Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Exterior, Viga, Jardim, Pátio, AidoCasa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Janela, VigaCasa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Cozinha, Janela, VigaCasa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Madeira, Viga, Tijolo, JanelaCasa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Mais Imagens+ 34

Igatu, Brasil
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  180
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2023
  • Fotógrafo
    Fotografias:Pedro kok
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes:  Alexandre Kissajikian, Casa Costillas, Casa na Árvore, Cultivado em casa, Gabriela Romagnolli, Imaterial Design, Infinity Persianas, Leon Ades, Marcenaria Nino, Mauício Davila, Paola Muller, Pau Pau, Piso de Pedra, T44, Telha Sanduíche
  • Arquitetos Responsáveis: Luiz Paulo Bomeny, Alexandre Makhoul
  • Texto: João Navarrete
  • Coautor / Carpinteiro / Interiores: Leon Ades
  • Consultor: Guilherme Paoliello
  • Cidade: Igatu
  • País: Brasil
Mais informaçõesMenos informações
Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Exterior, Floresta
© Pedro kok

Descrição enviada pela equipe de projeto. Um dos principais desafios da arquitetura contemporânea é amadurecer uma sensibilidade capaz de decifrar a paisagem em que se trabalha, oferecendo na construção continuidade com as tradições culturais locais e a inventividade necessária para acomodar novos modos de vida. Nesse sentido, a Casa Piaba pode ser lida como resultante de um processo de arqueologia cultural da Chapada da Diamantina, assim como proposta de habitabilidade contemporânea dessa paisagem.

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Exterior, Viga, Jardim, Pátio, Aido
© Pedro kok

A casa foi resultado de uma investigação construtiva do escritório paulistano Lajedo Arquitetura em parceria com o designer de móveis Leon Ades. A pesquisa da materialidade da madeira e dos encaixes tradicionais foi o interesse em comum que inspirou essa cooperação. A admiração pelo fazer artesanal levou os arquitetos Alexandre Makhoul e Luiz Bomeny, assim como o designer Leon Ades, a realizar a carpintaria da casa com as próprias mãos, desde a pré-fabricação da estrutura até sua montagem no terreno de difícil acesso. Quando analisada com maior atenção a construção pode ser compreendida como uma leitura cuidadosa dos elementos que caracterizam o ambiente construído da região.

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Cozinha, Mesa, Janela, Viga, Cadeira, Terraço
© Pedro kok
Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Cozinha, Janela, Viga
© Pedro kok

Igatú, ou “água boa” na língua dos habitantes originários Cariri e Maracá, teve sua guinada de urbanização na metade do século XIX a partir da descoberta de jazidas de diamantes na região. A promessa de enriquecimento no interior da Bahia trouxe um legado duplo. De um lado as consequências do extrativismo, com o assoreamento dos rios e a devastação das matas nativas. O ciclo de riqueza de Igatú, como é típico de qualquer economia extrativista, exauriu-se. A maior parte da população foi embora e hoje a cidade é um vilarejo com menos de mil habitantes. Do outro lado houve o florescimento de uma cultura autóctone e a constituição de uma noção regional de beleza, que apesar do ar de abandono, continua enraizada e viva através de seus poucos moradores.


Artigo Relacionado

Arquitetura de pedra: sensibilidade ambiental nas ruínas da Chapada Diamantina

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Janela, Viga
© Pedro kok
Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Imagem 32 de 39
Planta
Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Cozinha, Mesa, Viga, Terraço
© Pedro kok

Dentre os marcos culturais dessa região da Chapada Diamantina estão as soluções encontradas para o ambiente construído e, em particular, para o desenho de residências. O local possui ampla disponibilidade de pedras, que rapidamente foram integradas às construções. Rochas de grande porte foram associadas à muros, desempenhando o papel de coberturas e vedações. Rochas menores eram encaixadas umas nas outras para se fazer paredes e, posteriormente, garantiu-se a maior estabilidade dessas estruturas com a introdução da argamassa. A partir dessa prática popular desenvolveu-se tradições construtivas individuais, com diferentes trabalhadores manuais locais criando técnicas de encaixe próprios. As construções da região hoje são assinadas silenciosamente pelas linhas de encaixes entre materiais e as resultantes texturas, oriundas do trabalho artesanal e do esmero da população nativa.

