O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Parque
  4. França
  5. Bernard Tschumi Architects
  6. 1987
  7. Clássicos da Arquitetura: Parc de la Villette / Bernard Tschumi

Clássicos da Arquitetura: Parc de la Villette / Bernard Tschumi

Clássicos da Arquitetura: Parc de la Villette / Bernard Tschumi
Clássicos da Arquitetura: Parc de la Villette / Bernard Tschumi, © Flickr William Veerbeek (CC BY-NC-SA)
© Flickr William Veerbeek (CC BY-NC-SA)

© Cyrus Penarroyo © Cyrus Penarroyo © Cyrus Penarroyo © Flickr William Veerbeek (CC BY-NC-SA) + 12

O parque abrange mais de um quilômetro de comprimento e setecentos metros de largura. Abriga atividades como um Museu da Ciência e Indústria, uma Cidade da Música, teatros e espaços para concertos. O projeto consistiu em três sistemas: superfícies, que são os espaços verdes abertos; linhas, os caminhos do parque; e pontos, estruturas icônicas pintadas em vermelho sem um programa pré-definido. Inseridos numa malha ortogonal de cento e vinte metros de lado, os pontos são o denominador comum do parque e ícones do projeto.

© Cyrus Penarroyo
© Cyrus Penarroyo

Como parte de um concurso internacional, entre os anos de 1982 e 1983, para revitalizar terrenos abandonados e pouco desenvolvidos do Mercado de carnes e matadouro, em Paris, França, Bernard Tschumi foi escolhido entre mais de 470 propostas.

Ao contrário das outras propostas na competição, o projeto vencedor não seguiu uma mentalidade tradicional, com a paisagem e a natureza como forças dominantes. Ao contrário, o Parc de la Villette foi imaginado como um lugar de cultura, onde o natural e o artificial se mesclariam em um estado de constante reconfiguração e descoberta.

© Cyrus Penarroyo
© Cyrus Penarroyo

O concurso buscava o desenho de um parque urbano para o século 21, através do terreno de 135 hectares, dividido pelo Canal de l'Ourcq. O projeto escolhido não habitava ou dependia da história como precedente, mas olhava para as questões contemporâneas e ao futuro.

O parque foi imaginado como um espaço para a atividade e interação, que evocasse uma sensação de liberdade numa organização sobreposta que daria pontos de referência aos visitantes .

© Cyrus Penarroyo
© Cyrus Penarroyo

Foram dispersos dez jardins temáticos através de todo o terreno, onde as pessoas pudessem se deparar com cada um literalmente ou de forma ambígua.

O Parc de la Villette foi projetado com três princípios de organização que configuram três camadas de intervenção: pontos, linhas e superfícies. O terreno é organizado espacialmente através de uma malha de trinta e cinco edifícios pontuais. A malha de pontos dá uma qualidade dimensional e organizacional para o parque servindo como pontos de referência. A natureza repetitiva de cada ponto, mesmo que cada um seja único e diferente, permite que os visitantes mantenham um senso de unidade através do parque.

axon
axon

As linhas são os principais caminhos de movimento demarcados em todo o parque. Ao contrário dos pontos, os caminhos não seguem qualquer estrutura organizacional, mas se interseccionam e levam a vários pontos de interesse dentro do parque e da área urbana circundante.

© Cyrus Penarroyo
© Cyrus Penarroyo

Dos 135 hectares do parque, 85 são dedicados a espaço verde. São as superfícies, uma das três categorias do projeto. O espaço aberto é normalmente utilizado para grandes eventos e, no verão, torna-se um grande cinema ao ar livre.

O projeto foi concebido como um espaço definido pelo usuário, aberto a interpretação. Cada um dos edifícios pontuais são centros de um programa informal, efêmero e cambiante.

© Cyrus Penarroyo
© Cyrus Penarroyo

Embora cada ponto seja único e formalmente distinto, não há um programa designado, mas somente um espaço que pode abrigar atividades. Apenas recentemente alguns deles foram convertidos em restaurantes, escritórios e centros de informação.

Só quando o indivíduo se depara com um ponto ou um jardim, a escala é reduzida e ele é capaz de reorientar-se dentro do contexto mais amplo do parque.

© Cyrus Penarroyo
© Cyrus Penarroyo


Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Cita: Souza, Eduardo. "Clássicos da Arquitetura: Parc de la Villette / Bernard Tschumi" [AD Classics: Parc de la Villette / Bernard Tschumi Architects] 21 Dez 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/160419/classicos-da-arquitetura-parc-de-la-villette-slash-bernard-tschumi> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.