O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Saúde mental nas escolas de arquitetura: é possível uma mudança cultural?

Saúde mental nas escolas de arquitetura: é possível uma mudança cultural?

Saúde mental nas escolas de arquitetura: é possível uma mudança cultural?
Saúde mental nas escolas de arquitetura: é possível uma mudança cultural?, Cortesia de GALDSU
Cortesia de GALDSU

União dos Estudante de Pós-Graduação de Arquitetura, Paisagem e Design  (GALDSU) da Universidade de Toronto recentemente publicou os resultados da sua primeira pesquisa sobre a saúde mental, que pedia aos estudantes que refletissem sobre sua experiência na Faculdade de Arquitetura, Paisagem e Design John H. Daniels Muitos alunos e ex-alunos opinaram de modo semelhante, indicando descaradamente um quadro sombrio na experiência de um estudante de arquitetura. O relatório traz a questão da falta de saúde física e mental nas escolas de arquitetura para o primeiro plano da nossa consciência; no entanto, a resposta pouco entusiasmada que provocou enfraquece a iniciativa e levanta questões importantes. Se já estávamos cientes do problema, por que uma mudança não havia sido iniciada? Será que essa vai ser sempre a realidade aceita na educação da arquitetura?

As respostas dos alunos identificam a infra-estrutura como um desafio significativo e sugerem que as melhorias para a saúde física e mental podem ser realizadas com a criação de espaços de trabalho mais limpos, maiores e mais silenciosos. Os alunos também expressaram sua preocupação com a falta de comodidades, incluindo também a falta de computadores nos laboratórios, bem como a falta de opções de alimentação de baixo custo  disponíveis. De fato, uma das maiores ironias da arquitetura escolar é que muitas vezes estudamos em espaços desinspiradores, mal projetados e obsoletos.

No entanto, embora o estudo insinue que melhorias na infra-estrutura e em equipamentos seja uma maneira de melhorar a saúde do estudante, seriam necessários grandes investimentos para fazer esses tipos de mudanças e a maioria das escolas não têm acesso imediato a isso. A aquisição desses fundos exigiria tempo e faria com que aumentassem as taxas para os estudantes, medida as quais muitos se opõem - especialmente se os resultados vierem apenas para os futuros estidantes.

Para fazer melhorias, certamente é necessário o diálogo entre alunos, professores e funcionários da universidade em geral. No entanto, a pesquisa identificou a apatia dos alunos para com os membros do corpo docente e da administração como uma questão importante; a maioria do estresse do estudante foi atribuída diretamente às figuras de autoridade. Os entrevistados reconheceram suas maiores fontes de estresse como "carga de trabalho, falta de organização da faculdade, os prazos coincidentes, e interações negativas com os membros do corpo docente." Apenas 3% se sentia como se o corpo docente estivesse fazendo o suficiente para lidar com questões de saúde mental entre os estudantes.

Cortesia de GALDSU
Cortesia de GALDSU

Ao tentar responder à pergunta de por que escolas de arquitetura continuam sendo lugares mental e fisicamente esgotantes, esta atitude apática para com os professores foi um fator importante a se considerar. Quando os alunos se sentem desconectados das comunidades que deveriam fazer parte, podem ser ainda mais hesitantes ao falar.

Além disso, para lidar com a carga de trabalho estressante e exigente, os entrevistados confessaram ter desenvolvido maus hábitos. A maioria dos estudantes admitem regularmente passar noites em claro, pular refeições, renunciar atividades sociais extracurriculares e exercícios físicos, a fim de concluir projetos dentro do prazo. Os maus hábitos são formados quando um comportamento específico traz um resultado favorável, levando à repetição condicionada dessas ações. Nestes casos, o reforço positivo vem na forma de produzir um projeto melhor a tempo, o que, evidentemente, supera os efeitos adversos sobre a saúde mental e física desses comportamentos.

Embora o estudo não sugira uma razão do porquê os alunos escolheram o positivo sobre o negativo, a escolha pode ser um produto do ambiente. Quando vemos nossos semelhantes agindo de uma certa maneira, acabamos percebendo-a como regra e nos sentimos justificados ao perpetuar esse comportamento. Isto é especialmente ampliado na escola de arquitetura já que os alunos tendem a fazer a maior parte do seu trabalho em conjunto, constantemente cercados por seus colegas.

Imagine se as mudanças forem implementadas para resolver todas as questões relativas a infra-estrutura, acomodações e comunicação. Será que os alunos manteriam seus maus hábitos para produzir trabalhos ainda melhores? Ou será que eles finalmente teriam tempo para levar uma vida mais equilibrada e saudável? Mesmo se os problemas tangíveis forem completamente resolvidos, seria simplesmente impossível mudar a cultura das escolas de arquitetura hoje? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Cita: Whelan, Jennifer. "Saúde mental nas escolas de arquitetura: é possível uma mudança cultural?" [Mental Health in Architecture School: Can the Culture Change?] 03 Mai 2014. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/601381/saude-mental-nas-escolas-de-arquitetura-e-possivel-uma-mudanca-cultural> ISSN 0719-8906
Ler comentários