O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Entrevista com Manuel Aires Mateus: Raízes portuguesas, brasileiras

Entrevista com Manuel Aires Mateus: Raízes portuguesas, brasileiras

Entrevista com Manuel Aires Mateus: Raízes portuguesas, brasileiras
Entrevista com Manuel Aires Mateus:  Raízes portuguesas, brasileiras, Residências em Alcácer do Sal. Image © Fernando Guerra | FG+SG
Residências em Alcácer do Sal. Image © Fernando Guerra | FG+SG

Em parceria com o Centro pesquisas urbanas responsável pela Revista Centro, e editada por Gabriel Kogan (arquiteto e jornalista), Guilherme Giufrida (antropólogo) e Rodrigo Villela (editor), semanalmente publicaremos fragmentos da publicação online gratuita que propõe uma intersecção de áreas do conhecimento como arquitetura, arte, literatura e ciências sociais.

Assim como os portugueses não gostam muito de falar sobre o Álvaro Siza, os arquitetos brasileiros não gostam de falar do Oscar Niemeyer. Mas começamos por aqui. Você sempre faz referências a Niemeyer. Como nasce o seu fascínio por ele?

Manuel Aires Mateus: Visitei um projeto de Niemeyer pela primeira vez em Belo Horizonte, na Pampulha, e fiquei impressionado com seu discurso arquitetônico de independência, de liberdade; diferente de tudo que havia sido feito até aquele momento na história. Mais do que falar sobre o conjunto completo de edifícios de Niemeyer, é necessário olhar algumas coisas em particular, principalmente até Brasília. É fascinante, nessas obras, sua capacidade de resumir aquilo que é determinante em cada projeto. Niemeyer foca em alguns elementos centrais e o resto é deixado como uma espécie de vazio. Temos apropriações do tempo mais rápidas, mas, para a história, ficará só aquele primeiro gesto, que dura materialmente e que também durará como ideia.

E sobre o interesse particular por um projeto nunca construído de Niemeyer, a Casa Rothschild – por um tempo bastante desconhecida. Qual é a relação da obra de vocês ela?

Manuel Aires Mateus: Foi uma casualidade tropeçarmos na Casa Rothschild porque ela foi pouco publicada. Numa página de um livro, vimos os desenhos à mão. Havia qualquer coisa lá sobre a ideia de fechar um canto; de, no infinito, determinar o limite e, depois, ter liberdade geométrica por dentro. Essa ligação entre as duas coisas é forte: por um lado, dizer que há um pedaço de terra, um pedaço do mundo, que deixa de ser utilizado; por outro, há a liberdade do gesto, no desenho do pátio ou da piscina. Esse partido foi determinante para estudarmos a casa. Tentamos refazer o projeto a partir daqueles desenhos à mão e fizemos até uma maquete dele.

Leia a entrevista completa aqui.

Entrevista realizada por Gabriel Kogan & Renata Mori com Colaboração de Rodrigo Villla

Sobre este autor
Gabriel Kogan
Autor
Cita: Gabriel Kogan. "Entrevista com Manuel Aires Mateus: Raízes portuguesas, brasileiras" 27 Jan 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/780712/entrevista-com-manuel-aires-mateus-raizes-portuguesas-brasileiras> ISSN 0719-8906

Mais entrevistas em nosso Canal de YouTube