O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Quartel Do Corpo De Bombeiros
  4. Alemanha
  5. Zaha Hadid Architects
  6. 1993
  7. Clássicos da Arquitetura: Estação do Corpo de Bombeiros de Vitra / Zaha Hadid Architects

Clássicos da Arquitetura: Estação do Corpo de Bombeiros de Vitra / Zaha Hadid Architects

Clássicos da Arquitetura: Estação do Corpo de Bombeiros de Vitra / Zaha Hadid Architects
Clássicos da Arquitetura: Estação do Corpo de Bombeiros de Vitra / Zaha Hadid Architects, © Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

© Wojtek Gurak © Wojtek Gurak © Wojtek Gurak © Wojtek Gurak + 18

© Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

Descrição enviada pela equipe de projeto. Após um incêndio devastador em 1981 no campus Vitra de design em Weil am Rhein, Alemanha, a empresa iniciou uma extensa missão de reconstruir o campus, bem como redesenhar o plano diretor, que havia sido desenvolvido por Nicholas Grimshaw.

Pintura
Pintura

Quase uma década depois do incêndio, a empresa procurou um arquiteto para construir uma estação do corpo de bombeiros no campus Vitra e evitar quaisquer ocorrências futuras, acabando por contratar Zaha Hadid. Concluído em 1993, o corpo de bombeiros Vitra foi o primeiro projeto construído de Hadid em sua carreira, que acabaria por lançar seu nome e estilo ao público internacional.

Maquete em relevo
Maquete em relevo

O projeto do corpo de bombeiros em Vitra é um exemplo do trabalho de Zaha Hadid que se aprofunda na linguagem teórica desconstrutivista, desenvolvido através de suas pinturas como mediadora conceitual na busca de relações espaciais e formas. O projeto é uma síntese da filosofia e arquitetura que conectam o campus de design Vitra ao seu entorno.

Renderização
Renderização

Como parte do processo projetual, Hadid e seu sócio Patrik Schumacher iniciaram relacionando os edifícios existentes no campus ao contexto agrícola circundante. A longa estrada onde a edificação seria implantada foi concebida como uma paisagem linear, uma extensão artificial dos campos adjacentes e vinhas.

© Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

O corpo de bombeiros foi entendido como a articulação que definiria o limite entre a paisagem do entorno e a artificialidade do campus. Ao implantar um perfil estreito para o edifício, ele pode ser percebido como uma extensão ou uma extrusão da paisagem que conceitualmente atravessa o edifício.

Pintura
Pintura

O corpo de bombeiros é uma composição de planos de concreto que se dobram, inclinam-se e quebram-se de acordo com as forças dinâmicas conceituais que conectam paisagem e arquitetura. O edifício é pensado como um movimento congelado, aumentando o dinamismo das forças utilizadas para criar a estética formal, suspensa em um estado de tensão e criando uma sensação de instabilidade.

© Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

"Estilhaços" de concreto e planos deslizam entre si para conformar um perfil estreito e horizontal. A sensação de instabilidade é intensificada com planos horizontais deslizando uns sobre os outros, enquanto outro projeta-se para as garagens. Com um estado de constante inquietação, os planos de concreto incorporam uma característica pesada, opaca, que restringe as vistas para o edifício, exceto quando as paredes começam a separar-se do mesmo.

© Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

O interior da edificação é tão complexo formal e espacialmente como o exterior. A série de paredes em camadas são dobradas, inclinadas, e quebradas para acomodar a funcionalidade do programa, imprensado entre as paredes. O segundo pavimento está levemente desequilibrado com o piso térreo, o que cria uma sensação de instabilidade espacial internamente. Enquanto os planos deslizam uns nos outros e começam a ser manipulados de acordo com o programa, os visitantes estão sujeitos a ilusões óticas que os ângulos e vislumbres de cores conformam.

© Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

Tanto o interior como o exterior da estação apresentam séries de arranjos espaciais complexos que evocam um senso de instabilidade ilusória, enquanto ainda mantém uma aparência de solidez e composição. Ainda assim, exibem linhas simples e limpas que convergem conjuntamente para criar uma complexidade compositiva ao longo da estação.

© Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

Hoje em dia a edificação funciona como um museu que expõe as cadeiras Vitra, após o redesenho do sistema de prevenção de incêndios do distrito.

© Wojtek Gurak
© Wojtek Gurak

Ver a galeria completa

Localização do Projeto

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: Kroll, Andrew. "Clássicos da Arquitetura: Estação do Corpo de Bombeiros de Vitra / Zaha Hadid Architects" [AD Classics: Vitra Fire Station / Zaha Hadid Architects] 01 Abr 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/784741/classicos-da-arquitetura-corpo-de-bombeiros-de-vitra-zaha-hadid-architects> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.