O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Concursos
  3. Segundo lugar no concurso de ampliação do SENGE-RS / Dal Pian Arquitetos

Segundo lugar no concurso de ampliação do SENGE-RS / Dal Pian Arquitetos

Segundo lugar no concurso de ampliação do SENGE-RS / Dal Pian Arquitetos
Segundo lugar no concurso de ampliação do SENGE-RS / Dal Pian Arquitetos, Courtesy of Dal Pian Arquitetos
Courtesy of Dal Pian Arquitetos

segundo lugar

Competição : Expansão da Sede do Sindicato de Engenheiros no Rio Grande do Sul
Premio : Segundo Lugar
Projeto :
Autores : Renato Dal Pian e Lilian Dal Pian, Carolina Freire, Carolina Tobias, Carolina Fukumoto, Luis Taboada, Natalie Tchilian, Paulo Noguer, Afaconsult, Miguel Muralha, 10.372,00 m², Porto Alegre, RS , 2014

Apresentamos a seguir o projeto premiado com o segundo lugar no concurso para a ampliação da sede do SENGE-RS, desenvolvido pelo escritório Dal Pian Arquitetos. Leia, na continuação, a descrição do projeto pelos arquitetos.

CONSTRUÇÃO DA PAISAGEM

Próximo ao centro expandido de Porto Alegre, o terreno contíguo à sede do Sindicato dos Engenheiros do Rio Grande do Sul – SENGE - se encontra em território urbano heterogêneo e em gradativa transformação. Dentro de processos consequentes das políticas urbanas, novos edifícios verticais, de apartamento e de escritório, se entremeiam a residências unifamiliares, estabelecimentos comerciais, institucionais e de serviços, construindo paulatinamente uma nova paisagem.

Como partícipe desse processo, acreditamos que o projeto para o Edifício Anexo de SENGE deva qualificar o tecido urbano com uma arquitetura que respeite a escala e o ritmo do lugar, estabelecendo com o atual edifício sede, com aqueles verticais existentes na sua envoltória e com a paisagem urbana que se transforma uma relação volumétrica equilibrada, harmônica e espacialmente contínua e consequente.

Sendo edifício de uso público e representativo, também acreditamos que seu projeto deva externar uma arquitetura que o referencie como signo urbano forte, legível e com identidade suficiente para ser reconhecido e assimilado na memoria coletiva.

Courtesy of Dal Pian Arquitetos
Courtesy of Dal Pian Arquitetos

HARMONIA DAS ARQUITETURAS 

A diversidade, extensão e densidade volumétrica do programa requerido, disposto em um terreno de perímetro irregular, de dimensões controladas, e conformado entre duas edificações com empenas laterais cegas, nos conduziram ao projeto de um edifício vertical, dotado de um embasamento maior no térreo, que ocupa quase toda a área legalmente permitida para o lote.

Implantado junto à face lateral cega da atual sede do SENGE, se volta para a Rua Visconde do Herval e para a fachada também cega do edifício vizinho, que se recompõe visualmente com a instalação de uma Parede Verde.

Implantação. Image Courtesy of Dal Pian Arquitetos
Implantação. Image Courtesy of Dal Pian Arquitetos

Formalmente, o Edifício Anexo expressa uma arquitetura íntegra e independente daquelas dos edifícios existentes. Sua composição procura criar uma unidade volumétrica entre os edifícios, de modo a dotar de coerência física e formal todo o conjunto edificado.

A estratégia de se buscar a harmonia com a paisagem pela composição do gabarito e de suas volumetrias, nos parece ser um principio simples e básico de se unificar e consolidar arquiteturas distintas em um território urbano. 

EDIFÍCIO EXISTENTE

O edifício existente, mantido praticamente inalterado em sua arquitetura, se comunica com o novo edifício através do Pavimento Térreo e de seu último pavimento.

Como adequação externa, apenas tem seu acesso unificado com o acesso do Edifício Anexo, de modo a facilitar a triagem e o controle do Complexo.

As modificações internas não descaracterizam sua espacialidade, procurando somente adequar seus espaços às novas demandas programáticas requeridas.

EDIFÍCIO ANEXO

Courtesy of Dal Pian Arquitetos
Courtesy of Dal Pian Arquitetos

Propomos um edifício transparente, iluminado e permeado por áreas verdes e jardins, que se distribui ao entorno de um vazio interno generoso, que percorre todos os seus pavimentos. Como espaço articulador das atividades do edifício, para este Vazio Integrador se abrem Jardins Escalonados e se debruçam as circulações horizontais, expondo o fluxo e o movimento dos usuários. Um conjunto de passarelas e escadas abertas também transpassa o vazio, reforçando nossa prerrogativa de um edifício extrovertido.

Uma Cobertura Unificadora, composta por grelha metálica, vidro e um sistema eficiente de extração de ar e de proteção solar, filtra a luz natural e serve de coroamento a esse espaço diáfano de mediação entre os ambientes natural e construído.