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Viga
© Pedro kok

O projeto da casa procura dar continuidade às tradições construtivas locais, à tipologia da arquitetura colonial baiana e à paisagem da Chapada da Diamantina. Tendo como claro referencial a Casa de Caminha do arquiteto português Sérgio Fernandez, ela se encrusta em um declive, criando um espaço aberto de convivência que esmaece as fronteiras entre interior e exterior. Quando decomposta em seus elementos, a Casa Piaba desmonta a arquitetura colonial, rearranjando seus elementos em uma nova organização – adequada ao local e uso contemporâneo. As pesadas paredes perimetrais dos edifícios coloniais brasileiros, com suas esguias aberturas retangulares dispostas de forma regular, aparecem aqui como a fachada da casa – retomando também a típica frontalidade dos edifícios coloniais que marcam as ruas do Pelourinho ou de Ouro Preto. Entretanto, o método construtivo adotado em Igatú não é a taipa de pilão, mas o muro em pedra com as marcas de encaixes aprendidas e maturadas a longo de gerações de artesões locais. O pátio, elemento essencial da arquitetura brasileira e mediterrânea também é reinterpretado. Pátios se disseminam em locais quentes como uma estratégia inteligente de integração com o clima local, permitindo um acesso protegido da luz solar e a ventilação do volume edificado.

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Janela
© Pedro kok

Em contraposição à pesada solidez do muro de pedras, o resto do volume é resolvido por uma leve estrutura vetorial em madeira. As peças estruturais foram fabricadas em São Paulo enquanto todos outros elementos foram executados e montados in loco pelos próprios arquitetos e equipe em Igatú. Experiência a que se submeteram para garantir a compreensão da realidade local, suas dificuldades logísticas e construtivas e a potencialidade da mão de obra local; além de poder sentir o peso do seu projeto, literalmente, em suas próprias mãos.

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Viga, Terraço, Floresta
© Pedro kok
Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Interiores, Madeira, Viga, Tijolo, Janela
© Pedro kok
Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Imagem 39 de 39
Isométrica
Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Exterior, Mesa, Cadeira, Viga, Terraço, Pátio
© Pedro kok

As fundações em concreto-armado, o muro em pedra e a caixilharia em madeira foram executadas por mão de obra local. Durante toda execução da obra os arquitetos moraram na cidade, vivenciado o cotidiano da construção. Em planta o projeto pode ser entendido através de três faixas. A primeira, ao longo da pesada parede de pedra, é constituída pelos sanitários e por quartos que lembram alcovas – um dormitório simples e austero – divido da área comum por apenas uma cortina. A segunda faixa, arquitetonicamente mais importante, é constituída pela sala, cozinha e suíte principal – essa última localizada na borda e com ampla vista para o exterior. A terceira faixa é o deck, aberto para a paisagem. Na Casa Piaba o pátio, ou o espaço vazio, se confunde com o interior da casa. O exterior é construído por um deck em madeira Itaúba, formando uma ampla área de convivência. O piso continua para dentro do interior, em um nível contínuo. A integração entre área externa e interna não é apenas reforçada por uma cota contínua e mesmo material do piso, mas também pelo espelhamento dos núcleos de infraestrutura. Um desses está no interior da casa e compõe a cozinha contendo uma cuba, geladeiras e fogão. O outro núcleo está na parte externa, com churrasqueira e cuba, complementando o primeiro e permitindo uma abordagem mais informal e social ao ato de cozinhar. Ainda neste volume externo, no nível do solo, encontra-se uma ducha para banhar-se após um dia no rio.

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Exterior, Floresta
© Pedro kok

Essa relação demonstra um nível de compreensão do programa que não é apenas funcional, mas também cerimonial, adequando-se às necessidades da vida nessa paisagem. Evidência desse tipo de raciocínio é a chegada na casa, onde a cobertura se descola da parede em pedra, formando um pórtico de entrada, com um desnível suficiente para ser utilizado como banco – onde pode-se retirar os calçados. A qualidade da Casa Piaba é a maturidade e sensibilidade por parte dos arquitetos ao decidir e conseguir realizar uma continuidade com as raízes históricas antigas do local, realizando uma peça que se encaixa de forma adequada à paisagem. Não é um elemento estrangeiro, mas sim uma conversa com os modos de vida e tradições construtivas do entorno.

Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades - Fotografia de Exterior, Janela
© Pedro kok

Galeria do Projeto

Ver tudoMostrar menos
Sobre este escritório
Cita: "Casa Piaba / Lajedo Arquitetura + Leon Ades" 11 Fev 2024. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/1012513/casa-piaba-lajedo-arquitetura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.