma residência, o que era extremamente necessário. Em 1980, as lojas foram demolidas, a fim de abrir caminho para o novo Bonjour Tristesse.

Foto do terreno anterior à construção. Image © Flickr user Hen's March
Foto do terreno anterior à construção. Image © Flickr user Hen's March

A estrutura de sete andares exibe fortemente a natureza contextual do trabalho de Siza, que é bem conhecido por sua sensibilidade com o entorno. A característica mais proeminente do projeto é sua fachada contínua curva que une os edifícios adjacentes e efetivamente completa a esquina da quadra. Este gesto escultórico é ecoado na parte traseira do edifício por uma pequena curva côncava. Outra característica da sua morfologia é o sutil crescimento da cobertura. O exterior cinza é penetrado por uma rede densa e regular de janelas, refletindo a típica ordem e ritmo dos edifícios vizinhos.

Planta Tipo
Planta Tipo
Fachada
Fachada

No contexto, o projeto de habitação social Bonjour Tristesse aparece visualmente como intrigante e contraditório. Embora o padrão rígido das janelas seja utilizado para se mesclar com o entorno, a forma curvilínea se destina a ser uma referência para o expressionismo alemão, e assim contrasta com o seu entorno. É essa justaposição que fornece à estrutura uma aparência extremamente original. [1]

Um edifício de uso misto, Bonjour Tristesse abriga funções comerciais ao nível do solo e residenciais nos seis andares acima. Uma proposta inicial do projeto incluiu 24 unidades e 4 escadas, no entanto, isso foi revisto para 46 unidades e 2 escadas, a fim de melhor atender a necessidade urgente de habitação em Kreuzberg.

O projeto ficou conhecido como Bonjour Tristesse ("Olá tristeza" em francês) por causa do graffitti que apareceu na parte superior da fachada no final dos anos 1980. Siza, que particularmente não gostava da pintura, originalmente queria retirá-la, mas decidiu deixá-la após perceber que pintar sobre ela a deixaria ainda mais destacada, e repintar toda a fachada não seria financeiramente possível. [2]

© Flickr user jaime.silva
© Flickr user jaime.silva

Construído durante uma época que era necessária a regeneração de Berlim, Bonjour Tristesse serve como uma contribuição sutil, mas marcante, à identidade do pós-guerra da cidade. O projeto de habitação social em Berlim, como primeiro projeto fora de Portugal, elevou o seu reconhecimento internacional e acarretou em um aumento de projetos globais. Siza, que é bem conhecido por sua capacidade de integrar projetos ao entorno urbano, recebeu em 1992 o Prêmio Pritzker.

Croqui
Croqui

Fontes:
[1] Leoni, G. Álvaro Vieira (Milan: Motta, 2009).
[2] Winant, P. Street Art: Facades – Moving with the Times (Worms, Germany: Renolit SE). <http://www.renolit.com/fileadmin/renolit/corporate/images/Architects/Renolit_2_gb_web.pdf>

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: Pascucci, Denim. "Clássicos da Arquitetura: Wohnhaus Schlesisches Tor (Bonjour Tristesse) / Álvaro Siza Vieira + Peter Brinkert" [AD Classics: Wohnhaus Schlesisches Tor (Bonjour Tristesse) / Álvaro Siza Vieira + Peter Brinkert] 06 Jun 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/788901/classicos-da-arquitetura-wohnhaus-schlesisches-tor-bonjour-tristesse-alvaro-siza-vieira-plus-peter-brinkert> ISSN 0719-8906