Seus espaços internos se concebem dentro de critérios baseados na flexibilidade de layout, otimização de percursos e concentração de alguns ambientes fechados, contrapostos a outros abertos de grande visibilidade e abundante luz natural. Essa condição proporciona espaços de trabalho e convivência pouco convencionais, porém dinâmicos, fluídos e extrovertidos, que acreditamos serem capazes de estimular novas relações entre pessoas e suas atividades.

Isométricas. Image Courtesy of Dal Pian Arquitetos
Isométricas. Image Courtesy of Dal Pian Arquitetos

DISTRIBUIÇÃO FUNCIONAL

Respondendo às necessidades funcionais requeridas pelo SENGE, o programa se distribui setorizado por pavimentos, proporcionando independência e autonomia de uso sem prescindir da integração visual proposta.

  • GALERIA - Térreo (+5,52)
  • Espaços de recebimento e de grande fruição pública – circulações e estar, ao entorno do verde de Jardins Internos articulam sequencialmente a Central de Informações, o Auditório, o Bar/Cafeteria, o Restaurante e as áreas de Exposições. As Lojas e a Livraria se localizam no atual edifício do SENGE, que nesse pavimento se integra espacialmente ao Edifício Anexo.
  • CURSOS E CAPACITAÇÃO – 1° e 2° Pavimentos (+9,32 / +13,12)
  • Espaços de recebimento e de grande fruição pública – locais de uso não programado como encontro, convivência, trabalho e descompressão, antecedem as Salas de Cursos e de Capacitação, a Biblioteca (com Deck e Jardim Externo) e as Salas de Informática, dinamizando e pluralizando o edifício no seu uso.
  • COWORKING – 3° e 4° Pavimentos (+16,92  / +20,72)
  • Espaços compartilhados de recebimento de público de trabalho – voltados para o Vazio Integrador, Jardins Escalonados incorporam o verde aos ambientes internos que servem de extensão e apoio dos locais de trabalho compartilhado.
  • SALAS DE TRABALHO – 5° Pavimento (+24,52)
  • Espaços privativos de recebimento de público de trabalho – se localizam estrategicamente no último pavimento, onde a necessidade de privacidade é maior. Esse pavimento também se conecta ao edifício sede do SENGE.
  • ESTACIONAMENTOS – 1°, 2°, 3° e 4° Subsolos (+2,02 / -0,98 / -3,98 / -6,98)
  • Espaço de uso tanto privativo quanto externo e sazonal – localizados em subsolos, absorvem também os ambientes de serviço e apoio do edifício, otimizando o funcionamento e a operacionalidade do Complexo.

ESTRUTURAS, MATERIAIS E REVESTIMENTOS

Courtesy of Dal Pian Arquitetos
Courtesy of Dal Pian Arquitetos

Corpo de Atividades - A solução estrutural proposta pretende potenciar a máxima flexibilidade no layout dos espaços, apresentando uma malha de colunas de 10 x 12,5 metros em concreto armado moldadas “in loco”, e em composição com o sistema de lajes e vigas incorporadas tipo “BubbleDeck”. Esse sistema, que procura maximizar a industrialização e simplificar o processo de construção, se compõe por esferas plásticas (bubbles) inseridas uniformemente entre duas telas metálicas, de modo a ocupar as zonas de concreto que não desempenham função estrutural. Como tecnologia limpa e economicamente viável, seus benefícios, quando comparados a sistemas tradicionais como lajes maciças ou cubetas, são:

  • redução do volume de concreto e de seu peso próprio – 35% menor;
  • redução da carga nas fundações;
  • eliminação de vigas e aumento nas duas direções dos vãos entre pilares;
  • redução na condutividade térmica e no nível de ruídos entre pavimentos;
  • otimização na logística de transporte de materiais;
  • redução no tempo de montagem e de construção;
  • redução de energia e de emissão de CO2, com o consequente ganho ambiental.

Corte BB. Image Courtesy of Dal Pian Arquitetos
Corte BB. Image Courtesy of Dal Pian Arquitetos

Corpo Servidor - Os corpos de circulação vertical e serviços serão compostos por paredes estruturais em concreto armado, que asseguram o travamento do edifício nas duas direções, e com a sua elevada rigidez transversal resistem às ações horizontais.

Será dada especial atenção às paredes estruturais periféricas nos pisos dos subsolos, que durante a fase de Obra terão soluções de contenção provisória que visam assegurar a estabilidade dos edifícios existentes anexos ao novo edifício, até ao travamento definitivo das paredes pelas lajes dos pisos.

Utiliza-se estruturas e componentes metálicos na grelha de cobertura, nos sistemas de suporte aos brises horizontais e verticais e nas passarelas e escadas internas abertas para o Vazio Integrado.

Como vedação e revestimento, propomos materiais tradicionais e de grande durabilidade e resistência, como vidro, metal, concreto, pedra e madeira certificada de alta densidade - para áreas internas, protegidas da ação direta do tempo.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Romullo Baratto. "Segundo lugar no concurso de ampliação do SENGE-RS / Dal Pian Arquitetos" 02 Ago 2014. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/625056/segundo-lugar-no-concurso-de-ampliacao-do-senge-rs-dal-pian-arquitetos> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.