O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Chile
  5. Alejandro Aravena
  6. 2004
  7. Casa Pirihueico / Alejandro Aravena

Casa Pirihueico / Alejandro Aravena

Casa Pirihueico / Alejandro Aravena
Casa Pirihueico / Alejandro Aravena, © Cristobal Palma
© Cristobal Palma

© Cristobal Palma © Cristobal Palma © Cristobal Palma © Cristobal Palma + 30

  • Arquitetos

    Alejandro Aravena, Jorge Christie, Victor Oddó
  • Localização

    Panguipulli, Chile
  • Materiais

    Pedra, Madeira, Vidro
  • Orçamento

    1.000 US$ / m2
  • Área

    350.0 m2
  • Ano do projeto

    2004
  • Fotografias

© Cristobal Palma
© Cristobal Palma

Descrição enviada pela equipe de projeto. Quando encontramos o cliente pela primeira vez, ele nos pediu para fazer uma casa cor de sombra. Pareceu uma pergunta interessante e aceitamos então desenhar uma casa privada para um cliente rico, um encargo que normalmente não pegamos por ser pouco relevante.

© Cristobal Palma
© Cristobal Palma

Nos encargou uma casa de veraneio (e inverneio) num terreno remoto e virgem do sul do Chile. Mais que um desenho, o cliente pedia que formulássemos uma equação que incluisse todas aquelas variáveis que vieram ao caso e logo buscar uma forma que fosse a pura expressão de tal equação: um terreno vulcânico, 4000 mm de precipitações anuais, forte radiação UV, ventos de norte e leste, vistas ao lago (norte), ao parque (sul) e a alguns outros pontos específicos, insolação adequada, consideração sobre a condição remota da obra no momento de escolher os materiais e tecnologias construtivas, desmembramento pormenorizado da maneira em que se usaria a casa, eliminação de qualquer possível romanticismo assim como de contemporaneidade a priori na definição da linguagem arquitetônica, eram os ingredientes deste prato desconhecido, mas que deveria resultar familiar uma vez feito.

Planta Baixa - 1° Pavimento
Planta Baixa - 1° Pavimento
© Cristobal Palma
© Cristobal Palma
Planta Baixa - 2° Pavimento
Planta Baixa - 2° Pavimento

Dado que o clima era uma das condições mais extremas, partimos por arriscar o menos possível: um convencional teto de duas águas apto para as precipitações. De pouco em pouco, começamos a extender as águas para as bordas até tocar as janelas no perímetro, buscando respeitar as vistas e ao mesmo tempo esquivar os ventos segundo fosse o caso. A regra para as janelas seguiu o mesmo princípio de um surfista entrando no mar procurando se esquivar das ondas: ou eram estreitas ou eram baixas. Se a janela buscava enquadrar um elemento vertical, como uma árvore ou uma trilha adentrando no bosque por exemplo, então a janela era alta porém esbelta; se elas enquadravam uma vista horizontal, como o lago ou o vulcão, então eram largas porém baixas.

© Cristobal Palma
© Cristobal Palma

Esta mesma lógica da vista e do esquive, expressada em janelas como marcos muito secos, explica a geometria da planta do segundo andar. A planta do primeiro andar, ao contrário, é uma caixa regular e resistente (pelos sismos e pelo terreno vulcânico, mas também pela segurança necessária para casas que passam parte do ano fechadas). 

Corte
Corte

As pedras saíram de pedreiras próximas e as madeiras, da clareira no bosque que teve que ser feita para poder construir. A escuridade do objeto será a maneira de restituir parte da densidade e virgindade original do lugar.

© Cristobal Palma
© Cristobal Palma

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Alejandro Aravena
Escritório
Cita: "Casa Pirihueico / Alejandro Aravena" [Pirihueico House / Alejandro Aravena] 26 Dez 2011. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/16299/casa-lago-pirihueico-alejandro-aravena> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.