O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Museu
  4. Brasil
  5. Jô Vasconcellos
  6. 2012
  7. Museu da Cachaça / Jô Vasconcellos

Museu da Cachaça / Jô Vasconcellos

Museu da Cachaça / Jô Vasconcellos
Museu da Cachaça / Jô Vasconcellos, © Junia Mortimer
© Junia Mortimer

© Junia Mortimer © Junia Mortimer © Junia Mortimer © Junia Mortimer + 45

  • Arquitetos

  • Localização

    Av. Antônio Carlos, 1010, Salinas - MG, 39560-000, Brazil
  • Ano do projeto

    2012
  • Fotografias

  • Museologia

    Silvania Nascimento
  • Museografia

    Estúdio Ronaldo Barbosa
  • Luminotécnica

    Estúdio Ronaldo Barbosa
  • Estrutura

    José Maria Carreira
  • Hidráulica

    Magna Engenharia
  • Ar Condicionado

    Magna Engenharia
  • Construção

    Construtora Cherem
  • Área Construída

    2.200 m²
  • Mais informações Menos informações
© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

Descrição enviada pela equipe de projeto. A cidade de Salinas no interior de Minas Gerais - Brasil é uma das maiores fabricantes de cachaça artesanal do Brasil. É desta cidade a famosa cachaça Havana, entre outras, mundialmente conhecida.

Fica na região norte do estado e é uma das maiores exportadoras desta bebida. Possui clima quente praticamente o ano inteiro.

Por isto foi escolhida pelo Governo do Estado de Minas Gerais, para ser implantado um museu da cachaça.

Sections + Elevations Fachada Fachada Fachada + 45

Procuramos realizar um projeto que reflita os anseios de todos para abrigar o Museu da Cachaça. Portanto a implantação e organização espacial devem contribuir significativamente para a transformação do espaço urbano circundante, resgatando desejável área de socialização e gerando visões inusitadas do entorno a partir do novo espaço público.

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

A edificação é uma continuidade de volumes que se transformam em uma grande praça convidativa, aberta à comunidade, que resgata o caráter público e confirma o compromisso social que um museu deve conter, acolhendo os cidadãos. Além do mais deverá ser uma edificação de fácil manutenção e econômica cuja imagem inusitada e surpreendente a caracterize como um “episódio urbano”, destacando a imagem do museu na paisagem em grande escala.

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

O programa de necessidades executado e discutido em equipe foi totalmente atendido através de um conceito entre os profissionais envolvidos no projeto. Definiu-se por um percurso linear, contínuo e cheio de surpresas. Deverá apresentar variadas atmosferas, que serão dadas através de recursos espaciais, técnicos e museográficos, para criar um dinâmico processo de intercâmbio entre o sujeito e o objeto.

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

Usamos as linhas retas, as superfícies planas e blocos sólidos. Estes se tornam elementos expressivos e definidores da nova paisagem.

A espacialidade é recriada e a percepção é variada pela busca dos espaços de transição, escalas diferenciadas, aberturas, frestas, volumes. Os espaços refletem as demandas museológicas, ora são amplos, ora pequenos, largos, estreitos, altos, baixos. A volumetria espelha exatamente estes requisitos, estabelecendo as conexões entre eles.

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

© Junia Mortimer © Junia Mortimer © Junia Mortimer © Junia Mortimer + 45

Os volumes são conformados por espessas paredes de alvenaria cerâmica e acabamento irregular e rugoso, como a arquitetura vernácula da região.

A construção simples detém uma complexidade espacial. Seus volumes reagem à luz e ao calor. Com o propósito de minimizar a difusão do calor, as paredes são espessas e as lajes duplas, propiciando um colchão de ar, por onde também passam as demandas técnicas necessárias ao pleno funcionamento do museu, dentro das mais avançadas tecnologias.

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

A zona multifuncional é articulada por uma circulação contínua e sombreada, que é uma área de transição entre o exterior e o interior tão necessária às regiões de clima quente. Esta possui dimensões variadas e cria um expressivo efeito de luz e sombra, através da proteção de cobogós de concreto, deixando esta área semitransparente e com bastante ventilação. Esta trama dá uma continuidade aos sólidos das áreas expositivas, como se os sólidos se fragmentassem até alcançar a área externa / praça sombreada por pérgulas. Nestes espaços a diferença entre o exterior e o interior permanece ligeiramente difusa.

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

Após estes espaços semiabertos, encontram-se as áreas de estar, praça, lazer, pátios, terraços, anfiteatros protegidos por pérgulas, que se alternam com áreas abertas e outras que possuem planos de madeira que poderão oferecer mais privacidade e sombra conforme os usos, tais como, aulas, oficinas, etc. São áreas de múltiplo uso, que deixam fluir o vento e o espaço arquitetônico sem uma rígida delimitação entre o terreno e a construção.

A ideia é que todo o conjunto se transforme num oásis de luz, sombra, acolhimento, encontro, conhecimento e fruição.

A vocação ecológica do edifício se percebe no sistema construtivo.

A rigorosa limitação dos materiais é apropriada para os espaços expositivos e sua identificação com a paisagem local.

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

A construção se apropria do agigantamento da escala através da apropriação total do terreno longilíneo.

O paisagismo complementará a ideia através do plantio de espécies locais de grande porte, que criarão as sombras desejáveis. Extenso gramado propositalmente ondulado contorna toda a construção. Na praça, áreas ajardinadas com espécies de pequeno e médio porte. Junto à entrada principal uma enorme área com espada de São Jorge, criando uma massa verde/amarelo protetora. Junto à sala de exposição do tema Distribuição, uma nesga de vidro deixa transparecer um canavial. Estamos em Salinas!

© Junia Mortimer
© Junia Mortimer

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Museu da Cachaça / Jô Vasconcellos" [Cachaça Museum / Jô Vasconcellos] 22 Set 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/627504/museu-da-cachaca-jo-vasconcelos> ISSN 0719-8906