O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Gaoligong Museu do Papel Artesanal / Tao (Trace Architecture Office)

Gaoligong Museu do Papel Artesanal / Tao (Trace Architecture Office)

Gaoligong Museu do Papel Artesanal / Tao (Trace Architecture Office)
Gaoligong Museu do Papel Artesanal / Tao (Trace Architecture Office), © Shu He
© Shu He

O Museu do Papel Artesanal está localizado em um campo próximo ao vilarejo de Xinzhuang, aos pés da montanha Gaoligong de Yunnah, uma área ecológica de preservação mundial no sudoeste da China. O vilarejo possui uma antiga tradição na produção de papel artesanal. O projeto do museu é parte do plano de preservação e desenvolvimento de recursos tradicionais, no qual a fabricação de papel será preservada como patrimônio cultural e contribuirá com o crescimento da comunidade. Para exibir a história, técnica e produto da fabricação do papel, este museu consiste em espaço de exibição, livraria, espaço de trabalho e salas de recepção para artistas e visitantes.

© Shu He

O terreno encontra-se próximo à estrada principal que entra no vilarejo. O museu funciona como uma janela de visualização da área, no sentido de que todo o vilarejo funcionará como um grande museu já que cada uma de suas casas se abrirá para os visitantes, exibindo o processo de produção de papel. O museu é concebido como uma micro-vila, um conjunto de vários pequenos edifícios. A escala da construção está de acordo com a aglomeração adjacente e a paisagem. O conceito espacial é criar a experiência de uma visita que alterna entre exibição interna e paisagem externa conforme o usuário caminha pelas galerias do piso térreo, provocando, assim, a consciência da relação inseparável entre fabricação de papel e meio ambiente. No segundo piso, há um espaço aberto de trabalho e uma sala de reunião. Através de uma escada externa, pode-se acessar o terraço no topo que possui vista para as coberturas de bambu das galerias abaixo e uma varanda coberta por vidro que se volta para leste, de onde se tem visão panorâmica para a montanha Gaoligong.

© Shu He

O desenho busca criar um edifício que esteja enraizado no meio ambiente local. Isso leva ao conceito de que a construção deve maximizar o uso de materiais, técnicas construtivas e artesanato tradicional regionais e que deve ser erguida pela mão-de-obra presente no vilarejo. Contudo, ainda se aplicam materiais e técnicas modernas disponíveis no contexto. Assim, a construção será tanto uma preservação como uma transformação da tradição local de construção. É uma tentativa arquitetônica de combinar qualidade moderna com caráter regional usando recursos locais e técnicas adequadas no contexto rural da China contemporânea.

Axonométrica

O edifício é projetado com um sistema estrutural de madeira tradicional chinês com conexões macho sem pregos (SunMao), que podem ser habilmente produzido por construtores locais. Os materiais regionais como madeira de abeto, bambu, pedra vulcânica e papel artesanal são usados no acabamento exterior, cobertura, piso e acabamento interior, respectivamente. Com o passar do tempo, esses materiais irão se desgastar e adquirir uma cor mais harmoniosa com a paisagem. Estas características darão um senso temporal sobre o edifício.

© Shu He

A forma e os detalhes do edifício foram concebidos para responder às vistas, à luz natural e ao clima. Nas galerias, a brisa flui através das pedras porosas no rodapé da parede exterior para ventilação, de forma que o plano esteja livre de janelas manuseáveis. Dessa forma, garante-se mais área de superfície para exibição. As aberturas na parede são exclusivamente para as vistas externas. Um simples plano de vidro é posicionado no vão e torna-se uma imagem da paisagem. A altura das janelas da parede lateral da galeria introduz luz natural para o espaço de exibição enquanto evita o brilho intenso no nível do olhar. O papel artesanal é aplicado na parte inferior da cobertura de vidro do espaço de conexão entre as galerias, de modo a receber luz difusa superior. Na fachada, a parede externa se interrompe onde começa a viga expondo tanto vigas como parte das colunas nos cantos. Da mesma forma, com a estrutura da cobertura aparente no espaço interno e as bases de pedra das colunas na fachada revelam que o edifício é sustentado pelo sistema de pilares e vigas ao invés de paredes. O papel artesanal utilizado no acabamento interno é aplicado em uma moldura de madeira de módulo quadrado de 45cm (limitado pelo tamanho do papel mas que garante a suavidade do plano). O layout do nicho de exibição baseado nesta modulação é integrado à parede. A parede de papel branco nas galerias cria uma atmosfera quente e suave, mantendo o espaço abstrato.

© Shu He

A construção do edifício foi concluída por uma equipe de agricultores locais. O arquiteto construiu maquetes com os trabalhadores em diversas escalas para explicar o conceito espacial, estrutural e de detalhe, pois eles não são acostumados a ler os desenhos técnicos. Entretanto, eles são bons em construir coisas mentalmente e trabalharam de forma eficiente com o conceito esclarecido.

© Shu He

Ficha técnica:

  • Arquitetos:Tao (Trace Architecture Office)
  • Ano: 2010
  • Área construída: 361 m²
  • Área do terreno: 300 m²
  • Endereço: Yunnah Xinzhuang China
  • Tipo de projeto: Cultural
  • Status:Construído
  • Materialidade: Madeira
  • Estrutura: Madeira
  • Localização: Yunnah, Xinzhuang, China
  • Implantação no terreno: Isolado

Equipe:

  1. Arquiteto: HUA Li / TAO (Trace Architecture Office)
  2. Equipe de projeto: HUA Li, Huang Tanju, Li Gonfa, Jiang Nan, Sun Yuanxia, Yang Hefeng

Informação Complementar:

  1. Cliente: Comitê do Gaoligong Museum of Handcraft Paper
  2. Equipe de construção: Construtores agricultores locais liderados por Long Zhanwen
  1. Projeto: 2008-2009
  2. Construção: 2009-2010
  3. Sistema estrutural: Construção em madeira com as conexões macho tradicionais chinesas
  4. Cobertura: Bambu
  5. Fachada: Quadro em madeira, pedra vulcânica
  6. Acabamentos internos: Papel artesanal
  7. Piso: Pedra vulcânica

Sobre este escritório
Tao (Trace Architecture Office)
Escritório
Cita: Fernanda Britto. "Gaoligong Museu do Papel Artesanal / Tao (Trace Architecture Office)" 06 Fev 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/28125/gaoligong-museu-do-papel-artesanal-tao-trace-architecture-office> ISSN 0719-8906