O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Habitação Coletiva
  4. Reino Unido
  5. OMA
  6. 2016
  7. Holland Green / OMA + Allies & Morrison

Holland Green / OMA + Allies & Morrison

  • 09:00 - 5 Junho, 2016
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Holland Green / OMA + Allies & Morrison
Holland Green / OMA + Allies & Morrison, © Nick Gutteridge
© Nick Gutteridge

© Philip Vile © Philip Vile © Sebastian van Damme © Nick Gutteridge + 31

  • Colaborador Responsável OMA

    Reinier de Graaf
  • Diretor de Projeto OMA

    Carol Patterson
  • Gestão de Projeto OMA

    Mario Rodriguez, Isabel Silva, Fenna Wagenaar, Mitesh Dixit, Richard Hollington III, Beth Hughes
  • Colaboradores Allies and Morrison

    Simon Fraser, Robert Maxwell
  • Diretor Allies and Morrison

    Neil Shaughnessy
  • Diretores Associados Allies and Morrison

    Joel Davenport, Heidi Shah
  • Associados Allies and Morrison

    Sean Joyce, Johanna Coste-Buscayret
  • Equipe Allies and Morrison

    Dinka Beglerbegovic, Fabiana Paluszny, Stuart Thomson
  • Engenharia Estrutural

    Arup Structures
  • Engenharia

    Arup Services
  • Acústica

    Arup Acoustic
  • Fachada

    Arup Facades / FMDC
  • Topógrafo

    AECOM
  • Paisagismo

    West 8
  • Design de Inteiores

    CZL
  • Iluminação

    R.A.L.C
  • Fomentador

    Chelsfield Developments (Kensington) Ltd.
© Philip Vile
© Philip Vile

HISTÓRIA

O Instituto Commonwealth, por Robert Matthew e Johnson-Marshall and Partners, concluído em 1962, marca a transição do Império Britânico a Commonwealth. Considerado um importante edifício moderno pelo Patrimônio Inglês, foi listado pela primeira vez em 1988 e novamente em 1990 por seu interesse arquitetônico especial. Somente em 2002, depois de ter recebido uma grande reforma feita por Avery Associates (2000/2001), o edifício foi fechado ao público. Em 2006, o governo tentou remover o Instituto Commonwealth, mas não conseguiu, salvando o edifício da demolição.

© Sebastian van Damme
© Sebastian van Damme

CONCURSO

Em março de 2008, após uma pequena competição, o OMA foi selecionado a partir de uma lista de seis arquitetos internacionais, que incluiu Rafael Moneo, Rafael Viñoly Architects, Eric Parry Associates, Caruso St John e Make Architects. A competição procurou explorar o potencial para uma nova utilização da principal sala de exposições e substituição da ala de administração (de menor interesse*) pelo desenvolvimento residencial para ajudar a financiar a remodelação do salão principal.

© Sebastian van Damme
© Sebastian van Damme

URBANISMO

Na proposta do OMA, a demolição da ala administração é interpretada como uma oportunidade para libertar o salão principal da exposição, o que lhe permite ser apreciado como 'uma tenda no parque ", de acordo com a sua intenção original. A proposta para os edifícios residenciais utilizam livremente objetos permanentes dentro da paisagem. Orientados para alinharem-se com o salão de exposição, pretendem integrar o corredor até um "conjunto de edifícios".

© Hufton+Crow
© Hufton+Crow

Dentro deste conjunto, cada edifício é dimensionado proporcionalmente - como bonecas russas - para reagir a escala de seu entorno imediato: O prédio da frente, afastado da rua para manter a condição da praça existente, responde à escala dos edifícios vizinhos na rua Kensington. O maior dos três edifícios novos, voltado para dentro do terreno é ocultado tanto do Holland Park quanto da High Street, correspondendo à altura dos edifícios do Park Close - dois edifícios adjacentes dos anos 60. O menor edifício, de frente para o parque, remete à altura da parábola.

Fachada
Fachada

ARQUITETURA

As geometrias ortogonais dos novos edifícios residenciais representam um contraste deliberado com as geometrias hiperbólicas dramáticas da cobertura do salão de exposições. As fachadas dos edifícios novos registram a amplitude da curvatura do telhado como 'papel gráfico'.

© Nick Gutteridge
© Nick Gutteridge

Cada fachada residencial é um híbrido de dois tipos de fachada diferentes: um sendo um conjunto de janelas verticais idênticas, o outro essencialmente a expressão da grelha estrutural dos edifícios. Este último oferece aos apartamentos magníficas vistas e também incorpora seus espaços ao ar livre, incluindo os grandes terraços nos pisos superiores. Os dois tipos de fachada coexistem em uma relação aparentemente acidental. 

Diagrama
Diagrama

A adição de varandas confere uma certa plasticidade aos volumes, permitindo que (alguns) apartamentos estendam-se para fora do perímetro do edifício, redirecionando o ponto de vista para a própria fachada.

© Hufton+Crow
© Hufton+Crow

REMODELAÇÃO

O salão principal de exposição do Instituto Commonwealth será a nova casa do Museu do Design, oferecendo quase três vezes o espaço do local original no Shad Thames, entretanto será dedicado a abrigar os arquivos de Zaha Hadid.

© Sebastian van Damme
© Sebastian van Damme

Com exceção do telhado e da estrutura, o edifício foi quase totalmente reconstruído. Um novo subsolo foi instalado sob a base completa, e os demais pavimentos foram reconstruídos em novos níveis para acomodar as necessidades do Museu do Design. As obsoletas fachadas da década de 1960 foram substituídas por fachadas energeticamente eficientes projetadas para se parecerem com a original.

Diagrama
Diagrama

A remodelação da sala de exposições do Commonwealth foi financiada pelo empreendimento residencial, tanto que foi oferecida ao Museu do Design uma construção individual, sem a obrigação de pagar o aluguel.

© Philip Vile
© Philip Vile

PAISAGEM

Projetado como uma composição de edifícios livres em um cenário verde, o paisagismo é de importância primordial. O seu carácter romântico é destinado para contrastar com as geometrias angulares dos edifícios, dotando a arquitetura moderna com uma ambiguidade deliberada. Veículos (tanto quanto possível) são banidos do terreno, criando a possibilidade de uma paisagem com transições quase ininterruptas.

© Nick Gutteridge
© Nick Gutteridge

Abaixo, existe um subsolo contínuo, conectando os três edifícios residenciais e o Museu do Design em um único nível de serviço. Estacionamento e depósito são fornecidos para as residências com acesso privado à cada bloco residencial, ao lado do acesso de serviço do Museu do Design. Esta base também abriga uma série de equipamentos coletivos para os moradores, como um spa iluminado zenitalmente, piscina, cinema e academia.

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Holland Green / OMA + Allies & Morrison" [Holland Green / OMA + Allies & Morrison] 05 Jun 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/788761/holland-green-oma-plus-allies-and-morrison> ISSN 0719-8906